20out/160

Tem defensor da adubação verde em Santa Catarina!

Inserido em Adubação Verde, Adubar o Futuro, Agricultura, cobertura vegetal, Consciência Verde, Crotalária, Hortaliças, Olericultura, Piraí Sementes, Sustentabilidade por Admin em 20 de outubro de 2016No Comments »

Conheça a história de Valdemar Lauro da Silva com a adubação verde na cultura da cebola

Seu Valdemar Lauro da Silva junto à Crotalária-ochroleuca no início da floração - Imagem: Arquivo Pessoal.

Seu Valdemar Lauro da Silva junto à Crotalária-ochroleuca no início da floração – Imagem: Arquivo Pessoal.

Hoje partilhamos mais um testemunho de um produtor que se deu bem utilizando a adubação verde. Seu Valdemar Lauro da Silva tem uma propriedade na comunidade de Barro Preto, situada no município do Alfredo Wagner em Santa Catarina.

Ele cultiva a cebola como cultura comercial principal e conheceu a adubação verde há 25 anos, por meio de uma vista de campo realizada pela Epagri. Na época, seu Valdemar ficou muito decepcionado com a ação dos técnicos, que focavam suas instruções nos implementos e não no solo. Foi então que ele questionou os técnicos e a adubação verde surgiu como opção de cuidado com a terra. A partir daí algumas espécies foram testadas: aveia e ervilhaça foram as primeiras, posteriormente vieram mucunã, feijão-de-porco, milheto, feijão-guandu, nabo-forrageiro, azevém e as crotálarias-juncea, spectabilis e ochroleuca. Em 2008, por fim, foi consolidado um ciclo que se mantém atualmente.

Cultura da cebola em fase vegetativa - Imagem: Arquivo Pessoal.

Cultura da cebola em fase vegetativa – Imagem: Arquivo Pessoal.

Tal ciclo consta na preparação do solo para o plantio de cebola. Ele tem início no final da última safra comercial, utilizando o milheto ou o capim-doce. Em maio o azevém é plantado e fica no campo até a sua maturação, no início de novembro. Nesse período a crotalária-ochroleuca é cultivada e roçada no início de abril, abrindo espaço para a implantação de aveia-preta. Por fim, em julho, ocorre a dessecação da aveia e o plantio da cebola.

Como benefícios da adubação verde seu Valdemar aponta uma melhor cobertura do solo, evitando a erosão e a radiação solar. “A qualidade do solo também melhorou a olhos vistos: sua aparência, textura e nos nutrientes em geral, reduzindo até mesmo o uso de fertilizantes na cultura, que girava em torno de 25 a 30 sacas por hectare para 8 a 10 sacas.” Outro ponto citado pelo produtor está no aumento da produtividade, que antes da adubação verde ficava em torno de 6 a 8 toneladas por hectares, ultrapassando nos últimos anos as 30 toneladas, sendo que a população de plantas fica em torno de 250 a 260 mil plantas por hectare.”

Acompanhamento da Epagri - Imagem: Arquivo Pessoal.

Acompanhamento da Epagri – Imagem: Arquivo Pessoal.

O agricultor conta que a atuação da Epagri foi decisiva para apoiar a decisão de mudar sua forma de cultivar a cebola. Com os resultados aparecendo ao longo dos anos, o reconhecimento se deu na participação da sua propriedade como estação em dias de campo, bem como suas palestras nas duas últimas edições do Seminário Nacional da Cebola.

Quando perguntado se recomendaria a adubação verde, seu Valdemar é categórico: “Com certeza, a utilização da adubação verde é basicamente uma imitação do ciclo vital da natureza, que se baseia numa velha frase, “na natureza nada se perde, tudo se transforma”. Isso é sem dúvida o que acontece com a terra. Então, com um bom manejo do solo, uma parcela de calma e persistência pode-se gerar um grande resultado, proporcionando inúmeros benefícios”.

Seu Valdemar palestrando sobre Cultivo Mínimo com Palhada no Seminário Nacional da Cebola - Imagem: Arquivo Pessoal.

Seu Valdemar palestrando sobre Cultivo Mínimo com Palhada no Seminário Nacional da Cebola – Imagem: Arquivo Pessoal.

Como mensagem aos produtores que se encontram em dúvida sobre a adoção da adubação verde em seu cultivar, ele afirma: “Se a gente parasse um tempo para buscar as origens das perguntas e não buscar respostas, a gente entenderia muito mais as coisas do que entende agora. Por exemplo, se a gente olha como é o solo na natureza, vemos que ele possui um ciclo, uma manutenção para continuar seu processo, que começa com a semente que vira árvore, cresce, gera sementes, morre e cai, virando fonte de alimento para suas sementes e para os outras árvores. Então, temos que cuidar do bem mais vital do mundo, a terra, pois sem ela não existe a vida. É imprescindível que cuidemos dela para que continue a vida para nossas futuras gerações. E, a maneira mais parecida que podemos realizar isso no solo agrícola é, sem dúvida, a Adubação Verde.”

______________________________________________________________________

Seja um Defensor da Adubação Verde

Você aderiu à adubação verde para melhorar sustentavelmente as condições produtivas do seu cultivar?

Então compartilhe com a gente esse caso de sucesso! Envie seu depoimento com algumas fotos e seus contatos para esse link. Quem sabe você não é o próximo a aparecer aqui e garantir seu certificado de Defensor da Adubação Verde.

Propagar informação é uma forma de conscientizar mais produtores sobre a importância da adubação verde!

Tags: , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>