17abr/170

Dia de campo mostrará alternativas de consórcios para segunda safra

Inserido em Adubação Verde, Adubar o Futuro, Agricultura, agronegócio, agropecuária, cobertura vegetal, Crotalária, Informação, Nematoides, pastagem, Piraí Sementes, Recuperação de áreas degradadas, Recuperação de solos, Sustentabilidade, tecnologia por Admin em 17 de abril de 2017No Comments »

___________________________________________________________________

Obs: O texto de hoje é uma reprodução integral do excerto de Gabriel Faria, da Embrapa Agrossilvipastoril. Agradecemos e creditamos ao Gabriel todo o conteúdo textual postado abaixo.

Gabriel Faria (mtb 15.624/MG JP)
Embrapa Agrossilvipastoril
agrossilvipastoril.imprensa@embrapa.br
Telefone: (66) 3211-4227

____________________________________________________________________

Crédito da Imagem: Site - Embrapa.

Crédito da Imagem: Site – Embrapa.

Capim com guandu anão, capim com crotalária, girassol com capim, capim com nabo forrageiro e niger. Esses são alguns dos consórcios possíveis de serem utilizados na segunda safra em Mato Grosso e que serão apresentados aos participantes do 7º Dia de Campo sobre Sistemas Integrados de Produção Agropecuária. O evento está com inscrições abertas e será realizado no próximo dia 28, na Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop (MT).

As alternativas de consórcios serão o tema de uma das quatro estações principais do dia de campo. Nela o pesquisador da Embrapa Flávio Wruck e o produtor José Eduardo Soares Júnior abordarão opções de composições que podem atender a diferentes necessidades do agricultor, tanto daquele que faz integração lavoura-pecuária, quanto daquele que necessita de palhada para a cobertura do solo.

São opções para descompactação do solo, redução da população de nematoides, fixação biológica de nitrogênio, aumento do teor de matéria orgânica, formação de palhada, entre outros.

“De maneira geral, esses consórcios visam à melhoria das condições químicas, físicas e biológicas do solo ao mesmo tempo em que possibilitam a receita com a pecuária ou com a colheita de grãos”, resume Flávio Wruck.

Durante a apresentação, o pesquisador da Embrapa abordará a implantação de cinco consórcios, com variações entre eles.

“Vamos falar sobre a estratégia de semeadura, as quantidades de sementes que devem ser utilizadas e os cuidados no momento da implantação do consórcio”, explica Wruck.

Com grande experiência na utilização desses consórcios na fazenda Capuaba, em Lucas do Rio Verde, o produtor rural José Eduardo destacará os resultados obtidos com o uso das combinações.

Todos os consórcios abordados no dia de campo poderão ser vistos na vitrine de tecnologias da Embrapa.

Confira a seguir os consórcios que serão apresentados:

 – Guandu (anão ou arbóreo) com braquiária Paiaguás – chamado de feno tropical, esse consórcio visa o uso para pastejo do gado no período de seca. Com alto teor de tanino na fase de crescimento, o guandu torna-se palatável justamente na época da seca, sendo assim uma reserva proteica. Outros benefícios são a descompactação do solo e a fixação biológica de nitrogênio (FBN).

- Feijão-caupi com braquiária Paiaguás – usado para pastejo no período da seca, contribui não só para FBN, mas também para o aumento do teor de proteína na dieta do gado.

- Crotalária juncea com Paiaguás – usado para FBN e para formação de palhada para o plantio direto.

- Crotalária ochroleuca ou spectabilis com Paiguás – consórcios de dupla aptidão. Servem tanto para o pastejo como para formação de palhada. Além de fixar nitrogênio no solo, a ocroleuca ajuda a reduzir a população de nematoides na área.

- Girassol com Paiaguás – o consórcio possibilita a colheita dos grãos e a formação de uma pastagem para o período seco, ou mesmo de palhada para o plantio direto.

- Paiguás com coracama (pé-de-galinha), com guandu-anão, niger e nabo forrageiro – possibilita o pastejo, contribuindo para a melhoria do perfil do solo.

Programação

Além da estação sobre os consórcios para segunda safra, a programação do dia de campo contará com mais três estações no circuito principal. Uma delas abordará a produção animal na integração lavoura-pecuária. Em outra, com o auxílio de uma trincheira aberta em meio à ILPF, será tratada a dinâmica e distribuição de nutrientes no solo e a perda de água e solo em um sistema ILPF. A quarta estação terá como tema a fruticultura, contemplando a cultura do maracujá.

Após o término do circuito principal, o participante terá a oportunidade de retornar a alguma estação em que queira tirar mais dúvidas, ou ainda poderá visitar outras quatro estações satélite. Essas estações, cuja visitação é facultativa, abordarão a qualidade da castanha-do-brasil em Mato Grosso, cultivares e aspectos econômicos do feijão-caupi, a criação de abelhas sem ferrão e a apresentação das duas novas forrageiras lançadas pela Embrapa, o híbrido de braquiária BRS Ipyporã e o Panicum maximum BRS Quênia.

Inscrições

As inscrições antecipadas para o dia de campo já estão abertas e podem ser feitas gratuitamente no site www.embrapa.br/agrossilvipastoril. Para se inscrever basta clicar no banner correspondente ao evento e preencher o formulário eletrônico. Em caso de inscrição de grupos maiores, como caravanas de produtores ou turmas universitárias, as inscrições podem ser feitas normalmente pelo site, porém é preciso que o responsável pelo grupo entre em contato pelo e-mail agrossilvipastoril.eventos@embrapa.br informando o número de pessoas e o horário de chegada.

O 7º Dia de Campo sobre Sistemas Integrados de Produção Agropecuária é realizado em conjunto pela Embrapa Agrossilvipastoril, Sistema Famato e Senar-MT. O evento conta com patrocínio da Acrinorte, Unipasto e Rede de Fomento ILPF.

____________________________________________________________________

Conheça melhor todos os benefícios da adubação verde

O 7º Dia de Campo sobre Sistemas Integrados de Produção Agropecuária apresentará ao público maneiras de se utilizar a adubação verde em consórcio, objetivando a descompactação do solo, a redução da população de nematoides, a fixação biológica de nitrogênio, o aumento do teor de matéria orgânica, a formação de palhada, entre outros.

Você pode saber como a adubação verde age em cada um desses casos visitando o site da nossa adubadora, Sementes Piraí, e se cadastrando na Central do Adubador. Dessa forma, você terá acesso à conteúdos exclusivos preparados para norteá-lo a levar a adubação verde ao encontro da sua necessidade. Clique aqui e torne-se um adubador gratuitamente.

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>