Posts Tagged ‘Recursos Hídricos’

Dia Mundial da Água

quarta-feira, março 22nd, 2017

dia_mundial_da_agua_sementes_pirai

Partilhamos para este dia a mensagem de nossa adubadora, Sementes Piraí:

“Hoje é dia de relembrar a importância vital da água para o futuro da vida! Além disso, hoje é dia de conscientizar sobre sua preservação em todos os 365 dias do ano.

Nós apoiamos o uso sustentável da água em todos os campos agrícolas!”

#DiaMundialdaAgua

Como a água da chuva pode ajudar na produção animal?

quarta-feira, novembro 16th, 2016
Uso de cisternas é o principal enfoque da publicação da Embrapa - Imagem: Divulgação.

Uso de cisternas é o principal enfoque da publicação da Embrapa – Imagem: Divulgação.

As respostas estão dispostas na recente publicação da Embrapa Pecuária Sudeste denominada “Captação de água de chuva e armazenamento em cisterna para uso na produção animal”. O material aborda as vantagens na utilização da água das chuvas na produção animal, bem como ações para seu melhor aproveitamento.

Além disso, o documento pontua observações das quais o produtor deve estar atento para não comprometer a qualidade produtiva de sua atividade. Uma delas é a qualidade da água armazenada e a forma para se realizar corretamente a conservação desse recurso.

O enfoque da publicação é o uso das cisternas, que promovem a segurança hídrica e contribuem para minimizar o impacto do uso da água dos rios nos sistema produtivos, auxiliando a viabilidade econômica da atividade. A ressalva feita na publicação para este caso trata do manejo correto das estruturas de captação, condução, armazenamento, bem como da legislação vigente para o uso/qualidade da água.

Uma coisa é certa: independente da escala e da finalidade da água da chuva, seu sistema de aproveitamento tem muitas vantagens econômicas e ambientais. Basta que se aplique com eficiência os padrões qualitativos e quantitativos observando o uso que o produtor deseja. Utilizar água das chuvas é #adubarofuturo!

Confira a publicação da Embrapa na íntegra clicando aqui.

Fonte: Agrolink

#adubarofuturo ensina-se desde cedo!

quinta-feira, setembro 29th, 2016
Cuidar do solo é uma das iniciativas fundamentais para que lavouras, como a de soja, continuem produzindo com riqueza e sustentabilidade no estado - Imagem: Celso Junir/AE.

Cuidar do solo é uma das iniciativas fundamentais para que lavouras, como a de soja, continuem produzindo com riqueza e sustentabilidade no estado – Imagem: Celso Junir/AE.

Ensinar crianças e jovens a #adubarofuturo implica na formação de uma geração antenada com as necessidades do meio ambiente e capacitada para agir e propor inovações em termos de preservação e cuidados. Lá no RS, o empenho da Emater-RS/Ascar e das coordenadorias de educação formará uma nova turma de adubadores, os alunos das escolas estaduais das regiões Fronteira Noroeste e Missões.

Por meio do projeto com o tema da preservação do solo e da água os alunos dessas instituições terão contato direto com o Programa de Apoio ao Ensino de Solo e da Água, vinculado ao Programa Estadual de Preservação do Solo e da Água “Conservar para Produzir Melhor”.

Espera-se assim buscar o envolvimento dos alunos  pela educação sobre a conscientização e execução de ações que contribuam para o cuidado com o solo e a água em todo o estado. (mais…)

O que falta para que as pesquisas melhorem a qualidade da água nas bacias hidrográficas?

quarta-feira, setembro 28th, 2016
Ilustração da composição de uma bacia hidrográfica - Imagem;: Divulgação.

Ilustração da composição de uma bacia hidrográfica – Imagem: Divulgação.

O pesquisador da Embrapa Meio Ambiente, Ricardo Figueiredo, esteve na 24º edição do Agrinordeste, que aconteceu no final de agosto em Pernambuco, para reforçar a importância das pesquisas acerca da manutenção da qualidade hídrica, em especial das bacias hidrográficas vinculadas ao uso agrícola.

A qualidade hídrica dos rios está sofrendo com a entrada de sedimentos e elementos biogeoquímicos dissolvidos provenientes tanto da própria origem natural, quanto pela origem antrópica, como os agroquímicos. O cenário de alerta pode ser resolvido antes que a crise hídrica, já conhecida pela maioria dos estados, tome proporções colossais. Para isso, basta que os setores interessados se reúnam e estabeleça políticas para a reversão da situação, pontuou Ricardo.

Um dos caminhos sugeridos pelo pesquisador está no maior incentivo às pesquisas realizadas nas bacias hidrográficas de uso agrícola, que ainda esbarram na burocracia dos desafios técnicos e da falta de informação partilhada. (mais…)

Águas Formosas/MG dá o exemplo no quesito proteção das águas!

quarta-feira, setembro 14th, 2016
Registro da ação mais recente do projeto de recuperação e revitalização do Córrego, em Águas Formosas - Imagem: Emater - MG.

Registro da ação mais recente do projeto de recuperação e revitalização do Córrego da Mutuca, em Águas Formosas – Imagem: Emater – MG.

Preservar o meio ambiente significa cuidar para que a fauna e a flora possam se desenvolver com segurança e qualidade e isso inclui, claro, os mananciais. Uma vez com vegetação existente, as nascentes e os caminhos da água tem passagem livre parar correr. Pensando a nisso a Emater – MG resolveu atuar em prol do meio ambiente da região de Águas Formosas, mais especificamente no Vale do Mucuri, por meio do projeto de revitalização do córrego da Mutuca.

O projeto já acontece desde o início do ano e é o resultado da cooperação entre os técnicos da Emater e os produtores rurais. A recuperação do córrego é de suma importância para manter ativo o Rio Pampam, principal manancial da cidade. A Emater apresentou várias técnicas que contribuem para a conservação ambiental e em algumas propriedades foram instaladas unidades demonstrativas. (mais…)

Novos caminhos para os rejeitos de minério da Samarco!

quinta-feira, setembro 8th, 2016
O Rio Gualaxo do Norte é um dos beneficiadas pela execução de projetos sustentáveis que deem destino aos rejeitos de minério - Imagem: Leandro Couri/EM/ DA Press).

O Rio Gualaxo do Norte é um dos beneficiados pela execução de projetos sustentáveis que aproveitem os rejeitos de minério – Imagem: Leandro Couri/EM/ DA Press).

Soluções sustentáveis são o caminho para o aproveitamento das milhões de toneladas de rejeitos de minério provenientes do rompimento da barragem de Fundão, pertencente à Samarco, em novembro passado. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fepamig) indicou que o material pode ser aproveitado na construção civil, na fabricação de tijolos, blocos, pisos, entre outros materiais.

A Fepamig tem trabalhado buscando iniciativas sustentáveis para o aproveitamento dos rejeitos, minimizando assim o impacto ao meio ambiente, permitindo que ele possa se reconstruir mais rapidamente. Desde abril, com a abertura de uma chamada pública, a instituição recebeu mais de 150 projetos dos quais 29 foram encaminhados para contratação. Para sua execução um aporte de quatro milhões de reais será necessário.

Dos 29 projetos submetidos à contração, seis atendem a temática de Recuperação do Solo, sete sobre Recuperação da Água, oito na Recuperação da Biodiversidade e na linha de Tecnologias Sociais. (mais…)

“Boas práticas agrícolas e água”: um guia para os produtores do Oeste da Bahia!

quinta-feira, agosto 25th, 2016
Imagem: Divulgação.

Imagem: Divulgação.

Os agricultores já sabem que a água é parte fundamental para a manutenção das atividades agrícolas e sabem também, alguns meios para preservar essa riqueza.

Para ajudar ainda mais na tarefa de conscientização e aprendizado dos produtores do oeste baiano a The Nature Conservancy, maior organização ambiental do mundo, em auxílio com a Bunge e apoiada pela Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) e pela Abiove (Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais), lançaram a publicação “Boas Práticas Agrícolas e Água, um guia para a conservação de recursos hídricos nas propriedades rurais do Oeste da Bahia.”

O guia é o resultado de levantamentos e troca de ideias entre poder público e sociedade. O material pontua técnicas que cooperam para a melhor gestão da propriedade no tocante ao manejo da água e dos solos. Dentre os objetivos dessas recomendações estão: evitar a erosão, aumentar a eficiência hídrica na agricultura e a recuperação das matas ciliares como fator contribuinte para a conservação de mananciais.

Além disso, o livreto sugere o constante mapeamento do volume hídrico, superficial e subterrâneo, além do incentivo à assistência técnica rural continuada e a execução permanente do Código Florestal. Tudo isso, para garantir que o uso sustentável da água acontecerá nas lavouras da região, independentemente de seu consumo hídrico.

A ação é uma maneira de evitar que cenários de escassez hídrica ou revezes climáticas voltem a causar danos na agricultura do oeste baiano, região inserida no Matopiba e tão conhecida pela sua produtividade.

Fonte: Agrolink.

Falando em produtividade, vamos melhorá-la?

Tudo o que é bom pode ficar melhor e o que não estão tão bem assim pode melhorar, não é mesmo?

Quando falamos em melhoria da produtividade agrícola podemos mencionar a adubação verde como a parceira sustentável e econômica do produtor.

Quer saber mais como se dá essa parceria? Conheça os benefícios da adubação verde visitando o site da nossa adubadora, Sementes Piraí.

Repense seu investimento de tempo e dinheiro em ações que prejudicam o meio ambiente e o próprio solo, invista seus recursos na adubação verde!

Colhendo os frutos da conscientização ambiental!

quinta-feira, agosto 4th, 2016
Produtores ao lado da nascente recuperada - Imagem: SENAR - MG.

Produtores ao lado da nascente recuperada – Imagem: SENAR – MG.

Em maio passado o SENAR – MG esteve presente na comunidade de Chaves, na zona rural do Rio Parnaíba, localizado na região do Alto Parnaíba. O motivo da visita foi a capacitação pelo curso de Recuperação e Proteção de Nascentes oferecido aos produtores da região. Mais recentemente, no final de junho, os produtores já começaram a observar os frutos dessa ação de conscientização e mudança de atitude.

Tais produtores concentram sua renda basicamente no cultivo de alimentos e na pecuária leiteira. Em 2015, em função da seca mais severa dos últimos anos, acompanharam de perto as nascentes praticamente secas e os prejuízos consideráveis ocasionados por esse cenário. Porém, após o curso oferecido pelo SENAR a comunidade viu a vida da nascente do Córrego Olhos D’água, na bacia do Rio Paranaíba, ser devolvida, pois seu volume de água havia quintuplicado.

Para colher esse fruto os produtores trabalharam duro em cima das considerações apresentadas pelo SENAR: fizeram a limpeza do entorno da nascente, construíram uma pequena barragem e por fim, instalaram canos de saída de água, além de pedras e lonas que serviram como proteção do olho d’água da nascente.

Conclusão: nascente plenamente viva e rio Paranaíba mais abastecido. A ação fez parte do Programa Nosso Ambiente, que tem contado com a participação ativa Sindicato dos Produtores Rurais de Rio Paranaíba para levar essa capacitação para outras áreas com nascentes que ajudam a #adubarofuturo do Rio Parnaíba. Registramos nosso parabéns a comunidade de Chaves, um exemplo visto que a união em prol do meio ambiente faz a força, traz prosperidade e garante a continuidade das atividades agrícolas.

Fonte: Agrolink.

 

Qualidade da água é tema de Dia de Campo no RS!

quarta-feira, julho 27th, 2016
Registro do Dia de Campo na propriedade Frozza - Imagem: Tiago Bald.

Registro do Dia de Campo na propriedade Frozza – Imagem: Tiago Bald.

O início de junho levou aos agricultores de Progresso um Dia de Campo destinado a abordar a qualidade da água para a manutenção das propriedades rurais e suas atividades. A ação, uma realização da Emater/RS-Ascar em parceria com a Secretaria da Saúde local, aconteceu na propriedade dos produtores Vanderli e Fernanda Frozza e foi batizada como “Melhoria da qualidade da água”.

Dentre os temas apresentados estavam a proteção de mananciais, a limpeza correta de locais armazenadores de água, entre outras questões como o teste com um carneiro hidráulico, que pode auxiliar na tarefa de reaproveitamento de água. No caso da propriedade da família Frozza a intenção em utilizar o carneiro hidráulico é prover água nos piquetes, além de irrigar as pastagens e utilizá-la no aviário e na estrebaria, uma vez que a pecuária de leite e a avicultura são os pontos fortes produtivos.

Tal propriedade é uma das 180 integrantes à Chamada Pública da Sustentabilidade, uma ação assinada localmente pela Emater/RS-Ascar, por meio de convênio com o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário. Basicamente, a ação propõe oficinas, reuniões e demais atividades de campo apresentando temas sobre o solo, leite, produção de frutas e peixes e conservação dos recursos hídricos.

A Chamada tem rodado o estado. Só em junho aconteceram mais dois dias de campo sobre “Controle de pragas e doenças em pomares domésticos” e “Manejo em piscicultura”. Os temas normalmente são decididos a partir da necessidade e ou manifestação de interesse dos próprios agricultores. A troca de informações tem contribuído para #adubarofuturo dessas propriedades!

Fonte: Agrolink.

Falando em fruticultura…

O manejo adequado em pomares indica a redução de problemas como doenças e pragas ou a exaustão produtiva do solo. Para tanto, sugerimos que você conheça como a adubação verde contribui para essa tarefa.

Basicamente, a adubação verde na fruticultura é uma oportunidade de aliar economia com ganho de produtividade e redução de custos à preservação dos recursos naturais. É uma forma eficiente de produzir biomassa, nitrogênio, biodiversidade, estruturação de solo, reciclagem de nutrientes e de reduzir pragas como: doenças, nematoides e ervas daninhas.

Para saber mais sobre os benefícios da adubação verde nessa cultura acesse conteúdo exclusivo à Fruticultura no site da Sementes Piraí. Informe-se e leve para o seu próximo ciclo produtivo as vantagens da adubação verde!

 

O aproveitamento da água utilizada na agricultura é constante!

terça-feira, julho 26th, 2016
A irrigação por gotejamento é uma solução sustentável que ajuda a agricultura a se desenvolver - Imagem: Érico Andrade/G1.

A irrigação por gotejamento é uma solução sustentável que ajuda a agricultura a se desenvolver – Imagem: Érico Andrade/G1.

A população do Espírito Santo convive com a estiagem dos últimos anos de forma até heroica, pode-se dizer. A situação já foi pautada como a pior crise hídrica da história do estado. O efeito dominó provocado pela falta de chuvas atinge todos os setores a começar pela agricultura, que não tem a possibilidade de irrigar suas lavouras, dar de beber aos seus rebanhos. Esse tema é recorrente em debates que procuram minimizar o impacto da seca com soluções sustentáveis.

Porém, a irrigação não é vilão da crise hídrica como muitos pensam. O presidente licenciado do Sindicato Rural de Linhares e produtor rural, Antonio Roberte Bourguignon, afirma que a falta de informação é um dos problemas para que surjam estereótipos deste tipo. Segundo ele, a agricultura utiliza grande parte da água disponível sim, mas seu aproveitamento é total pela natureza.

Isso porque a água utilizada na irrigação tem sua absorção por vários caminhos: pela plantação, pelo lençol freático ou pela evapotranspiração, voltando para a atmosfera. Bourguignon explica que muitas vezes a água captada pela irrigação volta para a natureza até mais limpa. O ciclo da água agrícola não permite desperdício e ajuda na conservação de rios e nascentes, devido ao seu aproveitamento. Dessa forma, os benefícios são observados até na mesa dos consumidores, que tem seus alimentos beneficiados pela irrigação.

Outra observação feita pelo Sindicato está na imagem errônea sobre a construção de barragens no interior. Para a entidade, a barragem é uma saída para evitar cenários de exaustão na zona rural durante a estiagem. É preciso que haja mais investimentos para que os municípios consigam captar toda a água da chuva, acompanhando a demanda populacional, agrícola e industrial, que segue crescente, afirma Bourguignon.

Fonte: Agrolink.

Benefícios da energia solar chegam aos produtores paraibanos!

domingo, julho 17th, 2016
Exemplo de sistema de irrigação utilizando energia solar - Imagem: Divulgação.

Exemplo de sistema de irrigação utilizando energia solar – Imagem: Divulgação.

No final de maio a equipe da Superintendência Estadual do Banco do Nordeste se reuniu com o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, para assinar um acordo de cooperação entre as instituições. A ação tem por objetivo viabilizar o uso de sistema solares, por meio dos painéis solares, para a irrigação das lavouras da agricultura familiar do estado.

O acordo concede aos agricultores familiares condições especiais de acesso às linhas de crédito de investimento em energia renovável e sustentabilidade do Programa Nacional da Agricultura Familiar, por meio do Pronaf-ECO. Financeiramente falando, são disponibilizados os valores de até 150 mil reais para agricultores individuais e até 750 mil reais para cooperativas ou associações. As taxas de juros variam entre 2,5% a 5,5% ao ano, com prazo total de quitação em uma década.

A Secretaria de Estado da Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiárido da Paraíba (SEAFDS); por intermédio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural da Paraíba (Emater-PB) e da Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba (Emepa-PB) acompanham os processos de financiamento, além do Banco do Nordeste.

Mais uma ação que vai beneficiar o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar no estado. Dessa forma, os produtores poderão usar a irrigação consciente e limpa, uma vez que o gotejamento é uma das técnicas mais empregadas. Com a utilização da energia solar o custeio com a geração de energia diminui, permitindo que os produtores fortaleçam seus rendimentos. Isso é #adubarofuturo!

Fonte: Paraíba Total

Mais um pouquinho de sustentabilidade para a agricultura familiar

Agora estamos falando sobre produtividade sustentável com economia real de custos. Sabe como? – Adotando a adubação verde!

Acesse a loja online de sementes para adubação verde, EcoSeeds, e conheça como a adubação verde pode fazer a diferença no seu cultivo. Aproveite para incluí-la no seu próximo ciclo produtivo adquirindo as sementes de adubo verde certificadas pelo MAPA com a qualidade Sementes Piraí, seja você também um adubador do futuro!

 

 

As cisternas e sua preciosa ajuda para agricultura familiar do semiárido!

segunda-feira, maio 30th, 2016
Imagem: Divulgação.

Imagem: Divulgação.

A água é um dos recursos indispensáveis para o desenvolvimento pleno da agricultura. Quando se fala em agricultura familiar no semiárido brasileiro, o recurso além de escasso, nem sempre é próprio para uso na atividade. Propiciar então alternativas que viabilizem o uso hídrico com sustentabilidade é a saída encontrada para a prosperidade do setor na região.

Tal saída é assinada pelo agora MDSA (Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário) em parceria com o BNDES. Trata-se da construção de cisternas nas regiões de agricultura familiar do semiárido. O projeto trabalha com duas vertentes: consumo humano e estoque. Este último objetiva a produção agrícola de forma autossustentável, aproveitando o que chamam de segunda água.

Além da cisterna, as propriedades recebem capacitação sobre uso autossustentável da água, fomentando seu uso para o desenvolvimento agrícola e pecuário, colaborando para o aumento da renda produtiva. Há ainda uma equipe de assistência técnica disponível para consultas e responsável pela ponte entre os agricultores e órgãos públicos. O acompanhamento técnico dura entre oito e dezesseis meses.

A ação tem diminuído o impacto dos constantes períodos de seca que a região convive e permitido que as famílias continuem com suas propriedades, aproveitando a água armazenada. Para este ano, o projeto esperar construir 20 mil cisternas. Dessa forma, a água se faz presente e ajuda a #adubarofuturo da atividade na região, contribuindo para a economia e o desenvolvimento planejado e sustentável de todos esses produtores.

Fonte: greenMe.

Sustentabilidade para produzir mais

Aproveitar a água das chuvas na agricultura é uma ação sustentável que impacta positivamente toda a cadeia hidrográfica regional. Falando em sustentabilidade, por que não pensar na adubação verde como parceira produtiva na agricultura familiar do semiárido?

A técnica agrícola milenar faz uso dos adubos verdes, espécies vegetais que possuem características recuperadoras, condicionadoras e melhoradoras do solo. Seus benefícios estão na manutenção da umidade (quando utilizada como palhada), na proteção contra a radiação solar intensa e contra erosão, no controle de pragas e doenças do solo, entre outros benefícios.

Confira todas as vantagens da adubação verde acessando a loja online EcoSeeds. O site traz informações atualizadas sobre a técnica e permite ao pequeno/médio produtor a efetuar a compra de sementes para adubação verde, valendo-se da confiabilidade e qualidade Sementes Piraí, certificadas pelo MAPA. Não espere mais para se tornar um adubador do futuro, visite a página da EcoSeeds hoje mesmo.

 

Bioeletricidade da Cana-de-açúcar ajuda a #adubarofuturo!

quarta-feira, maio 18th, 2016
O potencial da bioeletricidade da cana é um grande rofrço para poupar a matriz hídrica geradora de energia - Imagem: Divulgação.

O potencial da bioeletricidade da cana é um grande reforço para poupar a matriz hídrica geradora de energia – Imagem: Divulgação.

Poupar água é uma premissa fundamental para garantir a sobrevivência da vida e das atividades agrícolas no planeta. E quando isso acontece ajudando o trabalho das hidrelétricas, com certeza, o motivo da comemoração tem um teor especial. Segundo dados da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) e da Associação da Indústria de Cogeração de Energia (COGEN) em 2015 o setor canavieiro ajudou as usinas a economizar 14% de água, por meio da geração de mais de 20 mil GWh via bioeletricidade.

Outro ponto positivo que o setor sucroenergético marca em favor da preservação da água e do consumo de energia elétrica consta dentro de sua própria indústria, uma vez que a autossuficiência durante a safra minimiza o consumo hídrico e elétrico.

O cenário nem tão distante de stress hídrico que boa parte da região Centro-Sul do Brasil enfrentou nos últimos anos, reforça ainda mais a participação da bioeletricidade da cana no Sistema Interligado Nacional. A poupança atual de 14% de água indica um patamar de extrema relevância quanto à participação do setor como parceiro da geração energética.

Para dar prosseguimento a economia advinda do setor sucroenergético, como provedor de energia renovável e sustentável, representantes da área reforçam a inclusão de cotas cada vez mais amplas de bioeletricidade nos leilões de reserva. No final de abril a biomassa participou do Leilão A-5/2016, que contratará energia de novos projetos para entrega a partir de 2021. O caminho ainda engatinha, mas seus resultados provam que é possível #adubarofuturo contando com a bioeletricidade da cana!

Fonte: Notícias Agrícolas

Mais produtividade para a cana-de-açúcar

Canavieiro, você desejar turbinar sua produção contando com máxima sustentabilidade e economia de gastos?

Apresentamos então o Canaviável, o projeto da Sementes Piraí destinado exclusivamente à adubação verde no setor.

Para saber mais, acesse http://www.canaviavel.com.br e conheça todos os benefícios de ser um adubador do futuro, incluindo a adubação verde na reforma e ou implantação de seu canavial.

 

#adubarofuturo é cuidar dos mananciais!

terça-feira, maio 17th, 2016
O Projeto Vida Nova Rio Formiga tem contribuído para #adubarofuturo dos mananciais da região - Imagem: Prefeitura Municipal de Formiga.

O Projeto Vida Nova Rio Formiga tem contribuído para #adubarofuturo dos mananciais da região – Imagem: Prefeitura Municipal de Formiga.

Quando o assunto é água o município mineiro de Formiga dá o exemplo. Em fevereiro passado o Senar Minas realizou dois eventos, agindo em conjunto com o Sindicato Rural da cidade e o Ministério Público (MP), com o objetivo de reunir produtores preocupados com a recuperação e ativação dos mananciais regionais. A capacitação foi o caminho adotado nas duas ações, indo ao encontro das premissas do Projeto Vida Nova Rio Formiga.

Tal projeto é fruto de ação popular em parceria com o MP e é apenas um dos existentes que atuam na recuperação da bacia do Rio Formiga. Todo o trabalho se dá de maneira educativa, sensibilizando a população sobre a importância de cuidar e preservar os mananciais. As ações já foram elogiadas pelo MP, dois meses após seu início.

Ao todo, os produtores passam por quatro etapas educativas: cursos para a elaboração do CAR (Cadastro Ambiental Rural), sobre a recuperação de nascentes e futuramente, o Seminário Nosso Ambiente e a capacitação sobre recuperação de áreas degradadas. O projeto tem retomado a esperança dos produtores que sofreram com a estiagem nos últimos anos. Segundo um dos coordenadores, a maior preocupação é viver esse cenário novamente, por isso a adesão em massa do agricultores para evitar outro período seco, auxiliando na manutenção da água tanto para a zona rural, quanto urbana.

O Emater, a Unifor e alguns agentes financeiros são outros parceiros do Projeto Vida Nova Rio Formiga. Ainda estão previstas ações sobre recuperação de pastagens degradadas e produção de água, apoiado pela Lei Municipal e pela Agência Nacional das Águas, que servirá de fonte extra de renda a muitos produtores. Esperamos que iniciativas como essa saiam da região de Formiga e sejam “copiadas” para outros locais que necessitam urgentemente da preservação de mananciais. Somente assim poderá se garantir que águas terão seu futuro assegurado.

Fonte: Agrolink.

Adubação verde na recuperação de áreas e pastagens degradadas

Você sabia que a adubação verde pode contribuir para devolver a vida produtiva de áreas cansadas por cultivos subsequentes, tal como às pastagens exaustas?

Pois bem, o uso dos adubos verdes promove um ciclagem de nutrientes, que recuperam, melhoram e condicionam as características naturais do solo, devolvendo em potencialidade seus aspectos químicos, físicos e biológicos.

Para saber mais acesse o site da nossa adubadora, Sementes Piraí, e fique por dentro do universo da adubação verde. Inclua a técnica como parceira sustentável, econômica e produtiva da sua ação de recuperação, os resultados são garantidos e você contribui para o futuro agrícola e do meio ambiente.

Adubar o futuro é: preservar nascentes!

terça-feira, abril 5th, 2016
Imagem: Senar-SC.

Imagem: Senar-SC.

Preservas as nascentes é uma das formas de se garantir o futuro da vida animal e vegetal, projetando ações que as usem por longos anos em prosperidade. Visto isso, o Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) optou em expandir a ação do Programa Nacional de Proteção de Nascentes em Santa Catarina, contando com o apoio da Cooperativa Central Aurora Alimentos.

Para a continuidade do trabalhos serão investidos cem mil reais na administração de cinquenta novos treinamentos. O projeto, já conhecido desde o ano passado e apoiado pela CNA, prega a conservação de nascentes em cinco passos: identificação, cercamento, limpeza, controle de erosão e reflorestamento nativo.

No estado catarinense a parceria entre Senar e Aurora foi firmada em meados de fevereiro. Cabe ao Senar a contratação de instrutores, entrega dos materiais didáticos e a alimentação do grupo. Já o “recrutamento” de interessados ficará a cargo da Cooperativa Central e demais cooperativas regionais, dispondo do auxílio do Sindicatos Rurais.

Para este ano a ideia é realizar cinquenta treinamentos, focados nos programas QT Rural e De Olho, para a coleta de propriedades que possuem nascentes ainda não protegidas. Os treinamentos realizados nesses locais contabilizarão oito horas/aula, com conteúdos que norteiem sobre a importância da preservação, incluindo a legislação ambiental.

A parceria firmada entre Senar e Aurora vai intensificar o trabalho do Programa Nacional de Recuperação de Nascentes em SC, possibilitando o aumento significativo de mananciais protegidos. Isso, sem dúvidas, contribui para #adubarofuturo hídrico de toda a região.

Fonte: Agrolink.

Ações em simultaneidade

Ao mesmo tempo que o produtor tem a responsabilidade de cuidar das nascentes de sua propriedade, também é necessário prover cuidados com o solo, para que este se mantenha sempre saudável. E a forma mais econômica e sustentável de dar prosseguimento nestes cuidados é com a adubação verde.

O uso dos chamados adubos verdes em solos agrícolas permite a revitalização de seus aspectos químicos, físicos e biológicos, devolvendo a sua capacidade produtiva, resgatando seus nutrientes e ajudando no controle de pragas e doenças da terra.

Para saber como a técnica pode ser aplicada em cada cultura, convidamos nossos leitores para conhecer o universo da adubação verde no site da Sementes Piraí. Todas as informações que os farão adubadores do futuro estão dispostas neste endereço: http://www.pirai.com.br. Acesse hoje mesmo!