5mai/170

Conhecimento que cuida do futuro: Projeto Pezinho na Terra em Alta Floresta/MT

Inserido em Adubação Verde, Adubar o Futuro, Agricultura, agricultura familiar, alimentação, Alimentos Orgânicos, educaçao, Hortaliças, Informação, orgânico, Piraí Sementes, Sustentabilidade por Admin em 05 de maio de 2017No Comments »
Imagem: Watson

Imagem: Watson Costa Santos.

Iniciativa conta com a ajuda da adubação verde para o desenvolvimento de hortas escolares

Watson Costa Santos é mais um exemplo de adubador do futuro! Exemplo esse que juntou sua iniciativa com a proposta da nossa adubadora, Sementes Piraí, em garantir que o conhecimento sustentável agrícola terá continuidade pelas próximas gerações.

Ele é o coordenador do Pezinho na Terra, desenvolvido na cidade matogrossense de Alta Floresta. As escolas Vicente Francisco e Ludovico da Riva Neto, respectivamente municipal e estadual, são as incubadoras do projeto, que visa apresentar o cultivo sustentável das hortas para as crianças, levando a prática da terra para a sala de aula e claro, promovendo o repasse de conhecimento às famílias de cada aluno participante.

Hoje, o projeto atende cerca de 300 crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. Para este ano, a ação têm metas de expansão: abranger todas as escolas do município. Para conhecê-la melhor, bem como seus progressos e a participação do projeto de doação de sementes para adubação verde da Sementes Piraí na ação, nossa equipe conversou com o seu idealizador. Confira abaixo:

Adubar o Futuro: Como você desenvolveu o projeto e qual é o seu intuito? Qual o retorno que você já percebeu?

Watson Costa Santos: Foi através de meu hobby. Sou engenheiro agrônomo e cultivo hortaliças no meu quintal e com isso observei que meus filhos se interessam em ajudar no cultivo e ainda a comer os alimentos que nós plantamos. Logo, outras pessoas vieram a me perguntar sobre dar aula em escolas.

Bom, com o projeto digitalizado encaminhei-o a uma igreja local e eles aderiram a ideia, contemplando minha proposta ao Projeto Futuro, que tem por objetivo tirar as crianças carentes de rua, preenchendo seu tempo apresentando informação em atividades lúdicas. Meu projeto então, foi implantado nas escolas. A ideia é conscientizar as crianças sobre uma alimentação saudável, despertar o interesse em cultivar em casa e trabalhar com reciclagem (tanto o lixo orgânico que vira composto depois, quanto com pneus, garrafas, entre outros).

O retorno é observar as crianças descobrindo novos sabores, acompanhando o crescimento das plantas e despertando sua curiosidade com o desenvolvimento dos cultivos e a futura colheita, além de perceber a transmissão de conhecimentos da escola para a casa, aplicando o que aprenderam com a família.

AF) Como foi a recepção da crianças e dos demais professores com esses projetos?  

Imagem: Watson Costa Santos.

Imagem: Watson Costa Santos.

      

WCS: De início elas estavam receosas em se envolver, porém com o passar dos dias observando a evolução das hortas, elas pegaram gosto por participar. Tanto que cada sala liberava apenas cinco alunos para o projeto e em pouco tempo, já contávamos com 20 alunos por classe.

Já os professores entenderam minha proposta, pois a horta poderia chegar à sala de aula, facilitando a compreensão dos alunos em determinadas matérias. Por exemplo, em matemática usamos a horta para explicar os cálculos de área e espaçamento; em biologia usamos os exemplos vistos na horta para demonstrar os fungos e bactérias; em química, as crianças aprendem na prática a relação das propriedades químicas dos adubos.

AF) Como você conheceu o projeto de doação de sementes? Quais sementes requisitou?

WCS: Temos algumas dificuldades em captação de recursos. Para viabilizar a ação, pesquisei em sites de empresas que poderiam ser parceiras do projeto. Optei por refinar minha busca por empresas que oferecessem soluções para solos compactados e de baixa fertilidade.

Dessa forma, encontrei a Sementes Piraí e o seu projeto de Doação de Sementes para Adubação Verde. Não requisitei nenhuma espécie em específico, pedi o que a empresa pudesse mandar e recebi sementes de Crotalárias spectabilis e juncea, Feijão-de-porco, Mucuna-cinza e Feijão-guandu.

Sementes doadas pelo projeto de doação de sementes para adubação verde da Sementes Piraí - Imagem: Watson Costa Santos.

Sementes doadas pelo projeto de doação de sementes para adubação verde da Sementes Piraí – Imagem: Watson Costa Santos.

AF) Qual o momento atual de cada um dos projetos?

WCS: O projeto agora está ativo, acompanhando o calendário escolar. A ideia é, neste ano, implantar em todos os colégios de Alta Floresta.

AF) Quais as considerações que você já pode mencionar sobre a ajuda da adubação verde em o seu projeto?

WCS: Estamos querendo aplicar o SPDH – Sistema de Plantio Direto em Hortaliças. Achei interessante o trabalho e a ajuda da adubação verde é essencial devido a gama de benefícios que pode trazer para a produção. Trata-se do primeiro passo ideal para o manejo do solo nas escolas, solucionando o problema da alta compactação. Quero poder contar sempre com o apoio da Piraí.

 

O trabalho do Watson tem contribuído para que crianças e adolescentes de Alta Floresta tenham contato de forma mais próxima com a agricultura, entendendo a importância da sustentabilidade nos meios produtivos e quem sabe projetando futuros agrônomos, técnicos extensionistas, entre outras profissões ligadas ao campo. O projeto Pezinho na Terra é ação que ajuda #adubarofuturo!

Obs: se você tem um projeto ou uma pesquisa e quer contar com a ajuda da adubação verde via doação de sementes, tal como Watson fez, contate a Sementes Piraí.

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>