Posts Tagged ‘Agricultura de Baixo Carbono’

S√≠ntese: “Solos Inteligentes: um complexo desafio para seguran√ßa alimentar e sa√ļde humana”

segunda-feira, dezembro 11th, 2017

solosdegradados_sustentabilidade_sementespirai

A IV Reuni√£o Nordestina de Ci√™ncia do Solo (RNCS), que aconteceu entre 27 e 30 de novembro em Teresina/PI, trouxe v√°rias discuss√Ķes no formato de confer√™ncia. Uma delas foi a que abriu o evento, ministrada pelo pesquisador Luiz Fernando Leite, chefe geral da Embrapa Meio-Norte com o mote: “Solos Inteligentes: um complexo desafio para seguran√ßa alimentar e sa√ļde humana”.

O pesquisador pontuou o cen√°rio de degrada√ß√£o dos solos pelo mundo, conforme aponta a FAO (Organiza√ß√£o das Na√ß√Ķes Unidas para a Alimenta√ß√£o e a Agricultura): 50% das terras agricult√°veis est√£o comprometidas com algum n√≠vel de degrada√ß√£o. O custo para sua recupera√ß√£o, por meio de fertilizantes, ultrapassa a casa dos 200 bilh√Ķes de d√≥lares/ano. (mais…)

No Dia Mundial do Solo, Brasil lan√ßa o mapa de carbono org√Ęnico do solo

terça-feira, dezembro 5th, 2017
Uma das vers√Ķes preliminares do Mapa, de 2015 - Imagem: Embrapa

Uma das vers√Ķes preliminares do Mapa, de 2015 – Imagem: Embrapa

Para celebrar o dia 05 de dezembro, Dia Mundial do Solo, nada melhor que contribuir para a informa√ß√£o do produtor sobre a composi√ß√£o de seu solo. Pensando isso, a Embrapa Solos lan√ßa hoje o Mapa digital de Carbono Org√Ęnico do solo, na profundidade de 0-30cm. O trabalho junta a modelagem matem√°tica e os conhecimentos pr√°ticos de campo, visando contribuir para a conserva√ß√£o dos recursos naturais nos mais diversos programas mantidos no pa√≠s.

O Programa ABC (Agricultura de Baixa Emiss√£o de Carbono) do MAPA – Minist√©rio da Agricultura, Pecu√°ria e Abastecimento √© um dos contemplados pelo trabalho, utilizando-o para melhor orientar as a√ß√Ķes de redu√ß√£o de emiss√£o dos gases de efeito estufa. O Mapa de Carbono Org√Ęnico captou informa√ß√Ķes sobre o solo, relevo, clima e vegeta√ß√£o, unindo-os aos m√©todos matem√°ticos para inferir com maior precis√£o as informa√ß√Ķes em locais n√£o medidos, como o estoque de carbono no solo. (mais…)

Avanços da agropecuária sustentável brasileira

quarta-feira, abril 5th, 2017
Crescimento da adoa√ß√£o do sistema ILPF nos √ļltimos cinco anos mostra o compromisso da agropecu√°ria brasileira com a produ√ß√£o sustent√°vel - Imagem: Bruno Lemos/News Rond√īnia.

Crescimento da ado√ß√£o do sistema ILPF nos √ļltimos cinco anos mostra o compromisso da agropecu√°ria brasileira com a produ√ß√£o sustent√°vel – Imagem: Bruno Lemos/News Rond√īnia.

Como anda a adoção do Sistema ILPF (Integração Lavoura-Pecuária-Floresta) por todo o país?

Essa pergunta foi respondida por uma pesquisa elaborada pelo Kleffmann Group, patrocinada pela Rede de Fomento de Integra√ß√£o Lavoura-Pecu√°ria-Floresta, contando com o acompanhamento t√©cnico da Embrapa Meio Ambiente (SP) e que teve seus resultados divulgados no fim do ano passado. (mais…)

Est√≠mulo √†s propriedades sustent√°veis na Amaz√īnia e Mata Atl√Ęntica!

terça-feira, julho 19th, 2016
Imagem: Divulgação.

Imagem: Divulgação.

Uma boa not√≠cia para agricultores da regi√£o Amaz√īnica e da Mata Atl√Ęntica que querem tornar suas propriedades mais sustent√°veis. O Programa Rural Sustent√°vel “desembarcou” na √°rea e vai auxiliar os interessados nessa mudan√ßa numa √°rea de abrang√™ncia de 70 munic√≠pios dos dois biomas. A inten√ß√£o do programa, em suma, √© ajudar na redu√ß√£o da press√£o para desmatamento de novas √°reas, na diminui√ß√£o da emiss√£o de gases do efeito estufa e na conserva√ß√£o da biodiversidade.

Para tanto os agricultores devem inscrever suas propriedades no Projeto Rural Sustent√°vel at√© o dia 19 de agosto. Ser√£o selecionadas 3500 pequenas e m√©dias propriedades dos estados de MT, PA, RO, BA, MG, PR e RS, que ter√£o financiadas suas a√ß√Ķes de transforma√ß√£o para √°reas de agricultura de baixo carbono (incluindo tecnologias como o sistema ILPF, a recupera√ß√£o de √°reas degradadas, o manejo sustent√°vel de florestas nativas, entre outras). Haver√° tamb√©m verbas destinadas √† capacita√ß√£o dos produtores, contando com o aux√≠lio do t√©cnicos extensionistas e de assist√™ncia rural.

Nas condi√ß√Ķes para inscri√ß√£o o propriet√°rio precisa atestar:¬† propriedade de at√© 15 m√≥dulos fiscais, constar num dos munic√≠pios pontuados e como unidade de produ√ß√£o familiar rural e ter posse legal da √°rea.¬† Assentados da reforma agr√°ria ou pessoas f√≠sicas e ou jur√≠dicas que representem associa√ß√Ķes e cooperativas tamb√©m podem se inscrever. Para saber se o seu munic√≠pio faz parte da lista, acesse aqui.

O Programa √© uma iniciativa fruto da parceria entre os governos brasileiro e brit√Ęnico, que prop√Ķe uma coopera√ß√£o t√©cnica no √Ęmbito da agricultura de baixo carbono e desmatamento evitado para reduzir a situa√ß√£o de pobreza no pa√≠s. O financiamento da a√ß√£o √© executado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e alimentado pelo Fundo Internacional para o Clima (International Climate Fund (ICF) do Minist√©rio da Agricultura, da Alimenta√ß√£o, da Pesca e dos Assuntos Rurais do Reino Unido.

Observados os pré-requisitos de inscrição no Programa Rural Sustentável, obtenha mais detalhes e efetue a inscrição de sua propriedade clicando aqui.

Fonte: Agência Brasil

Falando em propriedades sustentáveis, por que não falarmos de adubação verde?

Você sabia que a adubação verde é uma tecnologia de recuperação e melhoramento de solos agrícolas inclusa na Agricultura de Baixo Carbono? Pois bem, dentre seus benefícios estão:

  • prote√ß√£o do solo contra os agentes da eros√£o e radia√ß√£o solar;
  • redu√ß√£o da incid√™ncia de pragas e doen√ßas nas culturas;
  • contribui√ß√£o para o sequestro de carbono;
  • intensifica√ß√£o da atividade biol√≥gica do solo.

Não perca mais tempo e conheça melhor a adubação verde e como ela pode ajudar a sua produção a ser mais sustentável e rentável. Acesse o site da Sementes Piraí e conheça o futuro produtivo!

 

Com dinheiro em caixa, Plano ABC precisa de mais capacitação!

quinta-feira, abril 28th, 2016
O Plano ABC j√° est√° presente em 12 milh√Ķes de hectares, mas a inten√ß√£o at√© 2.020 √© aumentar em mais de 133% essa propor√ß√£o - Imagem: SAGRIMA/Governo do Estad√£o do Maranh√£o.

O Plano ABC j√° est√° presente em 12 milh√Ķes de hectares, mas a inten√ß√£o at√© 2.020 √© aumentar em mais de 133% a quantidade de terras com tecnologia ABC – Imagem: SAGRIMA/Governo do Estad√£o do Maranh√£o.

Arno Jerke Junior, coordenador da Secretaria do Produtor Rural e Cooperativismo do MAPA, afirmou que o repasse do Governo para o Plano ABC nesta safra ultrapassou os 200 milh√Ķes de reais, mas mesmo com dinheiro em caixa, a “pedra no sapato” do programa √© a capacita√ß√£o. A declara√ß√£o foi feita ap√≥s a apresenta√ß√£o do projeto “Intensifica√ß√£o da pecu√°ria brasileira: seus impactos no desmatamento evitado, na produ√ß√£o de carne e na redu√ß√£o de emiss√Ķes de gases de efeito estufa”, realizado no final de mar√ßo na Faculdade Get√ļlio Vargas.

O projeto analisa as técnicas do Plano ABC para o desenvolvimento sustentável da pecuária, observando a recuperação de áreas degradadas e o aumento da produtividade sem o aumento da área produtiva. Como sabemos, a Integração Lavoura-Pecuária-Floresta e a adubação verde são algumas das tecnologias atreladas ao Plano.

Quanto √† capacita√ß√£o, Jerke pontuou que faltam assist√™ncias t√©cnicas provedores de conhecimento sobre as tecnologias do Plano ABC. Para se ter uma ideia, desde a cria√ß√£o do Plano apenas 12 milh√Ķes de hectares foram impactados. Visando reverter esse cen√°rio a meta do MAPA √© at√© 2020 ultrapassar a casa dos 28 milh√Ķes hectares adotantes de t√©cnicas de baixa emiss√£o de carbono, saltando para mais de 100% o crescimento observado desde o in√≠cio dos trabalhos ABC.

Para a safra recente a adesão ao Plano subiu em 80%. Segundo Jerke isso se deve por conta dos esforços do Ministério para conseguir taxas de juros competitivas e com isso, estimular a participação do produtor com acesso mais facilitado às linhas de crédito do plano. Assim, será possível trabalhar mais conquistando novos hectares pecuários sustentáveis, contribuindo para #adubarofuturo!

Fonte: Globo Rural.

ABC com Adubação Verde

Como mencionado acima, a adubação verde é uma tecnologia disponível para adesão do Plano ABC.

Por meio do uso de adubos verdes a t√©cnica recupera a sa√ļde e o potencial produtivo do solo, melhorando seus atributos qu√≠micos, f√≠sicos e biol√≥gicos. Al√©m disso, protege a terra da radia√ß√£o solar e contra os agentes erosivos, entre outras vantagens.

Seu custo benefício se dá pela economia sustentável com garantia de rentabilidade. Além da pecuária, outras atividades agrícolas como cana, café e grãos podem aderir a adubação verde.

Saiba mais sobre o universo da adubação verde visitando o site da Sementes Piraí. O primeiro passo para se tornar um adubador do futuro está na informação!

Adubação Verde em destaque no Ano Internacional das Leguminosas

quarta-feira, abril 13th, 2016

Conheça as espécies de adubos verdes inclusas na lista da FAO

Imagem: Divulgação.

Imagem: Divulgação.

A FAO (Organiza√ß√£o das Na√ß√Ķes Unidas para Alimenta√ß√£o e Agricultura) elegeu 2016 como o Ano Internacional das Leguminosas, com o objetivo de salientar a import√Ęncia desse tipo de alimento na promo√ß√£o da seguran√ßa e sa√ļde alimentar, bem como na sustentabilidade agr√≠cola e ambiental.

Alimentos como feijão, soja, lentilha e ervilha fazem parte do cardápio de muitas pessoas. Pautadas cientificamente na família Fabaceae, tais leguminosas são boas fontes proteicas, de fibras e vitaminas do complexo B, além de conter minerais como ferro e cálcio.

Já para a agricultura, as leguminosas são conhecidas como adubos verdes, responsáveis pela manutenção da qualidade do solo e da sustentabilidade produtiva. Além disso, promovem o aumento da eficiência hídrica e da biodiversidade do solo. Outros benefícios muito difundidos no emprego desses adubos verdes (leguminosas) são a fixação de nitrogênio direto da atmosfera e a ótima produção de aminoácidos, que são aproveitados pela cultura comercial subsequente ao seu plantio, elevando a produtividade observada.

O diretor comercial da Sementes Pira√≠, Jos√© A. Donizeti Carlos, aponta que a elei√ß√£o das leguminosas como destaque dos trabalhos da FAO neste ano, vai ao encontro das a√ß√Ķes de divulga√ß√£o de benef√≠cios da aduba√ß√£o verde na produ√ß√£o agr√≠cola. Ele destaca algumas variedades para o manejo do solo e alimenta√ß√£o animal:

 

 

As leguminosas listadas acima s√£o empregadas (em rota√ß√£o de culturas ou em sistemas de plantio direto, por exemplo) em v√°rias culturas como cana-de-a√ß√ļcar, caf√©, soja, citros, entre outras. Seu uso tamb√©m √© comum na reforma de pastagens degradadas, tanto que a aduba√ß√£o verde √© uma tecnologia inclusa no Plano ABC (Agricultura de Baixo Carbono).

Engajando-se com o Ano Internacional das Leguminosas, a Sementes Pira√≠, marca refer√™ncia em aduba√ß√£o verde h√° mais de quatro d√©cadas, refor√ßa o seu compromisso em divulgar e apresentar os benef√≠cios dessa boa pr√°tica agr√≠cola. ‚ÄúTemos uma oportunidade √≠mpar para refor√ßar a a√ß√£o dos adubos verdes neste ano. Vamos alimentar o p√ļblico com fatos atualizados, delineando conte√ļdos especiais em nossos canais sociais‚ÄĚ, refor√ßa Donizeti.

Para acompanhar o que a Sementes Piraí apresenta no Ano Internacional das Leguminosas, acesse http://www.pirai.com.br.

São Paulo avança com o Plano ABC!

terça-feira, abril 5th, 2016
O Plano ABC, no estado de São Paulo, será direcionando pelo GEE - Imagem: Divulgação.

O Plano ABC, no estado de São Paulo, será direcionando pelo GGE РImagem: Divulgação.

Uma boa not√≠cia aos agricultores paulistas: a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de S√£o Paulo instaurou o Grupo Gestor Estadual do Plano Setorial da Agricultura (GGE), respons√°vel por definir as indica√ß√Ķes do Plano ABC (Agricultura de Baixo Carbono) no estado. Toda a a√ß√£o est√° acontecendo em conjunto com a Superintend√™ncia Estadual do Minist√©rio da Agricultura, Pecu√°ria e Abastecimento, visando a ado√ß√£o de pr√°ticas produtivas sustent√°veis que minimizem a emiss√£o dos GEEs (gases de efeito estufa). A resolu√ß√£o j√° consta no Di√°rio Oficial do Estado desde o √ļltimo dia 25.

A partir de hoje, o Grupo Gestor vai trabalhar na elabora√ß√£o e apresenta√ß√£o de diretrizes, pontuando as prioridades em atendimento, verificando a harmonia entre as proposi√ß√Ķes com a Pol√≠tica Estadual de Mudan√ßas Clim√°ticas, com o objetivo de integra√ß√£o das a√ß√Ķes, dos financiamentos e demais atividades ligadas ao tema. Ainda constam como a√ß√Ķes do Grupo a capacita√ß√£o de t√©cnicos e produtores.

Os recursos captados para a execução do Plano ABC no estado serão 100% direcionados, a priori, para os principais problema detectados pela análise do Grupo Gestor. Dentre as tecnologias que serão implantadas, destacam-se a Integração Lavoura-Pecuária Floresta (ILPF) nas áreas degradadas e a recomposição das áreas de preservação permanente (APPs) e das reservas legais. O trabalho do Plano ABC permitirá ao estado integrar demais iniciativas já conhecidas pelos paulistas, como a Pecuária Sustentável e o Programa Nascentes.

O Grupo Gestor Estadual do Plano Setorial da Agricultura (GGE) √© formado pelo secret√°rio Arnaldo Jardim e outros membros da Assessoria T√©cnica do Gabinete, APTA e Cati. Al√©m deles, representantes do Mapa, Fiesp, Ocesp, Unesp, Embrapa, Esalq, Fetaesp, FGV, Banco do Brasil e Abag tamb√©m comp√Ķem a equipe.

Fonte: IDEA Online

Tem Plano ABC em SP? РEntão tem adubação verde!

J√° falamos aqui que a aduba√ß√£o verde √© uma das tecnologias consideradas nas a√ß√Ķes do Plano ABC, mas vamos reiterar essa informa√ß√£o.

√Č sabido, pr√°tica e teoricamente, que a aduba√ß√£o verde atua para minimizar a emiss√£o do GEEs atrav√©s do uso dos adubos verdes, em sua maioria as leguminosas, fornecendo nitrog√™nio fixado diretamente da atmosfera, reduzindo a necessidade de adubos nitrogenados e ajudando na fixa√ß√£o de carbono no solo, o que aumenta o teor de mat√©ria org√Ęnica.

Mas n√£o √© s√≥ isso! Vale conferir os demais benef√≠cios da aduba√ß√£o verde visitando o site da nossa adubadora Sementes Pira√≠. N√£o perca tempo e planeje sua a√ß√£o ABC com aduba√ß√£o verde e entre para o hall de produtores preocupados com a sustentabilidade, mas que garantem economicamente a viabilidade de suas produ√ß√Ķes.

 

Redução dos Gases de Efeito Estufa na agropecuária: qual caminho seguir?

sexta-feira, abril 1st, 2016
Mitigar a redução dos GEEs pela agropecuária é condição fundamental para a sustentabilidade da atividade e do meio ambiente - Imagem: Danilo Moreira/Embrapa.

Mitigar a redução dos GEEs pela agropecuária é condição fundamental para a sustentabilidade da atividade e do meio ambiente РImagem: Danilo Moreira/Embrapa.

Em 16 de mar√ßo comemorou-se o Dia Nacional da Conscientiza√ß√£o sobre Mudan√ßas Clim√°ticas. Data melhor n√£o haveria para a Embrapa pontuar quais caminhos podem ser percorridos pela agropecu√°ria para reduzir as emiss√£o dos gases de efeito estufa (GEE). √Č sabido que os GEEs tem liga√ß√£o direta com as altera√ß√Ķes no clima das √ļltimas d√©cadas.

A instituição tem trabalhado junto de alguns parceiros para medir a emissão dos GEEs pela agropecuária no país. A ação consegue pontuar de maneira exata a situação em cada bioma, facilitando a proposição e futura adoção de medidas específicas.

Algumas preliminares foram apresentadas pela Embrapa Pecu√°ria Sudeste, localizada em S√£o Carlos/SP. Todo o esfor√ßo √© resultado de a√ß√Ķes conjuntas com institui√ß√Ķes at√© do exterior. Em suma, a integra√ß√£o lavoura-pecu√°ria-floresta aparece como tecnologia efetiva para reduzir os impactos da atividade pecu√°ria no clima, por sequestrar eficazmente o carbono. A t√©cnica tamb√©m agrega outros benef√≠cios: permite o cons√≥rcio de animais, demais culturas agr√≠colas e √°rvores, o que colabora para a diversifica√ß√£o de renda.

Outras tecnologias pontuadas são a recuperação de áreas degradadas, as boas práticas em manejo animal e vegetal e o bem-estar do rebanho. Esses apontamentos são resultados de pesquisas e desenvolvimentos científicos de anos, aprimorados constantemente para a construção de uma agropecuária sustentável.

Todos os progressos são muito bem-vindos haja visto que daqui três anos, sediaremos a sétima edição do Greenhouse Gas and Animal Agriculture Conference (GGAA РCongresso sobre Gases de Efeito Estufa e Agropecuária), um dos grandes eventos sobre o tema. Foz do Iguaçu/PR foi a cidade escolhida para ser a sede do GGAA, que ainda não teve sua data divulgada.

Esperamos at√© l√°, termos avan√ßado substancialmente em tecnologia produtiva a favor da sustentabilidade e mais do que isso, progredido com a conscientiza√ß√£o de mais e mais produtores, para quem adotem em suas pastagens a√ß√Ķes que mitiguem a emiss√£o dos GEEs. Isso sim, ser√° #adubarofuturo da pecu√°ria!

Fonte: Agrolink

Adubação Verde e baixa emissão de carbono

Voc√™ sabia que a aduba√ß√£o verde √© uma tecnologia que ajuda na redu√ß√£o dos GEEs e que est√° inclusa no Programa ABC (Agricultura de Baixo Carbono)? – Pois bem, ela pode ser aplicada em diversas situa√ß√Ķes, inclusive colaborando com a recupera√ß√£o de √°reas degradadas.

Visto isso, que tal saber como a adubação verde age nessa tarefa verde?

Acesse o site da Sementes Piraí, conheça os benefícios da técnica e como ela é implantada em diversas culturas, incluindo as pastagens. Se informar é o primeiro passo para reverter práticas corrosivas à uma atividade agrícola sustentável!

 

As vantagens da fixação biológica de nitrogênio!

segunda-feira, março 21st, 2016
Campo com Crotal√°ria-spectabilis, uma das op√ß√Ķes naturais (aduba√ß√£o verde) para a FBN - Imagem: Sementes Pira√≠.

Campo com Crotal√°ria-spectabilis, uma das op√ß√Ķes naturais (aduba√ß√£o verde) para a FBN – Imagem: Sementes Pira√≠.

Atualmente, quando a pauta s√£o as tecnologias da Agricultura de Baixo Carbono (ABC), o processo de Fixa√ß√£o Biol√≥gica de Nitrog√™nio (FBN) tem despertado muita curiosidade, por ser considerado uma das op√ß√Ķes de maior sustentabilidade aplicada √† agricultura, relevante pelo aumento de produtividade.¬† Para sanar d√ļvidas e explicar minuciosamente o FBN, especialistas da Embrapa se reuniram com representantes da Confedera√ß√£o da Agricultura e Pecu√°ria do Brasil (CNA), em 1¬ļde mar√ßo na capital federal.

Entende-se por FBN o processo pelo qual o nitrog√™nio contido na atmosfera √© convertido em “op√ß√Ķes” que podem ser utilizadas pelas plantas. Seguindo a explica√ß√£o t√©cnica do pesquisador da Embrapa Agrobiologia,¬† Segundo Urquiaga: “(…) o inoculante, produto que cont√©m microrganismos formadores de n√≥dulos nas ra√≠zes das plantas (riz√≥bios), √© adicionado √† semente no momento da semeadura para produzir enzima nitrogenase e captar o nitrog√™nio atmosf√©rico”.

Ainda segundo Urquiaga, a soja √© a cultura que mais demanda nitrog√™nio e a utiliza√ß√£o da FBN melhora a qualidade da terra, reduzindo o impacto gerado pelos adubos nitrogenados. Tal processo – inocula√ß√£o – √© parceiro global da sustentabilidade para diversos ecossistemas, contribuindo para 260 milh√Ķes de toneladas de N2 por ano e especificamente na agricultura, 60 milh√Ķes de toneladas.

Os pesquisadores da Embrapa trabalharam nos √ļltimos tempos pesquisando a a√ß√£o da inocula√ß√£o em diversas culturas, como soja e feij√£o comum, e os resultados constatados foram o aumento da produtividade e a redu√ß√£o de custo e emiss√£o de GEEs (gases de efeito estufa) originados pelos adubos. O apontamento dos estudos constatam que a inocula√ß√£o √© uma das fontes mais importantes de N2 para as culturas, reduzindo seu impacto ambiental, colaborando para a sa√ļde nutritiva do solo.

A prestação de serviços oferecida por este encontro serviu para ampliar o conhecimento das tecnologias ABC, facilitando o contato dos produtores com mais uma opção sustentável auxiliar à produção e contribuindo assim, para #adubarofuturo da nossa agricultura!

Fonte: SCOT Consultoria.

Fixação biológica de nitrogênio é com a adubação verde

Você sabia que uma das principais vantagens de levar a adubação verde para sua lavoura implica justamente na melhora da fixação biológica de nitrogênio?

Pois bem, a adubação verde é uma técnica comprovada por pesquisas, que recupera os solos degradados pelo cultivo, melhora os solos naturalmente pobres e conserva aqueles que já são produtivos. Consiste no cultivo de plantas em rotação/sucessão/consorciação com as culturas comerciais, que melhoram significativamente os atributos químicos, físicos e biológicos do solo.

Essas plantas denominadas ‚ÄúAdubos Verdes‚ÄĚ tem caracter√≠sticas recicladoras,¬† recuperadoras, protetoras, melhoradoras e condicionadoras do solo. Englobam diversas esp√©cies vegetais, por√©m a prefer√™ncia pelas leguminosas est√° consagrada tamb√©m pela sua capacidade de fixar N2.

Quer saber mais? – Acesse o site da Sementes Pira√≠ e navegue por todo seu conte√ļdo. Obtenha informa√ß√Ķes t√©cnicas voltadas para a sua cultura e planeje a implementa√ß√£o da aduba√ß√£o verde na sua lavoura. Rentabilidade e sustentabilidade n√£o faltar√£o.

 

Recuperação de áreas degradadas no MS ganha duas novas forças!

quarta-feira, março 16th, 2016
Lançamento oficial do Programa em 08 de março - Imagem: Iagro.

Lançamento oficial do Programa Estadual de Recuperação de Pastagens Degradadas em 08 de março РImagem: Iagro.

A situa√ß√£o de √°reas degradadas no Mato Grosso do Sul √© alarmante. Cerca de 8,5 milh√Ķes de hectares possuem algum n√≠vel de estrago, segundo dados oficiais. O dano em algumas propriedades √© considerado extremo. Isso √© resultado do descaso dos produtores nos cuidados com o solo ao longo de anos e anos de produ√ß√£o, que resultou em solos pobres em fertilidade, com a sa√ļde fragilizada, incidindo diretamente na baixa produtividade pecu√°ria.

Nos √ļltimos anos, muitos esfor√ßos foram concentrados para reverter a situa√ß√£o, tal como a integra√ß√£o de duas ou mais atividades produtivas ou o cons√≥rcio de duas atividades. Por√©m, agora em 2016, uma a√ß√£o efetiva promete virar de vez o jogo contra a degrada√ß√£o. No √ļltimo dia 08, o governo estadual lan√ßou um programa de incentivos, baseados na ren√ļncia fiscal e com a meta de recuperar, em cinco anos, o potencial produtivo de dois dos oito milh√Ķes de hectares de pastagens degradadas no estado.

Trata-se do Programa Estadual de Recupera√ß√£o de Pastagens Degradadas. Seu objetivo √© aumentar a capacidade de suporte das pastagens (passando de 0,8 unidade animal por hectare para at√© 2,4 unidade animal), aliando √† produ√ß√£o de gr√£os, madeira, entre outros produtos e tamb√©m o incremento do valor bruto produtivo, alcan√ßando o teto de doze bilh√Ķes de reais.

Caber√° ao governo a gest√£o e os incentivos fiscais do Programa, que podem chegar aos 250 milh√Ķes de reais em todo o seu processo. J√° os parceiros ser√£o respons√°veis por todo o suporte de capacita√ß√£o e implanta√ß√£o das tecnologias, focando no cumprimento da meta estabelecida. Falando em incentivos fiscais, a a√ß√£o traz outro motivo interessante para a ades√£o dos produtores: desconto de mais de 33% no ICMS nas opera√ß√Ķes de sa√≠da.

Objetiva-se tamb√©m poupar o meio ambiente, reduzindo a emiss√£o dos gases provocadores do efeito estufa e a incorpora√ß√£o de tecnologias advindas do Programa ABC. Al√©m disso, a roda econ√īmica ser√° movimentada com a gera√ß√£o de nove mil empregos, contribuindo direta e indiretamente para o aumento de 7,6 milh√Ķes de toneladas na produ√ß√£o de gr√£os e de 768 mil toneladas de carne.

Isso, sem d√ļvida, √© #adubarofuturo!

Obs: produtores do MS, para se cadastrarem no Programa acessem este link.

Fonte: Correio do Estado e Agora MS.

Recuperação de pastagens com adubação verde

Agropecuarista, conhe√ßa como a aduba√ß√£o verde pode contribuir sustentavelmente para a recupera√ß√£o de suas pastagens. Acesse conte√ļdo destinado √†s pastagens com aduba√ß√£o verde no site da Sementes Pira√≠.

Caminhe em largos passos em direção à sustentabilidade, rentabilidade e economia na sua produção. Caminhe com adubação verde!

 

 

Contrata√ß√Ķes do Plano ABC tiveram aumento expressivo na √ļltima safra!

quarta-feira, março 16th, 2016
Plantação de sorgo é integrada à pecuária e isso é parte do sistema ILP (Integração Lavoura Pecuária) - Imagem: Divulgação/Revista Safra.

Plantação de sorgo é integrada à pecuária e isso é uma opção para o sistema ILP (Integração Lavoura Pecuária) РImagem: Divulgação/Revista Safra.

Segundo dados da Secretaria do Produtor Rural e Cooperativismo do Minist√©rio da Agricultura, Pecu√°ria e Meio Ambiente, as contrata√ß√Ķes do Programa ABC aumentaram mais de 35% na √ļltima safra, (2014/15). A expans√£o da √°rea financiada pelo ABC tamb√©m apresentou expans√£o, ficando na casa dos 20%. Em valores financeiros, os novos contratos geraram cerca de 3 bilh√Ķes e 600 mil reais, o que facilitou o acesso de 1,76 milh√Ķes de novos hectares ao Programa.

Ainda em 2015, a ação conseguiu bater outra meta importante: atingir seus objetivos para o ano. Ao todo, 80% de novos sistemas de plantio direto, 40% de áreas degradadas em recuperação e com alcance maior, 105% de florestas plantadas.

Quanto √† capacita√ß√£o de t√©cnicos e produtores, os n√ļmeros somaram mais de 5.600, apresentando aumento de 26% em rela√ß√£o √† 2014. Outro montante expressivo do Programa no ano passado foi o aumento de mais de 100% no conv√™nio com institui√ß√Ķes de ensino e pesquisa, que receberam ao todo 2,8 milh√Ķes de reais.

O Programa ABC tem por objetivo facilitar o acesso ao financiamento de seis tecnologias agrícolas sustentáveis: recuperação de pastagens degradadas, integração lavoura-pecuária-floresta, sistema de plantio direto, fixação biológica de nitrogênio, florestas plantadas e tratamento de dejetos animais. E o ano de 2015 é uma prova cabal de que o sistema vem dando certo e atingindo novos produtores a cada ano. Isso é fundamental para #adubarofuturo.

Fonte: Agrolink

Adubação Verde: tecnologia ABC

A Adubação Verde é uma técnica inclusa no Programa ABC por, primeiramente, contribuir diretamente para a redução da emissão de gases que provocam o efeito estufa, e também por ser incorporada à três das seis tecnologias do Programa: plantio direto, recuperação de pastagens e fixação biológica de N2.

São muitos os benefícios que proporcionam maior produtividade, economia e claro, contribuem com o meio ambiente. Saiba mais sobre o universo da adubação verde visitando o site da Sementes Piraí e entre para o time dos adubadores do futuro!

 

Projeto ABC Cerrado chega em Arax√°/MG!

terça-feira, março 15th, 2016
Imagem: Senar.

Imagem: Senar.

A a√ß√£o do Projeto ABC Cerrado finaliza sua terceira rodada mineira na pr√≥xima quinta-feira em Arax√°/MG. Os semin√°rios de sensibiliza√ß√£o j√° passaram por Una√≠ e Patos de Minas e s√£o uma realiza√ß√£o do Minist√©rio da Agricultura e Pecu√°ria (MAPA), Embrapa e Senar. O evento est√° marcado para o Audit√≥rio da Acia (Avenida Get√ļlio Vargas, 365, Centro), das 13h30 √†s 18h.

A inten√ß√£o √© apresentar aos produtores os conceitos, vantagens e aplica√ß√Ķes da agricultura com baixa emiss√£o de carbono, explicitando seus benef√≠cios econ√īmicos e que contribuem com o meio ambiente. O tema de sensibiliza√ß√£o √© a ‚ÄúProdu√ß√£o com preserva√ß√£o nos campos ‚Äď Bioma Cerrado‚ÄĚ. Na oportunidade, os produtores ter√£o informa√ß√Ķes detalhadas sobre cada etapa do projeto e tamb√©m sobre como implantar as tecnologias em suas propriedades, conhecendo as linhas de cr√©dito.

O Projeto ABC Cerrado vem trabalhando nos oito estados que compreendem tal bioma, atuando em três etapas: seminários de sensibilização, capacitação de produtores e técnicos nas tecnologias ABC e assistência técnica. O Senar é o responsável por toda a formação técnica, que engloba quatro tecnologias do sistema, como o plantio direto e as florestas plantadas. A intenção, ao longo dos quatro anos de atuação, é capacitar mais de 12.000 produtores.

Para saber mais sobre o semin√°rio em Arax√°, ligue (31) 3074-3080.

Fonte: Agrolink

Tecnologia ABC de ponta

Você sabia que a adubação verde é uma tecnologia de baixa emissão de carbono, que oferece vantagens comprovadas pela pesquisa e prática de campo?

Dentre seus benef√≠cios destacam-se o aumento da produtividade com menor aplica√ß√£o de recursos. A aduba√ß√£o verde pode ser implantada nas mais diversas culturas, do algod√£o ao tabaco. Para saber mais, acesse o site da Sementes Pira√≠ e navegue pelo universo da aduba√ß√£o verde. Colete informa√ß√Ķes e d√™ in√≠cio a sua tarefa verde.

Seja você também mais um produtor sustentável!

 

 

Conciliando sustentabilidade e produção na agricultura familiar!

sexta-feira, março 11th, 2016
Imagem: Divulgação/Ipam.

Imagem: Divulgação/Ipam.

√Č sabido que as tecnologias de baixa emiss√£o do carbono est√£o ganhando espa√ßo na agricultura/agropecu√°ria de m√©dio e grande porte Brasil afora, mas e a agricultura familiar? – Essa resposta chega com a publica√ß√£o do Ipam (Instituto de Pesquisa da Amaz√īnia), Caminhos para uma Agricultura Familiar sob bases ecol√≥gicas: Produzindo com Baixa Emiss√£o de Carbono.

O tema constitui um dos grandes desafios do setor atualmente. Para tanto, a publicação compila estratégias que unem aumento da produtividade com a redução na emissão dos gases causadores do efeito estufa. Trata-se de uma publicação mais técnica, fruto de um seminário realizado há três anos atrás, mas que mantém seu pioneirismo a cerca de apontar caminhos sobre o ABC para a agricultura familiar.

Ao todo, o livro possui onze artigos escritos por especialistas participantes do tal semin√°rio, retratando estudos e experi√™ncias referentes √† todas as regi√Ķes brasileiras. A obra foi pautada nas diferentes caracter√≠sticas entre a agricultura familiar e a agricultura comercial, adaptando as tecnologias ABC para esse cen√°rio mais peculiar. Tamb√©m s√£o destacadas pr√°ticas j√° observadas em algumas regi√Ķes do pa√≠s.

A implanta√ß√£o de tal tecnologia nas produ√ß√Ķes familiares, esbarra em alguns entraves burocr√°ticos como a falta de regulariza√ß√£o fundi√°ria e ambiental e a aus√™ncia de pol√≠ticas p√ļblicas e de financiamento da produ√ß√£o sustent√°vel. Por√©m, uma alternativa apontada pelo Ipam est√° no aproveitamento do Pronaf, como fonte de financiamento para a tecnologia ABC da agricultura familiar. Cabe agora com o lan√ßamento do livro, a ado√ß√£o de medidas que facilitem a vida do produtor nesse aspecto e que contribuam para #adubarofuturo das pequenas produ√ß√Ķes familiares!

Obs: acesse a publicação online, aqui.

Fonte: Observatório ABC

Tecnologia ABC universal

Serve para os grandes e com certeza, serve para os pequenos também! Você sabia que a adubação verde é uma tecnologia de baixa emissão de carbono e que pode chegar à sua propriedade?

Conheça os benefícios da técnica visitando a loja online de sementes para adubação verde voltada para os pequenos e médios produtores, a EcoSeeds.

Aproveite para efetuar sua compra e assim, iniciar sua tarefa verde em prol de mais rentabilidade e sustentabilidade no seu cultivar!

Safra 2014/15 fechou com aumento de 35% nas contrata√ß√Ķes do Plano ABC!

quinta-feira, fevereiro 4th, 2016
As seis tecnologias agrícolas contempladas no Plano ABC contribuíram para adubar o futuro na safra 2014/15 - Imagem: Agricultura de Baixo Carbono (Blog).

As seis tecnologias agrícolas contempladas no Plano ABC contribuíram para adubar o futuro na safra 2014/15 РImagem: Agricultura de Baixo Carbono (Blog).

A safra 2014/15 fortaleceu um pouco mais a a√ß√£o do Programa ABC (Agricultura de Baixa Emiss√£o de Carbono). O n√ļmero de contratos assinados subiu pouco mais de 35% em compara√ß√£o a safra 13/14. A expans√£o na √°rea financiada pelo ABC, no comparativo entre os dois ciclos produtivos, tamb√©m aumentou: 20,29%. Os dados s√£o da Secretaria do Produtor Rural e Cooperativismo do Minist√©rio da Agricultura, Pecu√°ria e Abastecimento (Mapa).

No total, esse acr√©scimo significou mais 8.018 novos contratos, resultando num montante de 3,65 bilh√Ķes de reais vinculados ao financiamento de tecnologias do Plano ABC, em √°rea equivalente a 1,76 milh√£o de hectares. As a√ß√Ķes contempladas pelo financiamento s√£o seis: fixa√ß√£o biol√≥gica de nitrog√™nio, florestas plantadas, integra√ß√£o lavoura-pecu√°ria-floresta, recupera√ß√£o de pastagens degradadas, sistema de plantio direto e tratamento de dejetos animais.

Os dados apresentados indicam que o país alcançou seus objetivos de 2015: 105% da meta para florestas plantadas, 80% para o plantio direto e 40% para a recuperação de áreas degradadas. Além disso, a capacitação de técnicos e produtores rurais no sistema ABC somou mais de 5.550 no ano, aumento de 26% em comparação a 2014.

Outro indicador positivo est√° no crescimento de 106% no financiamento de conv√™nio com estados, institui√ß√Ķes de ensino superior e centros de pesquisa. Essa alta representa a inje√ß√£o de 2,8 milh√Ķes de reais para capacita√ß√£o, implementa√ß√£o estadual, pesquisa e desenvolvimento de tecnologias do Plano, entre outras a√ß√Ķes.

Todos esses n√ļmeros s√£o par√Ęmetros extremamente positivos para a continua√ß√£o das a√ß√Ķes do Plano ABC. Isso impacta a consci√™ncia dos produtores, que observando tamanho resultado, sentem-se sensibilizados a aderir √†s tais tecnologias. O meio ambiente e a agricultura agradecem e assim, vamos continuar a #adubarofuturo com produtividade e sustentabilidade.

Fonte: Agrolink.

Incorpore a adubação verde nas tecnologias ABC

Produtor, saiba que a aduba√ß√£o verde √© uma tecnologia contemplada pelo Plano ABC. A aquisi√ß√£o de sementes para aduba√ß√£o verde e cobertura vegetal constam no hall de a√ß√Ķes financiadas pelo programa.

Isso significa que todos os benefícios da técnica que melhora a capacidade produtiva do solo, como a fixação biológica de nitrogênio, estão à disposição para ser implantados na sua produção sustentável.

Conheça as vantagens em utilizar os adubos verdes na sua lavoura, faça parte do Plano ABC e conquiste resultados positivos.

Saiba mais acessando o site da Sementes Piraí: http://www.pirai.com.br/

Tecnologias sustent√°veis colaboram para a produtividade agropecu√°ria!

quarta-feira, janeiro 20th, 2016
O sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta é um modelo de produção sustentável e garante a diversificação na renda do produtor - Imagem: Divulgação/Embrapa.

O sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta é um modelo de produção sustentável e que garante a diversificação na renda do produtor РImagem: Divulgação/Embrapa.

A agropecu√°ria foi vista por muitos como um dos vil√Ķes do aquecimento global. Embora a verdade n√£o seja fiel √† realidade, o setor se mobilizou para minimizar o m√°ximo que pudesse os efeitos de sua a√ß√£o na emiss√£o de gases causadores do efeito estufa. A partir disso, a recupera√ß√£o de √°reas degradadas, a integra√ß√£o lavoura-pecu√°ria-floresta (ILPF) e o Plano ABC (Agricultura de Baixo Carbono) foram algumas das op√ß√Ķes apresentadas aos produtores e hoje, o cen√°rio de ades√£o √† tais t√©cnicas vem crescendo.

Um bom exemplo está no município mato-grossense de Santa Carmem, na fazenda Platina. A integração lavoura-pecuária apareceu na propriedade, a priori, para custear despesas de manejo de pastagem, iniciando a ação em 380 hectares. Ao passar dos anos, todos os 2,4 mil hectares da fazenda estão integradas com a técnica.

O resultado está no aumento do rebanho, na utilização de parte da área para lavoura e na proteção de 1,1 mil hectares de floresta situadas na propriedade. Entre outros ganhos, observa-se a diminuição do tempo médio de abate do rebanho e o aumento na produtividade na lavoura de soja. O solo também apresentou impacto positivo com a implantação da integração. Com tudo isso, a Fazenda Platina diversificou sua renda.

Um relat√≥rio sobre tais pr√°ticas sustent√°veis de produ√ß√£o deve sair este ano e os n√ļmeros apresentados apontar√£o o rumo que o pa√≠s deve tomar para honrar seu compromisso de, at√© 2020, recuperar 15 milh√Ķes de √°reas degradadas e integrar cinco milh√Ķes de hectares com alguma pr√°tica sustent√°vel. Um dos subs√≠dios que favorecem o cumprimento da meta √© o Plano ABC, oferecendo linhas de cr√©dito e car√™ncias especiais aos produtores que entrarem para a sustentabilidade produtiva.

Os benefícios da ILPF e da recuperação de áreas degradadas são esforços de resultados comprovados que mais uma vez, apresentam a relação ganha-ganha: ganha o produtor que pode diversificar sua renda, colaborando para a recuperação de sua propriedade e ganha o meio ambiente, que tem áreas reflorestadas e sofre menos com o aquecimento global. Isso é #adubarofuturo!

Fonte: Portal Brasil

Agropecuária sustentável passa pela adubação verde

A adubação verde pode contribuir para melhorar a pastagem existente ou plantar novamente após a recuperação química, física e biológica da área de pastagem. A técnica é parte dessa solução com o adendo da sustentabilidade no processo de recuperação.

Como resultados garantidos, o agropecuarista pode esperar por:

  • Melhoria no manejo da pastagem;
  • Incrementa√ß√£o no estoque de carbono no solo;
  • Aumento na qualidade da pastagem;
  • Redu√ß√£o na emiss√£o de g√°s metano.

Conheça mais sobre o que adubação verde pode fazer pela sua pastagem. Acesse o site da Sementes Piraí, nossa adubadora, e faça parte do time da agropecuária que aumenta sua rentabilidade em parceria com o cuidado ao meio ambiente.