Posts Tagged ‘Embrapa’

Monitoramento de pragas mode on

sexta-feira, dezembro 15th, 2017

novaspragas_mapa_sementespirai

O MAPA (Minist√©rio da Agricultura, Pecu√°ria e Abastecimento) j√° est√° com o radar bem ligado em poss√≠veis pragas que podem assolar nossas culturas. Num √ļltimo levantamento, h√° indicativos de 500 pragas – entre v√≠rus, fungos, insetos e ervas daninhas – que j√° est√£o presentes no mundo, mas n√£o chegaram em terras brasileiras.

20 delas j√° s√£o monitoradas pelo Minist√©rio junto com a Embrapa, objetivando a√ß√Ķes mais pontuais de conten√ß√£o, vigil√Ęncia e pesquisa. Entre elas est√£o: o fungo Moniliophthora Roreri, que prejudica os frutos do cacaueiro; o inseto Cydia Pomonella, que tem por alvo as macieiras; e o Candidatus Phytoplasma Palmae, fitoplasma que provoca o amarelecimento letal do coqueiro. (mais…)

No Dia Mundial do Solo, Brasil lan√ßa o mapa de carbono org√Ęnico do solo

terça-feira, dezembro 5th, 2017
Uma das vers√Ķes preliminares do Mapa, de 2015 - Imagem: Embrapa

Uma das vers√Ķes preliminares do Mapa, de 2015 – Imagem: Embrapa

Para celebrar o dia 05 de dezembro, Dia Mundial do Solo, nada melhor que contribuir para a informa√ß√£o do produtor sobre a composi√ß√£o de seu solo. Pensando isso, a Embrapa Solos lan√ßa hoje o Mapa digital de Carbono Org√Ęnico do solo, na profundidade de 0-30cm. O trabalho junta a modelagem matem√°tica e os conhecimentos pr√°ticos de campo, visando contribuir para a conserva√ß√£o dos recursos naturais nos mais diversos programas mantidos no pa√≠s.

O Programa ABC (Agricultura de Baixa Emiss√£o de Carbono) do MAPA – Minist√©rio da Agricultura, Pecu√°ria e Abastecimento √© um dos contemplados pelo trabalho, utilizando-o para melhor orientar as a√ß√Ķes de redu√ß√£o de emiss√£o dos gases de efeito estufa. O Mapa de Carbono Org√Ęnico captou informa√ß√Ķes sobre o solo, relevo, clima e vegeta√ß√£o, unindo-os aos m√©todos matem√°ticos para inferir com maior precis√£o as informa√ß√Ķes em locais n√£o medidos, como o estoque de carbono no solo. (mais…)

Artigo РPlantas de cobertura: O que é isto?

sexta-feira, novembro 10th, 2017

 ______________________________________________________

Obs: O texto de hoje √© uma reprodu√ß√£o integral do excerto de Fernando Mendes Lamas, da Embrapa Agropecu√°ria Oeste. Agradecemos e creditamos ao Fernando todo o conte√ļdo textual postado abaixo.

Fernando Mendes Lamas (.)
Embrapa Agropecu√°ria Oeste

_______________________________________________________

Cr√©dito da Imagem: Clenio Ara√ļjo.

Cr√©dito da Imagem: Clenio Ara√ļjo.

Como o nome j√° diz, as plantas de cobertura t√™m a finalidade de cobrir o solo, protegendo-o contra processos erosivos e a lixivia√ß√£o de nutrientes, por√©m n√£o se limitando a isso, j√° que muitas s√£o usadas para pastoreio, produ√ß√£o de gr√£os e sementes, silagem, feno e como fornecedoras de palha para o sistema de plantio direto. T√£o importante quanto a parte a√©rea das plantas de cobertura, s√£o as ra√≠zes das mesmas. Os efeitos das ra√≠zes na produtividade agr√≠cola, ainda s√£o pouco reconhecidos, embora seja sabido sobre sua import√Ęncia na constru√ß√£o do perfil do solo.

(mais…)

Tecnologia que ajuda no manejo

quarta-feira, novembro 8th, 2017

tecnologia_agropecuaria

Pensar em como a tecnologia beneficia a agricultura perpassa a nossa capacidade de imaginação com tantas possibilidades. Mas, saindo do plano abstrato e caminhando para o concreto trazemos hoje mais um exemplo que já está acontecendo. A Embrapa lançou ontem, durante o Semiárido Show, um aplicativo disponível gratuitamente na Play Store que ajudará os produtores pecuários no manejo de forrageiras.

O or√ßamento forrageiro, pr√°tica muito comum na agricultura, sempre foi executado “no bra√ßo”, por meio de planilhas. O aplicativo ent√£o chega para atualizar essa tipo de servi√ßo, acompanhando a demanda mais √°gil pelos c√°lculos que orientam o produtor na tomada de decis√£o, explica Ana Clara Cavalcante, pesquisadora da √°rea na Embrapa Caprinos e Ovinos. (mais…)

Por que utilizar plantas de cobertura no sistema soja-milho-algod√£o?

segunda-feira, setembro 25th, 2017

plantascobertura_algodoeiro_sementespirai

A resposta para essa pergunta de bate-pronto seria economia. Sim, economia! A Embrapa Algodão vem estudando a incorporação de plantas de cobertura nesse sistema de plantio e indica que a redução de custos pode chegar até 200 dólares por hectare plantado. Transformando em reais, a economia passaria de R$600,00. Isso porque a adoção de plantas de cobertura diminui o uso de fertilizantes, defensivos e nutrientes.

Alexandre Cunha de Barcellos Ferreira, pesquisadora da Embrapa, pontua que o desenvolvimento das plantas de cobertura acaba competindo com o das ervas daninhas. (mais…)

27 de Abril – Dia da Caatinga

quinta-feira, abril 27th, 2017

dia_da_caatinga_adubarofuturo_blog

No Dia da Caatinga partilhamos a boa not√≠cia de que o governo liberou quase tr√™s milh√Ķes para recuperar esse bioma! A Embrapa ser√° respons√°vel pelas a√ß√Ķes, que v√£o usar o Sistema de Integra√ß√£o Lavoura-Pecu√°ria-Floresta (ILPF), como forma de estimular a produ√ß√£o nas unidades agr√≠colas.

Fonte: Portal Brasil

Dia de campo mostrará alternativas de consórcios para segunda safra

segunda-feira, abril 17th, 2017

___________________________________________________________________

Obs: O texto de hoje √© uma reprodu√ß√£o integral do excerto de Gabriel Faria, da Embrapa Agrossilvipastoril.¬†Agradecemos e creditamos ao Gabriel todo o conte√ļdo textual postado abaixo.

Gabriel Faria (mtb 15.624/MG JP)
Embrapa Agrossilvipastoril
agrossilvipastoril.imprensa@embrapa.br
Telefone: (66) 3211-4227

____________________________________________________________________

Crédito da Imagem: Site - Embrapa.

Crédito da Imagem: Site РEmbrapa.

Capim com guandu an√£o, capim com crotal√°ria, girassol com capim, capim com nabo forrageiro e niger. Esses s√£o alguns dos cons√≥rcios poss√≠veis de serem utilizados na segunda safra em Mato Grosso e que ser√£o apresentados aos participantes do 7¬ļ Dia de Campo sobre Sistemas Integrados de Produ√ß√£o Agropecu√°ria. O evento est√° com inscri√ß√Ķes abertas e ser√° realizado no pr√≥ximo dia 28, na Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop (MT). (mais…)

Código Florestal, o site que ajuda a #adubarofuturo!

terça-feira, setembro 6th, 2016
Imagem: Código Florestal (hot site).

Imagem: Código Florestal (hot site).

Voc√™ deve ter estranhado a men√ß√£o de “C√≥digo Florestal” como um site, n√£o? Mas √© isso mesmo! Desde o √ļltimo dia 27 a Embrapa colocou online um novo site que re√ļne estrat√©gias de recupera√ß√£o, cat√°logos de esp√©cies e contatos de fornecedores de mudas e sementes. Tal ferramenta foi batizada de “C√≥digo Florestal: contribui√ß√Ķes para adequa√ß√£o ambiental da paisagem rural” e apresenta todas as a√ß√Ķes desenvolvidas pela Embrapa e seus parceiros no tocante √† prote√ß√£o vegetal.

Al√©m disso, o site mostra de forma l√ļdica a Lei de Prote√ß√£o da Vegeta√ß√£o Nativa – legisla√ß√£o que ficou conhecida como novo “C√≥digo Florestal”. O conte√ļdo re√ļne v√°rias tem√°ticas como as experi√™ncias em restaura√ß√£o, as boas pr√°ticas agropecu√°rias, a indica√ß√£o das esp√©cies nativas por biomas, os viveiros de produ√ß√£o de sementes e mudas, as solu√ß√Ķes tecnol√≥gicas e compila as publica√ß√Ķes da Embrapa e demais institui√ß√Ķes.

Cada aba do site possui abordagens que variam da mais b√°sica a mais complexa, norteando o passo-a-passo de cada a√ß√£o que o produtor desejar fazer. (mais…)

Qualcomm e Embrapa fecham parceria para o uso de drones!

quinta-feira, agosto 18th, 2016
A parceria entre Embrapa e Qualcomm quer produzir drones d baixo usto aqui mesmo no páis - Imagem: Divulgação - Agrishow /Revista Globol Rural

A parceria entre Embrapa e Qualcomm quer produzir drones de baixo custo aqui no país РImagem: Divulgação РAgrishow /Revista Globo Rural

Hoje retratamos mais um exemplo de como a tecnologia pode beneficiar o desenvolvimento sustentável da agricultura. A Embrapa fechou, no final de junho, uma parceria com a Qualcomm (empresa líder mundial em tecnologias móveis) para potencializar o uso de drones na agricultura. O objetivo é automatizar alguns processos da atividade, minimizando seu impacto ambiental.

Para a Embrapa essa parceria tem muito a acrescentar no desenvolvimento da atividade agrícola, uma vez que a tecnologia dos drones poderá melhor gerenciar a propriedade, identificar pragas e doenças, evitar o uso excessivo de agroquímicos, barateando assim o custo dos processos produtivos e ajudando o meio ambiente.

O uso de drones permitir√° ao produtor monitorar sua propriedade em tempo real. Rafael Steinhauser, presidente da Qualcomm, conta que o drone possui uma c√Ęmera que registra as imagens, logo elas s√£o processadas e enviadas ao smartphone ou tablet do produtor. Isso vai agilizar o trabalho de preven√ß√£o, controle ou acompanhamento da lavoura.

Por√©m, toda essa maravilha ainda precisa passar por alguns ajustes para chegar ao campo e o primeiro deles √© tornar o equipamento mais acess√≠vel, em termos financeiros, ao produtor rural. Para isso, a parceria entre as empresas prev√™ a redu√ß√£o de custos, fabricando os drones aqui no pa√≠s. Depois dessa a√ß√£o, o sistema ser√° monitorado, para que se observe seus impactos ambientais, sociais e econ√īmicos.

Fonte: CanalTech

Tecnologia sustent√°vel

J√° pensou voc√™ utilizando um drone na agricultura para monitorar o trabalho sustent√°vel que voc√™ realiza na lavoura? Pois bem, enquanto o drone ainda n√£o chega, voc√™ pode adiantar as a√ß√Ķes pulando para a parte da sustentabilidade.

Como? РUtilizando a adubação verde.

A aduba√ß√£o verde √© uma t√©cnica agr√≠cola sustent√°vel que recupera a sa√ļde produtiva do solo, melhorando e ou condicionando seus aspectos qu√≠micos, f√≠sicos e biol√≥gicos. Dessa forma, a cultura comercial subsequente pode se desenvolver aproveitando os benef√≠cios deixados pela aduba√ß√£o verde, como a cobertura vegetal e os nutrientes.

Para saber mais sobre a adubação verde acesse o site da nossa adubadora, Sementes Piraí.

 

Tocantins se aproxima das tecnologias sustent√°veis!

sexta-feira, maio 27th, 2016
O 2¬ļ Dia de Campo em Almas/TO apresentou os benef√≠cios resultados do Plano ABC no Sistema ILPF e na recupera√ß√£o de pastagens degradadas - Imagem: Cl√™nio Ara√ļjo/Embrapa.

O 2¬ļ Dia de Campo em Almas/TO apresentou os benef√≠cios do Plano ABC no Sistema ILPF e na recupera√ß√£o de pastagens degradadas – Imagem: Cl√™nio Ara√ļjo/Embrapa.

O m√™s de abril serviu para que o Tocantins apresentasse aos agricultores, t√©cnicos e demais profissionais ligados √† produ√ß√£o agr√≠cola, as tecnologias sustent√°veis aplicadas √† agricultura, bem como seus resultados. Uma mostra dessas a√ß√Ķes aconteceu durante o 2¬ļ Dia de Campo e tamb√©m na 1¬™ Feira Agrotecnol√≥gica, ambos realizados no munic√≠pio de Almas.

As duas oportunidades s√£o vinculadas ao Plano ABC (Agricultura de Baixo Carbono), que atua no estado transferindo as tecnologias propostas por meio da capacita√ß√£o continuada. A partir da√≠, os t√©cnicos formados s√£o os respons√°veis pela implanta√ß√£o das Unidades de Refer√™ncia Tecnol√≥gica (URT’s), que levam tanto as tecnologias da Embrapa Pesca e Aquicultura, quanto as atividades sustent√°veis para os sistemas agr√≠colas localizados na regi√£o do Matopiba pertencente ao estado.

O Dia de Campo, em especial, apresentou aos produtores como o Sistema ILPF (Integração Lavoura-Pecuária-Floresta) e a recuperação de pastagens degradadas tem melhorado a atividade pecuária de corte. O trabalho da URT, que iniciou-se na safra 13/14, já demonstra seus resultados com boa parte de pastagens recuperadas e a intensificação da atividade produtiva.

O evento foi uma realiza√ß√£o do Ruraltins, da Embrapa e da Fazenda La√ßo de Ouro. A inten√ß√£o √© realizar ao longo do ano outros “Dias de Campo”, apresentando as demais tecnologias inclusas no Plano ABC e seus resultados j√° observados. Com certeza, iniciativas como essa ajudam a #adubarofuturo da produ√ß√£o agr√≠cola tocantinense, implicando em mais sustentabilidade e colhendo mais produtividade.

Fonte: Conex√£o Tocantins.

Adubação Verde e a sustentabilidade produtiva

Você sabia que a adubação verde é uma tecnologia inclusa no Plano ABC? E que você pode incluí-la em sua lavoura por meio do Sistema ILPF, recuperação de áreas degradadas, rotação de culturas ou no Sistema Plantio Direto?

Pois bem, essa t√©cnica agr√≠cola milenar pode fazer a diferen√ßa no solo, reavivando/melhorando seus aspectos f√≠sicos, qu√≠micos e biol√≥gicos, devolvendo sua sa√ļde produtiva de forma sustent√°vel e econ√īmica.

Para saber como implantar a aduba√ß√£o verde na sua produ√ß√£o basta acessar o site da nossa adubadora Sementes Pira√≠, se informar com conte√ļdos exclusivos dedicados a cada cultura atendida e desta forma, se credenciar para ser um produtor adubador do futuro! N√£o perca essa chance de plantar sustentabilidade e colher rentabilidade na sua produ√ß√£o.

 

 

 

 

No Amazonas #adubarofuturo é reduzir o uso de agrotóxicos!

segunda-feira, maio 16th, 2016
Agricultores atentos √†s explica√ß√Ķes do pesquisador da Embrapa, Jos√© Nestor de Paula Louren√ßo - Imagem: Euzivaldo Queiroz / A Cr√≠tica.

Agricultores atentos √†s explica√ß√Ķes do pesquisador da Embrapa, Jos√© Nestor de Paula Louren√ßo – Imagem: Euzivaldo Queiroz / A Cr√≠tica.

O Amazonas √© o l√≠der de um dos rankings do Minist√©rio da Agricultura, Pecu√°ria e Abastecimento (MAPA), por√©m n√£o h√° motivos para comemora√ß√£o, pois tal ranking cita os estados que mais consomem agrot√≥xicos no pa√≠s. O estudo feito pelo Programa de Avalia√ß√£o de Res√≠duos Agrot√≥xicos (Para) indicou que o estado consome 50% a mais desse tipo de item que a m√©dia nacional. Para reverter esse cen√°rio, promovendo a sustentabilidade produtiva, a Embrapa ministrou no final de mar√ßo um curso sobre agricultura org√Ęnica.

O p√ļblico-alvo da capacita√ß√£o foram os agricultores familiares e os t√©cnicos de assist√™ncia t√©cnica e extens√£o rural. A inten√ß√£o do curso foi instruir o “b√™-√°-b√°” da produ√ß√£o org√Ęnica, apresentando esp√©cies de plantas que servem com cobertura vegetal e adubo, fortificando a fertilidade da terra. Outro ponto de destaque da capacita√ß√£o foi sanar d√ļvidas sobre o processo agroecol√≥gico de produ√ß√£o e a legisla√ß√£o e certifica√ß√£o org√Ęnica.

Al√©m de contribuir para conscientizar produtores e t√©cnicos sobre a import√Ęncia na redu√ß√£o do uso de agrot√≥xicos nas produ√ß√Ķes, o curso serviu para fomentar as bases s√≥lidas de crescimento da atividade org√Ęnica, que mesmo em meio √† crise, tem conseguido se desenvolver e alcan√ßar bons √≠ndices rent√°veis. Os coordenadores do curso esperam ter dado o primeiro passo para mudar o pensamento da agricultura local, prevendo colher seus frutos daqui dois ou tr√™s anos, tempo correto para o descanso do solo quanto √† toxicidade dos agrot√≥xicos e das primeiras colheitas 100% org√Ęnicas.

A iniciativa tamb√©m promoveu a import√Ęncia dos cuidados com os recursos h√≠dricos, insumo fundamental para o desenvolvimento da agricultura saud√°vel e produtiva. Parabenizamos a Embrapa pela atitude e tamb√©m ocupamos lugar na torcida que acredita que este foi o pontap√© inicial para novos tempos produtivos no Amazonas, cercados por sustentabilidade, cuidados com a terra e com a sa√ļde dos produtores.

Fonte: A Crítica.

Agricultura familiar org√Ęnica

A produ√ß√£o org√Ęnica requer bases de preparo e cuidado com solo naturais. Por isso, apresentamos uma parceira que contribui com a sustentabilidade do solo, elevando sua sa√ļde e promovendo a rentabilidade produtiva: aduba√ß√£o verde.

A técnica agrícola milenar, comprovada pela pesquisa e prática, utiliza os adubos verdes, espécies vegetais que possuem características recuperadoras, recicladoras e melhoradoras do solo. Contribuem para o fortalecimento da terra, renovando seus atributos químicos, físicos e biológicos.

Para saber mais sobre os benefícios da adubação verde acesse a loja online EcoSeeds, a loja virtual de sementes para adubação verde pensada para o pequeno e médio produtor. Se informe e aproveite a oportunidade de planejar seu novo ciclo produtivo com a inclusão dessa técnica e credencie sua lavoura para novos tempos, marcados pela sustentabilidade, rentabilidade e redução de custos!

Redução dos Gases de Efeito Estufa na agropecuária: qual caminho seguir?

sexta-feira, abril 1st, 2016
Mitigar a redução dos GEEs pela agropecuária é condição fundamental para a sustentabilidade da atividade e do meio ambiente - Imagem: Danilo Moreira/Embrapa.

Mitigar a redução dos GEEs pela agropecuária é condição fundamental para a sustentabilidade da atividade e do meio ambiente РImagem: Danilo Moreira/Embrapa.

Em 16 de mar√ßo comemorou-se o Dia Nacional da Conscientiza√ß√£o sobre Mudan√ßas Clim√°ticas. Data melhor n√£o haveria para a Embrapa pontuar quais caminhos podem ser percorridos pela agropecu√°ria para reduzir as emiss√£o dos gases de efeito estufa (GEE). √Č sabido que os GEEs tem liga√ß√£o direta com as altera√ß√Ķes no clima das √ļltimas d√©cadas.

A instituição tem trabalhado junto de alguns parceiros para medir a emissão dos GEEs pela agropecuária no país. A ação consegue pontuar de maneira exata a situação em cada bioma, facilitando a proposição e futura adoção de medidas específicas.

Algumas preliminares foram apresentadas pela Embrapa Pecu√°ria Sudeste, localizada em S√£o Carlos/SP. Todo o esfor√ßo √© resultado de a√ß√Ķes conjuntas com institui√ß√Ķes at√© do exterior. Em suma, a integra√ß√£o lavoura-pecu√°ria-floresta aparece como tecnologia efetiva para reduzir os impactos da atividade pecu√°ria no clima, por sequestrar eficazmente o carbono. A t√©cnica tamb√©m agrega outros benef√≠cios: permite o cons√≥rcio de animais, demais culturas agr√≠colas e √°rvores, o que colabora para a diversifica√ß√£o de renda.

Outras tecnologias pontuadas são a recuperação de áreas degradadas, as boas práticas em manejo animal e vegetal e o bem-estar do rebanho. Esses apontamentos são resultados de pesquisas e desenvolvimentos científicos de anos, aprimorados constantemente para a construção de uma agropecuária sustentável.

Todos os progressos são muito bem-vindos haja visto que daqui três anos, sediaremos a sétima edição do Greenhouse Gas and Animal Agriculture Conference (GGAA РCongresso sobre Gases de Efeito Estufa e Agropecuária), um dos grandes eventos sobre o tema. Foz do Iguaçu/PR foi a cidade escolhida para ser a sede do GGAA, que ainda não teve sua data divulgada.

Esperamos at√© l√°, termos avan√ßado substancialmente em tecnologia produtiva a favor da sustentabilidade e mais do que isso, progredido com a conscientiza√ß√£o de mais e mais produtores, para quem adotem em suas pastagens a√ß√Ķes que mitiguem a emiss√£o dos GEEs. Isso sim, ser√° #adubarofuturo da pecu√°ria!

Fonte: Agrolink

Adubação Verde e baixa emissão de carbono

Voc√™ sabia que a aduba√ß√£o verde √© uma tecnologia que ajuda na redu√ß√£o dos GEEs e que est√° inclusa no Programa ABC (Agricultura de Baixo Carbono)? – Pois bem, ela pode ser aplicada em diversas situa√ß√Ķes, inclusive colaborando com a recupera√ß√£o de √°reas degradadas.

Visto isso, que tal saber como a adubação verde age nessa tarefa verde?

Acesse o site da Sementes Piraí, conheça os benefícios da técnica e como ela é implantada em diversas culturas, incluindo as pastagens. Se informar é o primeiro passo para reverter práticas corrosivas à uma atividade agrícola sustentável!

 

Relatório aponta condição climática como maior responsável por baixa produtividade de soja em Mato Grosso!

quinta-feira, março 31st, 2016
Imagem: Aprosoja/Giro MT.

Imagem: Aprosoja/Giro MT.

Um relat√≥rio desenvolvido por pesquisadores da Embrapa, atendendo √† solicita√ß√£o da Aprosoja, aponta as condi√ß√Ķes clim√°ticas adversas como o principal respons√°vel pelo baixo rendimento de lavouras de soja em algumas regi√Ķes de Mato Grosso. O trabalho multidisciplinar indica que a maior parte dos problemas observados pelos produtores no campo s√£o decorrentes da falta de √°gua e das temperaturas m√©dias elevadas nos meses de setembro a dezembro de 2015 e em fevereiro deste ano.

De acordo com os pesquisadores, essas condi√ß√Ķes coincidiram com a fase de desenvolvimento vegetativo e com a √©poca de flora√ß√£o e enchimento de gr√£os de muitas lavouras, o que resultou no baixo desenvolvimento e abortamento de flores e na forma√ß√£o de vagens vazias ou chochas.

O relat√≥rio aponta que as temperaturas m√°ximas m√©dias em 2015 em Sinop (MT) ficaram em 2,5¬ļC, 3,6¬ļC e 2,9¬ļC acima dos valores m√©dios do ano de 2013 nos meses de outubro, novembro e dezembro, respectivamente. Al√©m disso, a precipita√ß√£o registrada nesses meses na esta√ß√£o meteorol√≥gica da Embrapa Agrossilvipastoril foi 32% menor do que o registrado em 2013. Em fevereiro, quando algumas lavouras ainda estavam em fase de enchimento de gr√£os, o volume de chuva foi de apenas 15% do registrado em fevereiro de 2014 e de 18% do registrado no mesmo m√™s em 2015.

Doenças

Muitos consultores e produtores procuraram a Embrapa Agrossilvipastoril preocupados com as vagens vazias e grãos chochos encontrados nas lavouras. Algumas plantas apresentavam sintomas de doenças como a mela seca e principalmente a macrophomina (ou podridão negra das raízes). De acordo com a pesquisadora

Dul√Ęndula Wruck, as doen√ßas n√£o foram respons√°veis pela perda da produtividade e sim consequ√™ncia de outros problemas, como a falta de √°gua e o impedimento qu√≠mico e f√≠sico nas camadas superficiais do solo. Esses fatores fizeram com que as ra√≠zes n√£o se aprofundassem e comprometessem o ciclo da cultura.

“A alta temperatura mais o d√©ficit h√≠drico fez com que n√£o houvesse a poliniza√ß√£o. Mas mesmo assim ocorreu a forma√ß√£o de vagens, fazendo com que os produtores acreditassem que a produ√ß√£o seria boa. Na √©poca da colheita √© que o pessoal come√ßou a ver que o gr√£o n√£o encheu”, relata Dul√Ęndula Wruck.

Nos casos com ocorr√™ncia macrophomina, a pesquisadora da √°rea de fitopatologia explica que o fungo causador da doen√ßa invadiu ra√≠zes perif√©ricas que j√° estavam debilitadas ou mortas devido √† falta de √°gua e √† dificuldade em descer no perfil do solo. Em condi√ß√Ķes clim√°ticas normais, este fungo atua como decompositor de tecidos mortos. Devido √† falta de chuva, eles passaram a invadir as ra√≠zes das plantas de soja.

Entretanto, a pesquisadora ressalta que assim como a mela seca, a macrophomina n√£o foi respons√°vel pela perda de produtividade.

“As doen√ßas s√£o consequ√™ncia de outros fatores. Se eu tenho um solo descompactado e tenho nutrientes abaixo de 10 cm, a raiz vai descer. Numa situa√ß√£o de veranico essa planta conseguiria suportar melhor do que aquela que s√≥ est√° com a raiz superficial”, explica a pesquisadora.

Impedimento no solo

Com o veranico desta safra, foi a primeira vez que os pesquisadores observaram danos às lavouras causados indiretamente pelo impedimento físico e químico do solo na região médio norte de Mato Grosso. De acordo com o Sílvio Spera, da Embrapa Agrossilvipastoril, é preciso fazer mais pesquisas para saber se a escassez de chuva pode vir a ser recorrente de agora em diante.

O impedimento físico ocorre devido à compactação e adensamento do solo resultante da não implementação dos preceitos básicos do sistema plantio direto. Já a restrição química se deve à acidez sub-superficial causada pela correção e adubação apenas na superfície.

S√≠lvio explica que solu√ß√Ķes para problemas decorrentes da pequena espessura da camada cultivada do solo j√° existem. Ele aponta a escarifica√ß√£o e a utiliza√ß√£o de gesso e calagem como forma de reduzir a acidez em camadas mais profundas do solo. Entretanto, √© preciso verificar a viabilidade dessas opera√ß√Ķes, uma vez que ainda n√£o se sabe se o problema dos veranicos ser√° recorrente nos pr√≥ximos anos.

De acordo com o pesquisador, em curto prazo, uma solução mais viável e barata para o produtor é a utilização de braquiária consorciada com milho.

“Como a braqui√°ria tem um sistema radicular muito profundo e muito agressivo, ela vai facilitar a estrutura√ß√£o do solo nas camadas. Essa √© a situa√ß√£o mais barata”, afirma.

De acordo com o relat√≥rio da Embrapa, √© preciso que mais pesquisas sejam feitas nos pr√≥ximos anos, de modo a conhecer melhor as consequ√™ncias dos sistemas de produ√ß√£o praticados em Mato Grosso e a prever os cen√°rios decorrentes da mudan√ßa clim√°tica. Essas informa√ß√Ķes ser√£o fundamentais para subsidiar os produtores na busca pela sustentabilidade dos sistemas produtivos.

Confira aqui o relatório completo desenvolvido pela Embrapa

_________________________________________________________________________

Obs: O texto de hoje √© uma reprodu√ß√£o integral do excerto de Gabriel Faria, da Embrapa Agrossilvipastoril.¬†Agradecemos e creditamos ao Gabriel todo o conte√ļdo textual postado acima.

Gabriel Faria (mtb 15.624/MG JP)
Embrapa Agrossilvipastoril
agrossilvipastoril.imprensa@embrapa.br
Telefone: (66) 3211-4227

_________________________________________________________________________

Adubação Verde aumenta índice de produtividade
O relat√≥rio desenvolvido pela Embrapa aponta o desgaste da safra de soja no Mato Grosso e os pesquisadores consultados pelo estudo, relataram que al√©m das condi√ß√Ķes clim√°ticas adversas e poss√≠veis doen√ßas, o impedimento f√≠sico e qu√≠mico do solo tamb√©m √© um dos respons√°veis pela baixa produtividade.

O estudo tamb√©m apontou possibilidades de revers√£o da compacta√ß√£o do solo. Outra solu√ß√£o sustent√°vel, econ√īmica e rent√°vel para a a√ß√£o √© a utiliza√ß√£o da aduba√ß√£o verde. Como √© sabido e comprovado pelas pesquisas cient√≠ficas e de campo, a aduba√ß√£o verde recupera os aspectos f√≠sicos, qu√≠micos e biol√≥gicos, descompactando solos adensados e reavivando os nutrientes em profundidade.

Para obter mais detalhamentos sobre a a√ß√£o da aduba√ß√£o verde, acesse o conte√ļdo destinado ao mercado de gr√£os no site da nossa adubadora, Sementes Pira√≠. Conte com o apoio da marca refer√™ncia em agricultura sustent√°vel h√° mais de 40 anos, para devolver a sa√ļde produtiva da sua lavoura!

 

Sustentabilidade na fruticultura!

quinta-feira, fevereiro 18th, 2016
Participantes em dia de campo sobre coco em área da H Dantas em Neópolis - Imagem: Joel Lamoglia (Flickr Embrapa - álbum "4ªSeifrut - Sergipe").

Participantes em dia de campo sobre coco em √°rea da H Dantas em Ne√≥polis – Imagem: Joel Lamoglia (Flickr Embrapa – √°lbum “4¬™Seifrut – Sergipe”).

O 4¬ļ Semin√°rio de Intensifica√ß√£o Ecol√≥gica da Fruticultura Tropical (Seifrut), que aconteceu entre os dias 02 e 04 de dezembro, teve sua sede em Aracaju (SE) e foi uma realiza√ß√£o da Embrapa Tabuleiros Costeiros (local) e Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas, BA). O objetivo era discutir os caminhos sustent√°veis da fruticultura entre os mais de 120 participantes, incluindo t√©cnicos e produtores.

Como destaque das palestras e dos pain√©is de debates t√©cnicos, que concentraram-se nos dois primeiros dia de evento, estava o tema “Sistemas Ecologicamente Intensivos de produ√ß√£o (SEI)” para as culturas de coco e de citros, apresentado pela Embrapa.

No √ļltimo dia de Semin√°rio, o p√ļblico teve acesso aos dias de campo: observando os ensaios de adensamento de plantios de citros, m√©todos de controle de pragas e doen√ßas que ocorrem na citricultura do Norte da Bahia e Centro Sul Sergipano, na √°rea experimental da Embrapa Tabuleiros Costeiros ou visitando a √°rea de coqueiros e a ado√ß√£o de¬†estrat√©gias de cobertura do solo no Plat√ī de Ne√≥polis, regi√£o do Baixo S√£o Francisco do estado.

As duas √°reas s√£o demonstra√ß√Ķes do SEI (Sistemas Ecologicamente Intensivos), a√ß√Ķes que procuram maximizar as funcionalidades ecol√≥gicas e as regula√ß√Ķes biol√≥gicas, buscando produtividade cooperativa com o meio ambiente. Trata-se de ofertar mecanismos naturais em substitui√ß√£o dos qu√≠micos e pesticidas, aliando-se √† agroecologia.

O Seifrut conseguiu, em tr√™s dias de evento, abordar v√°rias situa√ß√Ķes em que os produtores pudessem constatar a viabilidade produtiva das t√©cnicas SEI, conscientizando-os para o planejamento e futura ado√ß√£o da a√ß√£o em suas propriedades. Esse √© o primeiro passo, muito importante, para que a fruticultura da regi√£o continue pr√≥spera, mas que concentre a partir de ent√£o um fator positivo que coopere para #adubarofuturo: a preocupa√ß√£o com a preserva√ß√£o do meio ambiente.

Fonte: Meio Ambiente Rio.com

Fruticultura em parceria com o meio ambiente

Produtor, deseja aliar economia, ganho na produtividade e controle de pragas e doenças do solo de forma sustentável? РEntão, você precisa saber o que a adubação verde pode fazer pelo seu pomar!

A técnica é uma forma eficiente de produzir biomassa, nitrogênio, biodiversidade, estruturação de solo, reciclagem de nutrientes e de reduzir pragas como: doenças, nematoides e ervas daninhas, pois aumenta a capacidade produtiva do solo, recupera os solos degradados pelo cultivo, melhora os solos naturalmente pobres e conserva aqueles que já são produtivos.

Quer saber mais? – Visite o site da Sementes Pira√≠, na aba exclusiva sobre “Fruticultura e Aduba√ß√£o Verde“. Todas as informa√ß√Ķes e conhecimentos que voc√™ necessita para levar a t√©cnica √† sua propriedade est√£o ali. Seja voc√™ tamb√©m um fruticultor com selo da aduba√ß√£o verde em sua produ√ß√£o. Suas finan√ßas e claro, o meio ambiente, agradecem!

 

 

Dias de Campo sobre soja!

quinta-feira, janeiro 28th, 2016
Maior rentabilidade e sustentabilidade nas produ√ß√Ķes de soja s√£o alguns dos destaques dos Dias de Campo - Imagem: Fabiano Nunes.

Maior rentabilidade e sustentabilidade nas produ√ß√Ķes de soja s√£o alguns dos destaques dos Dias de Campo – Imagem: Fabiano Nunes.

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecu√°ria (Embrapa) se uniu a Funda√ß√£o Meridional de Apoio √† Pesquisa e a outros parceiros para realizar 66 Dias de Campo sobre a cultura da soja na safra 2015/16. As a√ß√Ķes acontecem em algumas cidades catarinenses, paranaenses, paulistas e sul-mato-grossenses. O in√≠cio da a√ß√£o foi em Toledo/PR, durante os dias 07 e 08 de janeiro. Caber√° a Carambe√≠/PR encerrar o ciclo de atividades em 26 de fevereiro.

Durante os eventos, t√©cnicos e produtores ter√£o acesso a todo o programa de melhoramento gen√©tico de soja da Embrapa. Ser√° apresentado o portf√≥lio da institui√ß√£o para o cultivar: soja convencional, soja RR, soja Intacta e soja Cultivance. A inten√ß√£o √© possibilitar a escolha dos produtores quanto √†s solu√ß√Ķes mais adequadas ao sistema produtivo, sempre observando maior rentabilidade e menor impacto ao meio ambiente.

Os dias de campo também promoverão debates sobre alguns desafios da cultura da soja. Dentre os temas estão o Manejo Integrado de Pragas e Doenças e as práticas sustentáveis produtivas. Para ter acesso ao cronograma completo dos eventos, basta acessar aqui.

Lembrando que a próxima parada do Dia de Campo é amanhã em Santa Cruz do Rio Pardo/SP.

Fonte: Agrolink.

Ofereça rentabilidade e sustentabilidade aos cultivares da soja

Produtor, utilize todos os benefícios da adubação verde na sua lavoura de soja!

Saiba quais s√£o os adubos verdes mais indicados para a cultura, acessando o conte√ļdo exclusivo sobre gr√£os no site da Sementes Pira√≠.

E quando o assunto for controle de pragas, conhe√ßa o Controle as Pragas – site repleto de informa√ß√Ķes sobre o aux√≠lio da aduba√ß√£o verde no controle de pragas e doen√ßas do solo.

Aproveite também para explorar o projeto Chega de Nematoide, uma ação que vai reforçar o auxílio da adubação verde na guerra contra essa praga que tanto assola a sojicultura.