Posts Tagged ‘pastagem’

14 de Outubro – Dia da Pecu√°ria

s√°bado, outubro 14th, 2017

diadapecuaria_sementespirai

√Č poss√≠vel construir e melhorar a atividade pecu√°ria usufruindo da sustentabilidade? √Ē si √©!

Hoje, dedicamos nossos parabéns a todos os pecuaristas que entenderam que a ação sustentável é sim um caminho produtivo e rentável. Se você ainda não conhece esse caminho, agora é o momento: http://www.pirai.com.br/adubacao_verde_nas_areas_de_pastagens-texto-b118.html

Gestão que gera renda no agronegócio familiar!

quarta-feira, outubro 11th, 2017

36a69f071e48cd7d5a58b8281f4ff23c

O agroneg√≥cio familiar √© uma atividade quem vem se popularizando nos √ļltimos anos por todo o pa√≠s, por√©m o sucesso da a√ß√£o esbarra num quesito chamado gest√£o. A falta dela implica na desorganiza√ß√£o da propriedade enquanto sistema econ√īmico e o que muitas vezes acontece √© o uso equivocado do dinheiro, comprometendo a renda familiar. Mas essa n√£o √© a realidade de alguns produtores familiares catarinenses.

Gra√ßas ao Programa Propriedade Sustent√°vel em uma d√©cada foi poss√≠vel aumentar a renda, em quase 30%, dos 24 agricultores que toparam encarar o desafio da gest√£o do agroneg√≥cio familiar. Al√©m da renda, o tamanho da √°rea plantada tamb√©m subiu, de 11,5 para 13,3 hectares, cultivando especialmente cebola, pastagem nativa e soja. A diversifica√ß√£o √© a grande chave da a√ß√£o, pois ela √© um dos fatores que contribu√≠ram sensivelmente para esse super√°vit de renda. (mais…)

Cobertura vegetal melhora produção de capim em consórcio

sexta-feira, abril 21st, 2017

adubacao_verde_consorcio_braquiaria_sementes_pirai_adubar

Muitos produtores devem se perguntar se existe a necessidade de adubar o capim consorciado (como a braquiária ruziziensis). Para por fim nesse questionamento o Instituto de Zootecnia (IZ), da Agência Paulista de Tecnologia do Agronegócio (Apta), localizado em Nova Odessa/SP está há mais de três anos pesquisando a respeito e os resultados já observados são satisfatórios.

As pesquisas se norteiam sobre o quanto a aplica√ß√£o de cobertura pode fazer a diferen√ßa na produ√ß√£o de forragem em √°reas de pastagens com algum n√≠vel de degrada√ß√£o. A resposta est√° no aumento de 40% na produ√ß√£o de mat√©ria seca p√≥s-desseca√ß√£o do capim. (mais…)

Dia de campo mostrará alternativas de consórcios para segunda safra

segunda-feira, abril 17th, 2017

___________________________________________________________________

Obs: O texto de hoje √© uma reprodu√ß√£o integral do excerto de Gabriel Faria, da Embrapa Agrossilvipastoril.¬†Agradecemos e creditamos ao Gabriel todo o conte√ļdo textual postado abaixo.

Gabriel Faria (mtb 15.624/MG JP)
Embrapa Agrossilvipastoril
agrossilvipastoril.imprensa@embrapa.br
Telefone: (66) 3211-4227

____________________________________________________________________

Crédito da Imagem: Site - Embrapa.

Crédito da Imagem: Site РEmbrapa.

Capim com guandu an√£o, capim com crotal√°ria, girassol com capim, capim com nabo forrageiro e niger. Esses s√£o alguns dos cons√≥rcios poss√≠veis de serem utilizados na segunda safra em Mato Grosso e que ser√£o apresentados aos participantes do 7¬ļ Dia de Campo sobre Sistemas Integrados de Produ√ß√£o Agropecu√°ria. O evento est√° com inscri√ß√Ķes abertas e ser√° realizado no pr√≥ximo dia 28, na Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop (MT). (mais…)

Agricultura paulista melhora seus índices graças às pesquisas!

terça-feira, outubro 25th, 2016
O setor canavieiro foi um dos temas mais pesquisados nos √ļltimos 30 anos pelas iniativas de pesuqisa apoiadas pela Fapesp - Imagem: Viralcool.

O setor canavieiro foi um dos temas mais pesquisados nos √ļltimos 30 anos pelas iniciativas de pesquisa apoiadas pela Fapesp – Imagem: Viralcool.

A Fapesp (Funda√ß√£o de Amparo √† Pesquisa do Estado de S√£o Paulo) avaliou como seus projetos de pesquisa tem contribu√≠do para melhorar a produtividade na agricultura paulista e os resultados n√£o poderiam ser mais animadores: a cada 1 real investido com recursos p√ļblicos nas √°reas de pesquisa, Educa√ß√£o Superior e transfer√™ncia de conhecimento (extens√£o rural), a agricultura do estado retorna para a economia uma m√©dia de 11,00 reais.

Segundo o Professor Paulo Fernando Cidade de Ara√ļjo, da Esalq/USP, os investimentos em pesquisa destinados √† agricultura devem estar inclusos da lista de prioridades do Governo Estadual, uma vez que seu retorno √© certo e contribui, e muito, para alavancar o PIB do estado. Paulo foi o coordenador do estudo.

O estudo pontua que a cada aumento de 10% nos gastos em pesquisa, nas suas diversas vertentes, resulta em quase 5% de incremento √† produtividade agropecu√°ria. (mais…)

Como aumentar a produtividade das pastagens em sistemas ILPF?

terça-feira, agosto 23rd, 2016
O desbate potencializa a produtividade das pastagens e serve como alternativa de renda para o produtor - Imagem: Simone Casagrande/Portal DBO.

O desbate potencializa a produtividade das pastagens e serve como alternativa de renda para o produtor – Imagem: Simone Casagrande/Portal DBO.

Uma das indica√ß√Ķes que responde a essa pergunta fica por contra da Embrapa Pecu√°ria Sudeste (S√£o Carlos/SP), que recomenda o desbaste parcial das √°rvores. Dessa forma, o desenvolvimento das pastagens n√£o fica comprometido pela baixa incid√™ncia solar.

Al√©m disso, o desbaste gera uma alternativa de renda ao produtor, que vende a madeira de variadas formas. Dependendo do tamanho, aproveita-se para mour√£o e t√°buas, al√©m de lenha para a produ√ß√£o de compostos org√Ęnicos. O sistema ILPF tem por base o aproveitamento m√°ximo do material, para que sempre agregue valor e renda ao produtor, pontua o pesquisador Jos√© Ricardo Pezzopane.

O planejamento deve ser o melhor amigo do produtor na implanta√ß√£o do sistema ILPF, uma vez que ele auxiliar√° no aproveitamento de seus componentes. Se o produtor opta por plantar eucaliptos, por exemplo, a explora√ß√£o da √°rvore acontece em dois momentos: o primeiro desbaste ap√≥s quatro ou cinco anos da implanta√ß√£o e o segundo, ap√≥s 10 anos. N√£o se deve, segundo o pesquisador, plantar um n√ļmero menor de √°rvores por hectare, mas sim plantar a quantidade ideal para sempre se manter a produtividade.

A indicação de Pezzopane é realizar o desbaste no período em que o gado necessita menos da área como no inverno, entre os meses de maio e junho, momento no qual o crescimento da pastagem é mínimo.

Já para a destoca (retirada do toco) a Embrapa recomenda a utilização de produtos a base de nitrogênio, que aceleram o processo de degradação do toco e são menos agressivos que a retirada por meio de máquinas. No segundo desbaste, já definitivo, a intenção é plantar novamente uma espécie de árvore, para manter o sistema silvipastoril permanente.

Fonte: Agrolink

Melhorando as pastagens

A pastagem √© um dos componente fundamentais do sistema ILPF. Ela precisa estar sempre viva para ajudar no desenvolvimento do rebanho. A√≠ cabe a pergunta: como potencializar sua sa√ļde?

A resposta é levando os benefícios da adubação verde para o campo!

Conheça o que a adubação verde faz pelas pastagens clicando aqui.

Para saber mais sobre todas as culturas beneficiadas pela adubação verde visite o site da nossa adubadora, Sementes Piraí.

 

Solos arenosos em debate no MS!

quarta-feira, junho 29th, 2016
Apresentação do Painel - Imagem: Silvia Z.Borges/Embrapa.

Apresentação do Painel РImagem: Silvia Z.Borges/Embrapa.

Durante a 52¬™ Expoagro o p√ļblico pode conferir de perto como a Fazenda S√£o Mateus, no Mato Grosso do Sul, cuida tanto de seus processos administrativos, quanto de seu solo. O painel “Intensifica√ß√£o sustent√°vel da produ√ß√£o em solos arenosos: Sistema S√£o Mateus – um caso de sucesso”, tamb√©m exponenciou detalhes do Programa Estadual Terra Boa, para recupera√ß√£o de pastagens degradadas no estado.

O Sistema S√£o Mateus √© fruto de uma parceria entre as Embrapas Agropecu√°ria Oeste e Gado de Corte, que alia lavoura e pecu√°ria atrav√©s da rota√ß√£o de culturas entre soja e pasto, pensado em seu pleno funcionamento em solos arenosos. A motiva√ß√£o para a pesquisa e o desenvolvimento do Sistema surgiu pela observa√ß√£o das oscila√ß√Ķes clim√°ticas, com per√≠odos de estiagem durante os meses chuvosos, associadas a solos arenosos e pastagens degradadas.

Entre alguns benefícios do Sistema está o melhoramento da qualidade físico-química do solo, favorecendo o aumento na produtividade e garantindo a presença de nutrientes na terra. Além disso, a palhada mantida para cobertura do solo proporciona a menor perda de água e amplitude térmica, permitindo que a água das chuvas não infiltre tantos os solos.

Outras regi√Ķes do estado j√° est√£o aderindo ao Sistema S√£o Mateus, principalmente em √°reas que tem como cultura principal as pastagens. Dessa forma, a regula√ß√£o do sistema hidrol√≥gico da √°rea, al√©m da cobertura, √© assegurada. Os resultados j√° observados do Sistema S√£o Mateus foram t√£o decisivos a ponto de ser considerado um dos nortes do “Programa Terra Boa”, que pretende recuperar e ou manter a capacidade produtiva de √°reas com pastagens degradadas ou com algum sinal de degrada√ß√£o, por meio de v√°rias frentes incluindo a capacita√ß√£o.

O Sistema apresentado bem como o “Programa Terra Boa” comprovam que quando pesquisa, tecnologia e pol√≠ticas p√ļblicas se unem em prol da sustentabilidade agr√≠cola, o retorno √© certeiro. Isso √© o Mato Grosso do Sul abrindo caminho para uma nova realidade produtiva, concedendo sua contribui√ß√£o para #adubarofuturo!

Fonte: Grupo Cultivar

Pastagens sustent√°veis, produtivas e econ√īmicas

Quer saber como deixar seu pasto com essas três qualidades? Adote a adubação verde!

A t√©cnica faz parte do Programa ABC, que visa recuperar 15 milh√Ķes de hectares de pastagens com redu√ß√£o da emiss√£o de CO2. Ela tamb√©m √© uma excelente op√ß√£o na recupera√ß√£o de √°reas degradadas, uma vez que condiciona a sa√ļde do solo, reativando seus aspectos qu√≠micos, f√≠sicos e biol√≥gicos. Pode ser utilizada tamb√©m na rota√ß√£o de culturas e na forma√ß√£o de palhada, como o texto acima pontua.

Quer saber quais esp√©cies de adubos verdes s√£o recomendadas para deixar sua pastagem “tinindo de boa”? Acesse o site da Sementes Pira√≠ e navegue pelo conte√ļdo destinado √†s pastagens e fa√ßa seu planejamento de recupera√ß√£o garantindo o futuro da sua propriedade.

 

Goi√°s mais sustent√°vel!

segunda-feira, junho 20th, 2016
A Oficina X foi uma das temáticas abordadas no evento. O objetivo é fortificar a fruticultura do Cerrado como opção viável de renda aos pequenos produtores - Imagem: Instituto Federal Goiano.

A Oficina Aproveitamento de Frutos do Cerrado na Culinária foi uma das temáticas abordadas no evento. O objetivo é fortificar a fruticultura do Cerrado como opção viável de renda aos pequenos produtores РImagem: Instituto Federal Goiano.

Um vez por ano, solu√ß√Ķes sustent√°veis para a incrementa√ß√£o da renda da agricultura familiar pairam sobre Goi√°s. Trata-se do evento Agro Centro-Oeste, que objetiva o encontro entre produtores e estudantes com mais 20 institui√ß√Ķes parceiras, buscando solu√ß√Ķes para o trabalho de pequenos e m√©dios produtores. Neste ano o encontro foi em Uruta√≠ e em 2017 ser√° na capital do estado, promovido pela UFG (Universidade Federal de Goi√°s).

A Emater é parceira do evento desde sua primeira edição. Neste ano, a realização foi assinada pelo Instituto Federal Goiano e as temáticas abordadas no formato de oficina foram: Filetagem de Peixe, Aproveitamento de Frutos do Cerrado na Culinária, Fruteiras do Cerrado e Recuperação de Pastagem com Utilização de Pastejo Rotacionado.

A oficina sobre filetagem de peixe teve como mote a demanda por capacitação e a criação de hábitos alimentares mais saudáveis entre a população através da criação da tilápia, peixe que apresenta maior adaptabilidade às características do estado, tornando-se a opção mais rentável para o investimento.

Já os trabalhos da oficina Aproveitamento de Frutos do Cerrado na Culinária expuseram o quão rico o Cerrado é no quesito alimentação e o quanto pode ser explorado sustentavelmente para incrementar a renda de pequenas produtores cooperados ou em assistência. Dentre os frutos destacados no evento, estavam o pequi e o baru.

Sustentabilidade também foi o carro-chefe das demais oficinas, Fruteiras do Cerrado e Recuperação de Pastagens com a Utilização do Pastejo Rotacionado, que respectivamente abordaram a adoção de práticas sustentáveis na fruticultura do Cerrado e os benefícios de dividir a área de pastagem, formando um ciclo altamente produtivo.

O evento, anualmente, fomenta a esperan√ßa da melhoria produtiva na agricultura familiar goiana, que apresenta como resultados novas possibilidades de produ√ß√£o, sustent√°vel e de forte impacto econ√īmico, que ajudam a #adubarofuturo de todos esses produtores.

Fonte: Goi√°s Agora

Força extra para a agricultura familiar

Falando em sustentabilidade, vamos falar daquela parceira 100% sustent√°vel e que confere maior rentabilidade com economia √†s pequenas e m√©dias produ√ß√Ķes?

Trata-se da aduba√ß√£o verde, t√©cnica agr√≠cola milenar que revigora e recupera os aspectos qu√≠micos, f√≠sicos e biol√≥gicos do solo, devolvendo sua m√°xima capacidade produtiva, podendo ser aplicada em diversas culturas como hortali√ßas ou org√Ęnicos.

Quer saber mais? Acesse a loja online de sementes para adubação verde EcoSeeds, se informe e inicie a guinada sustentável na sua produção!

Tocantins se aproxima das tecnologias sustent√°veis!

sexta-feira, maio 27th, 2016
O 2¬ļ Dia de Campo em Almas/TO apresentou os benef√≠cios resultados do Plano ABC no Sistema ILPF e na recupera√ß√£o de pastagens degradadas - Imagem: Cl√™nio Ara√ļjo/Embrapa.

O 2¬ļ Dia de Campo em Almas/TO apresentou os benef√≠cios do Plano ABC no Sistema ILPF e na recupera√ß√£o de pastagens degradadas – Imagem: Cl√™nio Ara√ļjo/Embrapa.

O m√™s de abril serviu para que o Tocantins apresentasse aos agricultores, t√©cnicos e demais profissionais ligados √† produ√ß√£o agr√≠cola, as tecnologias sustent√°veis aplicadas √† agricultura, bem como seus resultados. Uma mostra dessas a√ß√Ķes aconteceu durante o 2¬ļ Dia de Campo e tamb√©m na 1¬™ Feira Agrotecnol√≥gica, ambos realizados no munic√≠pio de Almas.

As duas oportunidades s√£o vinculadas ao Plano ABC (Agricultura de Baixo Carbono), que atua no estado transferindo as tecnologias propostas por meio da capacita√ß√£o continuada. A partir da√≠, os t√©cnicos formados s√£o os respons√°veis pela implanta√ß√£o das Unidades de Refer√™ncia Tecnol√≥gica (URT’s), que levam tanto as tecnologias da Embrapa Pesca e Aquicultura, quanto as atividades sustent√°veis para os sistemas agr√≠colas localizados na regi√£o do Matopiba pertencente ao estado.

O Dia de Campo, em especial, apresentou aos produtores como o Sistema ILPF (Integração Lavoura-Pecuária-Floresta) e a recuperação de pastagens degradadas tem melhorado a atividade pecuária de corte. O trabalho da URT, que iniciou-se na safra 13/14, já demonstra seus resultados com boa parte de pastagens recuperadas e a intensificação da atividade produtiva.

O evento foi uma realiza√ß√£o do Ruraltins, da Embrapa e da Fazenda La√ßo de Ouro. A inten√ß√£o √© realizar ao longo do ano outros “Dias de Campo”, apresentando as demais tecnologias inclusas no Plano ABC e seus resultados j√° observados. Com certeza, iniciativas como essa ajudam a #adubarofuturo da produ√ß√£o agr√≠cola tocantinense, implicando em mais sustentabilidade e colhendo mais produtividade.

Fonte: Conex√£o Tocantins.

Adubação Verde e a sustentabilidade produtiva

Você sabia que a adubação verde é uma tecnologia inclusa no Plano ABC? E que você pode incluí-la em sua lavoura por meio do Sistema ILPF, recuperação de áreas degradadas, rotação de culturas ou no Sistema Plantio Direto?

Pois bem, essa t√©cnica agr√≠cola milenar pode fazer a diferen√ßa no solo, reavivando/melhorando seus aspectos f√≠sicos, qu√≠micos e biol√≥gicos, devolvendo sua sa√ļde produtiva de forma sustent√°vel e econ√īmica.

Para saber como implantar a aduba√ß√£o verde na sua produ√ß√£o basta acessar o site da nossa adubadora Sementes Pira√≠, se informar com conte√ļdos exclusivos dedicados a cada cultura atendida e desta forma, se credenciar para ser um produtor adubador do futuro! N√£o perca essa chance de plantar sustentabilidade e colher rentabilidade na sua produ√ß√£o.

 

 

 

 

Sistema de produção: Recuperação e renovação de áreas de pastagens degradadas

terça-feira, maio 24th, 2016
O Sistema ILPF atuando na recuperação de pastagens é um dos destaques do evento - Imagem: Kadijah Suleiman/Embrapa.

O Sistema ILPF atuando na recuperação de pastagens é um dos destaques do evento РImagem: Kadijah Suleiman/Embrapa.

Convidamos, a pedido da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, atrav√©s da APTA/ P√≥lo Regional Centro Sul e CATI Regional de Piracicaba, para o evento ‚ÄúSistema de produ√ß√£o: Recupera√ß√£o e renova√ß√£o de √°reas de pastagens degradadas‚ÄĚ, no pr√≥ximo dia 30 de maio em Tiet√™-SP. O local do evento √© a APTA REGIONAL CENTRO SUL/ UPD Tiete, localizada na Rod. Corn√©lio Pires, KM 69.

Como p√ļblico-alvo os produtores e t√©cnicos Regional da CATI EDR Piracicaba, o evento tem como objetivo apresentar o Sistema de Integra√ß√£o Lavoura-Pecu√°ria- Floresta (ILPF) na promo√ß√£o da recupera√ß√£o de √°reas degradadas, agregando na mesma √°rea produtiva, diversos sistemas como gr√£os, leite e agroenergia. O sistema tamb√©m promove a melhoria da fertilidade do solo, com a aplica√ß√£o de t√©cnicas pertinentes e promove a recupera√ß√£o de √°reas de pastagens degradadas.

Outros benefícios a serem destacados no evento são: a redução no uso de agroquímicos, o aumento da biodiversidade e o controle dos processos erosivos, por meio da cobertura constante do solo. O sistema plantio direto também será exponenciando como prática conservacionista aliada ao ILPF, constituindo uma importante opção para elevar a produtividade em áreas degradadas.

Ao todo, o p√ļblico presente contar√° com oito horas de evento. O total de vagas s√£o 100 e voc√™ pode saber mais, bem como efetuar sua inscri√ß√£o atrav√©s destes canais:

E-mail: eventos.centrosul@apta.sp.gov.br
Fone: (015) 3282-1000

________________________________________________________________________

Recuperar áreas degradadas com adubação verde

Quer saber como recuperar aquela √°rea j√° exausta de produ√ß√Ķes consecutivas ou que apresentam sinais de degrada√ß√£o como a eros√£o?

Acesse o site da nossa adubadora, Sementes Pira√≠, e tenha acesso ao universo da aduba√ß√£o verde, informando-se sobre os benef√≠cios, aplica√ß√Ķes, dados t√©cnicos e uso em cada tipo de cultura comercial.

Se credencie para ser um adubador do futuro, o agricultor que produz mais e com sustentabilidade!

 

Cultura da cana-de-a√ß√ļcar ajuda a #adubarofuturo dos solos!

terça-feira, maio 24th, 2016
Imagem: Baita Profissional (Blog).

Imagem: Baita Profissional (Blog).

Quando se fala em #adubarofuturo agr√≠cola, loga nos vem em mente t√©cnicas sustent√°veis de produ√ß√£o, que minimizem ou extingam o uso de agrot√≥xicos e colaborem com a sa√ļde do solo e do meio ambiente como um todo.¬† Por√©m, o exemplo de hoje fica por conta da pr√≥pria cultura, no caso a canavieira. A utiliza√ß√£o de t√©cnicas corretas de manejo, do plantio √† colheita, promovem o enriquecimento dos aspectos f√≠sicos do solo, o que provoca maior fertilidade e maior armazenamento de CO2.

Tais afirma√ß√Ķes s√£o provenientes de estudos da Embrapa, que apontaram a substitui√ß√£o de pastagens degradadas pela cultura da cana, promovendo maior estoque de carbono no solo, variando de cinco a dezoito toneladas por hectare, considerando a profundidade de no m√°ximo trinta cent√≠metros. Segundo o consultor ambiental da Uni√£o da Ind√ļstria de Cana-de-A√ß√ļcar (UNICA), Andr√© Elia, tais pontua√ß√Ķes s√£o de fundamental import√Ęncia para amenizar as emiss√Ķes de CO2 na agricultura.

Os subprodutos da cana, como a vinha√ßa, contribuem para o crescimento sadio da planta, pois s√£o ricos em nutrientes e mat√©ria org√Ęnica. O manejo sustent√°vel, do plantio √† colheita, e o aproveitamento dos recursos h√≠dricos provenientes das usinas para a irriga√ß√£o dos canaviais fazem parte do processo de recupera√ß√£o de solos degradados, aparecendo como alternativa extremamente vi√°vel para a sustentabilidade produtiva da cultura.

Todas essas conclus√Ķes est√£o dispostas no “Boletim de Conserva√ß√£o do Solo e da √Āgua da Cultura da Cana-de-a√ß√ļcar”, documento da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de S√£o Paulo que indica recomenda√ß√Ķes para o setor canavieiro sobre novas t√©cnicas de conserva√ß√£o do solo. O documento final dever√° ser apresentado em junho.

Fonte: Portal Cana Online.

Canavial ainda mais sustent√°vel

Produtor, quer saber como incluir ainda mais sustentabilidade na sua cultura?

Simples! Basta acessar o Canaviável, site da Sementes Piraí destinado exclusivamente à cultura da cana.

L√° voc√™ encontra informa√ß√Ķes de como implementar a aduba√ß√£o verde no processo de reforma ou implanta√ß√£o dos canaviais, consultar agr√īnomos especializados no assunto e dessa forma, se credenciar como adubador do futuro, provendo produ√ß√Ķes mais sustent√°veis, de alta qualidade e rentabilidade e gastando muito pouco para isso.

Acesse hoje mesmo: http://www.canaviavel.com.br

 

Adubação verde eleva a capacidade produtiva do solo

segunda-feira, maio 23rd, 2016
Adubo verde na Tecnofam 2016 - Imagem: Sílvia Z. Borges/Embrapa.

Adubo verde na Tecnofam 2016 РImagem: Sílvia Z. Borges/Embrapa.

Elevar a capacidade produtiva do solo, com baixo custo, √© um dos desafios em pequenas propriedades. Uma das pr√°ticas agr√≠colas que ajudam a enfrentar esse desafio, √© a aduba√ß√£o verde em rota√ß√£o de cultura ou em cons√≥rcio entre adubos verdes (leguminosas e gram√≠neas). O sistema radicular mais profundo dos adubos verdes condiciona o solo para que a cultura de atividade econ√īmica explore melhor os nutrientes e a √°gua do solo.

Os adubos verdes que s√£o gram√≠neas a exemplo do sorgo forrageiro e milheto, e dicotiled√īneas, como o girassol, formam a palhada que cobrem o solo; e os que s√£o leguminosas, caso da crotal√°ria, mucuna, guandu, feij√£o-de-porco, produzem biomassa e fornecem maior aporte de nitrog√™nio √† cultura.

Quem passou pela Tecnofam 2016, evento de tecnologias e conhecimentos para agricultura familiar realizado de 11 a 13 de maio na Embrapa Agropecu√°ria Oeste, p√īde conhecer os benef√≠cios dos adubos verdes com os pesquisadores da Embrapa: Alberto Feiden, da Embrapa Pantanal, e Cesar Jos√© da Silva, da Embrapa Agropecu√°ria Oeste.

A pr√°tica da aduba√ß√£o verde promove a cobertura do solo, aumenta a umidade, a ciclagem de nutrientes e a din√Ęmica dos microorganismos no solo que ajudam a combater nematoides e doen√ßas do solo. Al√©m disso, os adubos verdes abrigam inimigos naturais a atraem polinizadores e insetos ben√©ficos como predadores de pragas.

Segundo Silva, o processo de eleva√ß√£o da capacidade produtiva do solo com a aduba√ß√£o verde exige alguns anos de boas pr√°ticas culturais. Por isso, a recomenda√ß√£o √© que a aduba√ß√£o verde seja associada a outras pr√°ticas, como calagem e gessagem, adubos org√Ęnicos a partir de dejetos de animais que t√™m alta concentra√ß√£o de nutrientes dispon√≠veis (esterco de aves, bovinos e su√≠nos). “Se o produtor adotar essas pr√°ticas, a aduba√ß√£o mineral complementar ser√° em doses menores, reduzindo o custo de produ√ß√£o.”

Os adubos verdes tamb√©m servem como suplementa√ß√£o alimentar animal. O guandu, adubo verde semiperene, √© usado para feno ou fresco no cocho por meio de podas; a cartilha, esp√©cie perene, possui excelente palatabilidade – que, segundo Silva a Agraer tem estimulado os agricultores a plantarem ‚Äď ou para adubar nas entrelinhas; e gram√≠neas forrageiras para cobertura de solo e forragem.

A rota√ß√£o de culturas pode ser feita dividindo a √°rea em pequenas partes, intercalando as culturas ao longo do tempo. Uma dica para iniciar a pr√°tica de aduba√ß√£o verde exclusivamente ou em cons√≥rcio √© escolher uma √°rea com baixa quantidade de mat√©ria org√Ęnica ou com problemas de pragas de solo, de plantas daninhas ou ainda na √°rea mais distante da propriedade, onde √© mais dif√≠cil de se chegar com dejetos de animais que s√£o usados tamb√©m como adubos. “√Ä medida que a √°rea com problema √© recuperada com a aduba√ß√£o verde, o agricultor pode expandir a pr√°tica agr√≠cola”, afirma o pesquisador Cesar Jos√© da Silva.

A pr√°tica da aduba√ß√£o verde promove a cobertura do solo, aumenta a umidade, a ciclagem de nutrientes e a din√Ęmica dos microorganismos no solo que ajudam a combater nematoides e doen√ßas do solo. Al√©m disso, os adubos verdes abrigam inimigos naturais a atraem polinizadores e insetos ben√©ficos como predadores de pragas.

Calc√°rio como auxiliar

“Boa parte do solo brasileiro √© levemente √°cida. Para elevar o PH, a forma mais barata de se fazer essa corre√ß√£o do solo √© com o calc√°rio, que √© proporcionalmente barato em rela√ß√£o a outros produtos existentes no mercado. Ainda hoje muitos produtores da agricultura familiar n√£o t√™m essa pr√°tica para corrigir o solo”, disse o pesquisador da Embrapa Agropecu√°ria Oeste, Rodrigo Arroyo, na Mostra de Tecnologias da Tecnofam 2016.

Ele explica que o calc√°rio ajuda no crescimento da raiz e da parte a√©rea da planta e a pr√°tica √© recomendada para todas as culturas agr√≠colas, como milho, feij√£o e mandioca. “Isso significa que nos anos de d√©ficit h√≠drico, como nos veranicos, v√£o explorar melhor o solo, absorvendo os nutrientes”.

Para saber a quantidade a ser aplicada no solo, √© necess√°rio coletar uma amostra de solo. A coleta da amostra deve ser feita em zigue-zague para representar bem a √°rea – “uma amostra por hectare √© suficiente” – ¬†e essa amostra levada a um laborat√≥rio. “O custo da an√°lise √© relativamente baixo e se paga com o aumento da produ√ß√£o que a calagem proporciona”, diz o pesquisador.

A compara√ß√£o do desenvolvimento da raiz em solo corrigido e em um solo sem corre√ß√£o foi demonstrado por um equipamento de an√°lise de ra√≠zes chamado rizotron. “O que o agricultor familiar consegue ver √© o que ele acredita. E o rizotron mostra a √°rea do solo onde o produtor n√£o enxerga. Essa forma did√°tica √© fant√°stica”, diz Genivaldo Schlick, diretor de ensino do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul, regional de Ponta Por√£, que estava no segundo dia da Tecnofam.

Tecnofam 2016

Muitas das tecnologias que est√£o sendo demonstradas a campo t√™m origem na Embrapa Agropecu√°ria Oeste e em outras Unidades da Embrapa: Algod√£o, Amaz√īnia Ocidental, Arroz e Feij√£o, Gado de Corte, Gado de Leite, Hortali√ßas, Instrumenta√ß√£o, Mandioca e Fruticultura, Meio Norte, Milho e Sorgo, Pantanal, Su√≠nos e Aves, Tabuleiros Costeiros. Tamb√©m t√™m tecnologias desenvolvidas pela Agraer, Uems, UFGD e de empresas expositoras.
A realização do evento é da Embrapa, Agraer, Sepaf, Senar/MS e Prefeitura Municipal de Dourados, através da Secretaria Municipal de Agricultura Familiar e Economia Solidária (Semafes).
_______________________________________________________________________
Obs: O texto de hoje √© uma reprodu√ß√£o integral do excerto da jornalista S√≠lvia Zoche Borges, MTb-MG 08223JP, do N√ļcleo de Comunica√ß√£o Organizacional (NCO) da Embrapa Agropecu√°ria Oeste /Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecu√°ria (Embrapa). Agradecemos e creditamos a Silvia todo o conte√ļdo textual e imag√©tico postado acima.
_______________________________________________________________________
Conheça a adubação verde
A matéria acima mencionou algumas espécies de adubos verdes, que nós convidamos para que você conheça melhor no site da nossa adubadora, Sementes Piraí.
Veja:

Para saber como a adubação verde auxilia no controle dos nematoides, acesse aqui.

 

Redução dos Gases de Efeito Estufa na agropecuária: qual caminho seguir?

sexta-feira, abril 1st, 2016
Mitigar a redução dos GEEs pela agropecuária é condição fundamental para a sustentabilidade da atividade e do meio ambiente - Imagem: Danilo Moreira/Embrapa.

Mitigar a redução dos GEEs pela agropecuária é condição fundamental para a sustentabilidade da atividade e do meio ambiente РImagem: Danilo Moreira/Embrapa.

Em 16 de mar√ßo comemorou-se o Dia Nacional da Conscientiza√ß√£o sobre Mudan√ßas Clim√°ticas. Data melhor n√£o haveria para a Embrapa pontuar quais caminhos podem ser percorridos pela agropecu√°ria para reduzir as emiss√£o dos gases de efeito estufa (GEE). √Č sabido que os GEEs tem liga√ß√£o direta com as altera√ß√Ķes no clima das √ļltimas d√©cadas.

A instituição tem trabalhado junto de alguns parceiros para medir a emissão dos GEEs pela agropecuária no país. A ação consegue pontuar de maneira exata a situação em cada bioma, facilitando a proposição e futura adoção de medidas específicas.

Algumas preliminares foram apresentadas pela Embrapa Pecu√°ria Sudeste, localizada em S√£o Carlos/SP. Todo o esfor√ßo √© resultado de a√ß√Ķes conjuntas com institui√ß√Ķes at√© do exterior. Em suma, a integra√ß√£o lavoura-pecu√°ria-floresta aparece como tecnologia efetiva para reduzir os impactos da atividade pecu√°ria no clima, por sequestrar eficazmente o carbono. A t√©cnica tamb√©m agrega outros benef√≠cios: permite o cons√≥rcio de animais, demais culturas agr√≠colas e √°rvores, o que colabora para a diversifica√ß√£o de renda.

Outras tecnologias pontuadas são a recuperação de áreas degradadas, as boas práticas em manejo animal e vegetal e o bem-estar do rebanho. Esses apontamentos são resultados de pesquisas e desenvolvimentos científicos de anos, aprimorados constantemente para a construção de uma agropecuária sustentável.

Todos os progressos são muito bem-vindos haja visto que daqui três anos, sediaremos a sétima edição do Greenhouse Gas and Animal Agriculture Conference (GGAA РCongresso sobre Gases de Efeito Estufa e Agropecuária), um dos grandes eventos sobre o tema. Foz do Iguaçu/PR foi a cidade escolhida para ser a sede do GGAA, que ainda não teve sua data divulgada.

Esperamos at√© l√°, termos avan√ßado substancialmente em tecnologia produtiva a favor da sustentabilidade e mais do que isso, progredido com a conscientiza√ß√£o de mais e mais produtores, para quem adotem em suas pastagens a√ß√Ķes que mitiguem a emiss√£o dos GEEs. Isso sim, ser√° #adubarofuturo da pecu√°ria!

Fonte: Agrolink

Adubação Verde e baixa emissão de carbono

Voc√™ sabia que a aduba√ß√£o verde √© uma tecnologia que ajuda na redu√ß√£o dos GEEs e que est√° inclusa no Programa ABC (Agricultura de Baixo Carbono)? – Pois bem, ela pode ser aplicada em diversas situa√ß√Ķes, inclusive colaborando com a recupera√ß√£o de √°reas degradadas.

Visto isso, que tal saber como a adubação verde age nessa tarefa verde?

Acesse o site da Sementes Piraí, conheça os benefícios da técnica e como ela é implantada em diversas culturas, incluindo as pastagens. Se informar é o primeiro passo para reverter práticas corrosivas à uma atividade agrícola sustentável!

 

MS d√° start ao projeto Carbono Neutro!

quinta-feira, março 31st, 2016
A ação de recuperação de áreas degradadas é um aporte ao Projeto Estado Carbono Neutro - Imagem: Google.

A ação de recuperação de áreas degradadas é um aporte ao Projeto Estado Carbono Neutro РImagem: Google.

A 11¬™ edi√ß√£o da Dinapec marcou a assinatura da Declara√ß√£o de Interesses, que vai nortear t√©cnica e metodologicamente a estrutura√ß√£o e desenvolvimento do Projeto Estado Carbono Neutro, iniciativa do governo estadual de Mato Grosso do Sul, juntamente com entidades e institui√ß√Ķes agr√≠colas. O primeiro setor a ser beneficiado pelo projeto ser√° a pecu√°ria.

O Projeto √© uma a√ß√£o complementar ao trabalho de recupera√ß√£o de pastagens degradadas (que n√≥s j√° mencionamos aqui), que conjuntamente objetiva firmar o MS como o primeiro estado carbono neutro. Para desempenhar o trabalho que est√° por vir, o governo estadual conta a expertise da Embrapa e da WRI (esta √ļltima por conta da metodologia de c√°lculos sobre neutraliza√ß√£o de carbono).

O prazo para contabilizar todo o trabalho do Projeto Carbono Neutro são 60 meses, mesmo tempo que o governo deseja estar incluso na zona de carbono zero. Com isso, ganha o setor pecuarista que vai poder aprimorar as atividades nas mesmas áreas já produtivas, impactando positivamente o meio ambiente em vários aspectos: recuperação de áreas degradadas, preservação do solo e lançamento zero de carbono na atmosfera.

Depois da pecu√°ria, o Projeto Estadual Carbono Neutro sai da zona agro para trabalhar em ind√ļstrias e em emiss√Ķes urbanas, contribuindo para #adubarofuturo e sagrar o MS como estado carbono zero!

Fonte: Campo Grande News.

Sustentabilidade para todo gosto

Se você é pecuarista e deseja recuperar áreas degradadas ou contribuir para a baixa emissão de carbono e até quem sabe, pretende alcançar esses dois objetivos, apresentamos uma solução sustentável para todos os propósitos, a adubação verde.

A t√©cnica regenera a sa√ļde produtiva do solo, recuperando seus aspectos f√≠sicos, qu√≠micos e biol√≥gicos, devolvendo sua capacidade e potencialidade de forma sustent√°vel, rent√°vel e econ√īmica.

Para saber mais sobre os benefícios da adubação verde, visite o site da nossa adubadora, a Sementes Piraí e tome conhecimento de como levar a técnica à sua pastagem. Seja mais um integrante do setor agrícola a #adubarofuturo!

Qualificação em boas práticas agropecuárias!

quinta-feira, março 17th, 2016
Crédito da Imagem: Divulgação.

O convênio firmado entre o Mapa e a Epamig vai beneficiar a cadeia leiteira РImagem: Divulgação.

Uma parceria firmada entre o Minist√©rio da Agricultura, Pecu√°ria e Abastecimento (Mapa) e a Empresa de Pesquisa Agropecu√°ria de Minas Gerais (Epamig), em forma de conv√™nio, vai #adubarofuturo do setor leiteiro no pa√≠s. A a√ß√£o conjunta vai formar t√©cnicos com qualifica√ß√£o em boas pr√°ticas agr√≠colas, visando a implanta√ß√£o de tais a√ß√Ķes em empresas do setor. Isso ser√° feito como contrapartida para a recupera√ß√£o de cr√©ditos do PIS/Cofins.

O movimento √© mais um passo do programa Leite Saud√°vel, lan√ßado em setembro √ļltimo pelo Mapa. Durante 36 meses, a institui√ß√£o mineira receber√° aporte total de meio milh√£o de reais do Governo. Esse valor ser√° dividido em duas frentes: cem mil reais para a cria√ß√£o do Centro de Refer√™ncia na Produ√ß√£o de Gado Leiteiro a Pasto, unidade da Epamig em Felixl√Ęndia/MG e o restante, quatrocentos mil reais, vai custear as atividades do conv√™nio para as capacita√ß√Ķes. A empresa ainda calcula quantos novos t√©cnicos ser√£o qualificados nos dois anos de atividade.

Já a recuperação de créditos PIS/Cofins, regulamentada em outubro passado, determina que o setor agroindustrial leiteiro recupere metade da contribuição do PIS/Cofins (atualmente de 9,25%) sobre a venda do leite in natura. Para tanto, as empresas devem destinar 5% desse recurso na adoção de boas práticas agropecuárias junto aos seus fornecedores, em formato de qualificação.

A inten√ß√£o √© aumentar a demanda de mercado por t√©cnicos especializados no setor e qualificado em boas pr√°ticas agropecu√°rias. Ganham as ind√ļstrias leiteiras, ganham os futuros t√©cnicos e ganha a economia, que girar√° sua roda com mais qualidade e sustentabilidade!

Fonte: Agrolink.

Falando em boas pr√°ticas agropecu√°rias…

O leite de qualidade chega √†s ind√ļstrias leiteiras se as vacas conseguem se alimentar de forma qualitativa e o pasto implica e muito em uma boa produ√ß√£o, em alguns casos.

J√° que falamos de pasto, hora de apresentar o que pode favorecer a sa√ļde da pastagem de forma econ√īmica e sustent√°vel: a aduba√ß√£o verde.

A técnica, inclusa no Programa ABC, utiliza os adubos verdes para potencializar ou recuperar as propriedades físicas, químicas e biológicas da terra, implicando em maior produtividade. No caso da pastagens, grama mais nutritiva.

Quer saber mais? Acesse o conte√ļdo sobre pastagens e aduba√ß√£o verde no site da Sementes Pira√≠ e entre para o time dos adubadores do futuro!