Archive for the ‘orgânico’ Category

Conhecimento que cuida do futuro: Projeto Pezinho na Terra em Alta Floresta/MT

sexta-feira, maio 5th, 2017
Imagem: Watson

Imagem: Watson Costa Santos.

Iniciativa conta com a ajuda da adubação verde para o desenvolvimento de hortas escolares

Watson Costa Santos é mais um exemplo de adubador do futuro! Exemplo esse que juntou sua iniciativa com a proposta da nossa adubadora, Sementes Piraí, em garantir que o conhecimento sustentável agrícola terá continuidade pelas próximas gerações.

Ele é o coordenador do Pezinho na Terra, desenvolvido na cidade matogrossense de Alta Floresta. As escolas Vicente Francisco e Ludovico da Riva Neto, respectivamente municipal e estadual, são as incubadoras do projeto, que visa apresentar o cultivo sustentável das hortas para as crianças, levando a prática da terra para a sala de aula e claro, promovendo o repasse de conhecimento às famílias de cada aluno participante. (mais…)

Oportunidade: CNPq abre vaga de pesquisa sobre agroecologia e orgânicos no ES

quinta-feira, janeiro 19th, 2017
A chamada do CNPq visa melhorar o trabalho da agroecologia, do cultivo orgânico e dos sistemas produtivos baseados em tais opções produtivas - Imagem: Assessoria de Comunicação/ Seag (ES).

A chamada do CNPq visa melhorar o trabalho da agroecologia, do cultivo orgânico e dos sistemas produtivos baseados em tais opções produtivas – Imagem: Assessoria de Comunicação/ Seag (ES).

Nosso recado hoje é destinado aos pesquisadores do Espírito Santo! O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) abriu, na semana passada, a Chamada MCTIC/MAPA/MEC/SAF-CASA CIVIL/CNPQ Nº 21/2016. As incrições poderão ser feitas até 10/03 pelo site do Conselho. Foi apresentado o investimento de mais de 10 milhões de reais em pesquisas nas áreas de Agroecologia, Produção Orgânica e promoção dos Sistemas Orgânicos de produção nas modalidades de ensino, pesquisa e extensão.

Atualmente, a agroecologia já é realidade para 300 produtores capixabas, que possuem a certificação orgânica. Tal tipo de produção é reconhecida como boa alternativa socioprodutiva, que valoriza a cultura local e proporciona a internalização do tema nas instituições de pesquisa, ensino e extensão. (mais…)

Novos voos da Native!

quinta-feira, dezembro 22nd, 2016
Café orgânico em cápsulas Native - Imagem: Divulgação.

Café orgânico em cápsulas Native – Imagem: Divulgação.

A Native, subsidiária do Grupo Balbo, e maior produtora mundial de açúcar orgânico anunciou em meados de setembro que está investindo em uma nova área: a produção de café em cápsulas, livro de químicos.

A empresa resolveu investir nesse nicho visto seu crescimento exponencial dos últimos anos, além do valor agregado, que é bem maior do que é observado no produto tradicional, torrado e moído. Só no último ano o café em cápsula correspondeu a 0,6% do total de café consumido no país. Apesar de ser um número baixo, o mercado ganha força devido a comodidade e a sustentabilidade do próprio sistema de produção, venda e consumo. (mais…)

Orgânicos: novas tecnologias vem por aí!

quinta-feira, dezembro 1st, 2016
As fichas agroecológicas são mais um estímulo ao crescimento da produção orgânica no país - Imagem: Divulgação.

As fichas agroecológicas são mais um estímulo ao crescimento da produção orgânica no país – Imagem: Divulgação.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento divulgou um documento que apresenta as tecnologias mais adequadas para o cultivo orgânico. Nomeado de Fichas Agroecológicas: Tecnologias Apropriadas para a Produção Orgânica, o documento teve tiragem inicial de 5.000 exemplares, que estão sendo distribuídos desde o último dia 22 para núcleos de agroecologia, universidades e para projetos de extensão.

O documento contém informações sobre manejo de solo, manejo das plantas, preparo de insumos para controle sanitário animal e vegetal, adubação verde, dentre outras tecnologias propícias a esse tipo de cultivo. Todo o material foi construído visando facilitar a disseminação e a compreensão dos agricultores, com uma linguagem didática e que promova, diretamente e indiretamente, a ampliação de produções orgânicas pelo país. (mais…)

3ºSeminário de Agricultura Sustentável em SP!

segunda-feira, outubro 31st, 2016
Imagem: Divulgação.

Imagem: Divulgação.

Partilhamos hoje o convite para o 3ºSeminário de Agricultura Sustentável que acontece no próximo sábado, 05/11, na capital paulista! O evento é uma realização da Associação Miyagui Kenjinkai do Brasil e conta com o apoio da Nutrisafra Fertilizantes e Ophicina Orgânica!

No corpo de palestrantes estão:

  • Takanoli Tokunaga, engenheiro agrônomo, pesquisador científico da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI);
  • Antonio Ambrósio Amaro, engenheiro agrônomo, pesquisador científico VI do Instituto de Economia Agrícola (IEA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA);
  • Kunio Nagai, engenheiro agrônomo, consultor em Agricultura Sustentável.

A programação do evento consta abaixo: (mais…)

Agricultura orgânica em debate em Campinas/SP

sexta-feira, outubro 21st, 2016
Imagem: Divulgação.

Imagem: Divulgação.

A cidade de Campinas/SP debate até o próximo domingo as políticas e as diretrizes para o bom desenvolvimento da agricultura orgânica na cidade. Tudo isso dentro da 13ª Semana de Agricultura Orgânica do município.

Neste ano, o tema abrange “Em defesa da autonomia alimentar e produção sustentável” e está debatendo a produção, o consumo e o desenvolvimento de políticas públicas sobre produtos orgânicos numa programação que envolve palestras, oficinas, exposição de filmes e outras atividades localizadas em diversos pontos da cidade.

Na pauta de debates estão subtemas como a utilização de agrotóxicos, os desafios para a comercialização de produtos, encontro com grupos de consumo e cursos sobre o cultivo de plantas alimentícias não convencionais (PANCs). (mais…)

Agricultura familiar brasileira nos olhos do mundo!

quarta-feira, outubro 5th, 2016
O FIDA financia projetos que levem desenvolvimento de forma sustentável à agricultura familiar - Imagem: MDA/FIDA/Ubijara Machado.

O FIDA financia projetos que proporcionem desenvolvimento de forma sustentável à agricultura familiar – Imagem: MDA/FIDA/Ubijara Machado.

Kanayo F. Nwanze, Presidente do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA/ONU), afirmou que o Brasil tem muito a ensinar ao mundo sobre agricultura familiar e sua importância. A declaração foi dada em meados de junho na véspera de sua visita ao país.

Nwanze pontuou que a agricultura familiar  tem peso importante para a alimentação do país, cenário esse reforçado com o dado de que 70% dos gêneros alimentícios consumidos pelo mercado interno são produzidos pelo setor. Mais uma comprovação de que a agricultura familiar tem condições suficientes para ajudar na tarefa de alimentar o mundo.

A visita do presidente do FIDA teve endereço certo, duas cooperativas financiadas pelo fundo no Estado da Bahia. Segundo Kanayo, a parceria do Fundo com o país já passa de três décadas e trabalha para reduzir a pobreza e transformar as áreas rurais em produções sustentáveis, que colaboram para a produtividade e rentabilidade dos produtores. Além disso, o FIDA atua no compartilhamento de inovações desenvolvidas no Brasil para o resto do mundo, como métodos de produção orgânica e agroecológica, coleta de água e tecnologias de conservação e metodologias de planejamento participativo. (mais…)

Orgânicos em evidência no Alto Tietê!

sexta-feira, setembro 30th, 2016
A cebola orgânica é um dos destaque na produção de Victor Cezarini, em Suzano/SP - Imagem: Divulgação.

A cebola orgânica é um dos destaque na produção de Victor Cezarini, em Suzano/SP – Imagem: Divulgação.

Os municípios paulistas de Suzano e Mogi das Cruzes apostaram na produção orgânica e agora já começaram a colher os bons frutos dessa decisão. Mesmo com a crise os produtores constataram aumento no faturamento. A associação de agricultores de Mogi das Cruzes pontua que o movimento do setor é crescente e a demanda acompanha essa ação.

O trabalho da Associação de Produtores Orgânicos conta com dez associados que se planejam para produzir, programando o cultivo conforme a sazonalidade do produto. Como mercado comprador está a própria região, a capital, o litoral e os municípios do ABC.

A produção orgânica tem como base o cuidado com o solo, auxiliando e diminuindo o problema dos cultivares com o ataque de doenças e plantas daninhas, afirma Agnaldo Firmo Alves, um dos produtores associados. Em sua propriedade ele mantém canteiros com cebolinha e rúcula plantadas juntas, dificultando o aparecimento dessas pragas. (mais…)

I Seminário de Segurança Alimentar das Regionais da Capital e Grande São Paulo

segunda-feira, setembro 19th, 2016

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo convida os interessados para o I Seminário de Segurança Alimentar das Regionais da Capital e Grande São Paulo.

Mais informações abaixo:

unnamed

Lembrando que a confirmação de presença só é possível pelo e-mail: consea@consea.sp.gov.br

Boas novas para os cultivos orgânicos do Rio Grande do Norte!

quinta-feira, setembro 1st, 2016
A produçãoe orgânica de seu Francisco França é uma das contempladas por essa ação - Imagem: Fred Veras/Agência Sebrae de Notícias.

A produção orgânica de seu Francisco França é uma das contempladas por essa ação – Imagem: Fred Veras/Agência Sebrae de Notícias.

Já dissemos algumas vezes aqui que conhecer é o primeiro passo para melhorar. Quando se aplica essa frase na agricultura significa dizer que entender e mapear os agricultores, seus cultivos e necessidades abrem caminhos para oferecer ações mais eficientes, buscando sua melhoria produtiva, social e econômica. O Rio Grande do Norte, por sua vez, já está atuando nessa direção.

A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) e o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) estiveram no estado em meados de junho/julho para conhecer e mapear produtores e cooperativas orgânicas. O trabalho tem a intenção de fortalecer a parceria entre as instituições, facilitando a ampliação de projetos voltados à agricultura orgânica, através do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), ofertando assim produtos cada vez mais saudáveis às comunidades atendidas.

O PAA é uma ação em que a Conab compra os alimentos produzidos e os doa para uso em instituições previamente cadastradas, garantindo a segurança alimentar desses locais. (mais…)

Empaer e o Projeto Raízes em Mato Grosso!

terça-feira, agosto 23rd, 2016
O Projeto Raízes quer aumentar o número de produções agroecológicas/orgânicas no município de Cláudia - Imagem: Divulgação;

O Projeto Raízes quer aumentar o número de produções agroecológicas/orgânicas no município de Cláudia – Imagem: Divulgação.

O mês de julho marcou o início de um novo tempo em termos de conhecimento para os produtores do município de Cláudia, distante 620km da capital Cuiabá. No dia 28 a Empaer apresentou o Projeto Raízes, que tem como cerne a demonstração das Unidades de Referência Tecnológica (URT) com a inserção de tecnologia voltada às bases de produção agroecológica e ao cultivo orgânico. Na oportunidade, os produtores visitaram uma URT voltada a olericultura.

O Projeto Raízes planeja implantar quatro URTs no município, visando as principais vertentes produtivas: olericultura, fruticultura, mandiocultura e frango semi-caipira.  As URTs servirão de base e estímulo aos produtores para que eles conheçam as melhorias no cultivo agroecológico/orgânico, elevando assim a qualidade do produto ofertado e por consequência, seu valor.

Como exemplo da transição agroecológica o público visitou a propriedade da família Marinho da Silva, que cultiva folhosas, beterraba, quiabo, melancia, pepino, melão, entre outros produtos. A produção já recebe alguns cuidados agroecológicos como as técnicas de cuidados e manejo do solo, a inserção de plantas de cobertura e a adubação verde.

A Empaer espera atingir diretamente 62 propriedades destinadas ao cultivo horticultor e algumas destinadas ao cultivo de frutas, além de propriedades mistas como a visitada no dia do evento. O Projeto Raízes quer elevar o conhecimento e a capacitação de cada produtor para que no futuro, nem tão distante assim, eles possam caminhar com as próprias pernas só colhendo os benefícios da escolha orgânica/agroecológica.

Fonte: FolhaMax

Explorando a adubação verde

Como mencionado acima, a adubação verde fará parte do processo de transição agroecológica, contribuindo para o melhoramento natural das condições físicas, químicas e biológicas.

Para saber como a adubação verde atua nas culturas de hortaliças, frutas e orgânicos e implantar essa ação sustentável e econômica também na sua produção, basta acessar o site da nossa adubadora Sementes Piraí e navegar por todos os conteúdos informativos e atualizados sobre os benefícios da adubação verde.

Transforme sua produção com a adubação verde: o solo e o meio ambiente só terão a agradecer ;)

 

12º Seminário Regional de Agroecologia em Ibiúna/SP

sexta-feira, agosto 19th, 2016
Imagem: Divulgação.

Imagem: Divulgação.

No próximo dia 27 a cidade de Ibiúna/SP sediará o 12º Seminário Regional de Agroecologia.

O objetivo é apresentar os benefícios da agricultura ecológica aos produtores demonstrando técnicas, partilhando experiências, pontuando novidades em termos de certificação compartilhada, reforçando a importância da comunicação e do marketing aos pequenos produtores, entre outros temas.

Na programação, com duração de oito horas, constam palestras, homenagens e vendas de produtos orgânicos no local.

O evento é uma realização do Sindicato Rural de Ibiúna e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural e acontecerá no Centro Cultural de Ibiúna e é gratuito.

Para mais informações entre em contato com o Sindicato pelo telefone (15) 3241-1006.

Como sempre falamos aqui, essa é mais uma oportunidade de aumentar o número de adubadores do futuro, conscientizando mais produtores que produzir sustentavelmente gera riqueza social, qualidade de vida e ajuda a #adubaofuturo do meio ambiente.

_________________________________________________________________________

Adubação Verde e Agroecologia

Você sabia que a adubação verde é uma técnica agroecológica? Pois bem, o uso de adubos verdes consiste em uma prática sustentável que recupera, condiciona e ou melhora a saúde do solo, potencializando seus aspectos químicos, físicos e biológicos.

Pode ser incorporada em diversas culturas como a produção orgânica.

Para saber mais os benefícios da adubação verde acesse o site da nossa adubadora, Sementes Piraí, e planeje sua guinada verde e produtiva.

 

Farmsquare: tecnologia que une a fome com a vontade de comer!

terça-feira, agosto 16th, 2016
O app Farmsquare une produtores e consumidores orgânicos de forma direta e promove a difusão da alimentação saudável - Imagem: Divulgação.

O app Farmsquare une produtores e consumidores orgânicos de forma direta e promove a difusão da alimentação saudável – Imagem: Divulgação.

Nós já sabemos que a tecnologia tem contribuído em larga escala para diminuir fronteiras físicas e promover o desenvolvimento sustentável da sociedade. A história de hoje poderia ser sintetizada com a frase acima, uma vez que essa criação permitiu que doadores e consumidores de alimentos saudáveis pudessem se encontrar.

O desperdício alimentar é tema recorrente em fóruns do setor e é uma grande preocupação, no sentido de ameaça, para o desenvolvimento justo da sociedade. Outro fator que colabora para esse temor está na inversão produtiva causada pela urbanização. Só aqui no país já passamos dos 80% das áreas comprometidas com o “urbano”, restando pouco mais de 15% para as produções rurais. Porém esse contraponto gerou um novo conceito batizado de “urban farming” que vai ao encontro do aplicativo Farmsquare.

O app é fruto da parceria do ex-modelo e apresentador Rodrigo Hilbert com a marca de sucos Del Valle e surgiu por conta da demanda produtiva do próprio Hilbert. Ele cultiva em sua casa uma horta que nem sempre tem sua demanda suprida pela sua família. Aí veio a ideia de conectar produtores e consumidores sem a passagem pelos intermediários. Outros parceiros do Farmsquare são: David Hertz, chef, empreendedor social e fundador da Gastromotiva, a FLAGCX, a Niiez e a CI&T.

Segundo Marcelo Pascoa, diretor de Creative Excellence da Coca-Cola (Del Valle), o Farmsquare não é um campanha com prazo determinado para acabar, é uma ação de longo prazo que promoverá a difusão da alimentação saudável e valorizará a relação direta entre as pessoas.

Para ser um doador basta ser produtor de qualquer fruta, verdura ou legume. Entram nessa categoria as pessoas que querem doar excedentes da geladeira de casa, do restaurante ou de qualquer outro estabelecimento comercial. O app é aberto à ONGs, organizações sociais e pessoas comuns.

Conheça mais sobre o Farmsquare acessando sua plataforma, clicando aqui.

Fonte: Metrópoles.

Falando em agricultura orgânica…Vamos falar de adubação verde?

Saiba como a adubação verde colabora para a sua produção orgânica (de pequeno, médio ou grande porte) acessando o site da Sementes Piraí. Informe-se e constate os benefícios que os adubos verdes tem a oferecer para o seu cultivo!

 

 

 

Número de produtores orgânicos aumenta 10 vezes em três anos no Noroeste Fluminense

segunda-feira, agosto 15th, 2016

______________________________________________________________________

Obs: O texto de hoje é uma reprodução integral do excerto de Aline Proença, da Ex-Libris Comunicação Integrada. Agradecemos e creditamos à Aline todo o conteúdo textual e imagético postado abaixo.

______________________________________________________________________

Segundo agricultores, a adubação verde tem sido importante para garantir a reabilitação e enriquecimento do solo

Luciana Andrade afirma estar satisfeita com a produção orgânica, que aumentou sua renda e enriqueceu o solo - Imagem: Aline Proença.

Luciana Andrade afirma estar satisfeita com a produção orgânica, que aumentou sua renda e enriqueceu o solo – Imagem: Aline Proença.

Temperaturas elevadas, solo desgastado, falta de chuva e de mão-de-obra. Mesmo longe das condições ideais para qualquer plantação, resultados surpreendentes vêm sendo obtidos no cultivo de alimentos orgânicos no Noroeste Fluminense, região do estado com maior quantidade de terras degradadas. Há três anos, apenas nove agricultores vendiam produtos orgânicos. Hoje, 89 são credenciados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para realizar essa atividade – um aumento de mais de 10 vezes.

A movimentação do setor e a adoção de práticas agroecológicas são resultados do trabalho da Rede de Pesquisa, Inovação, Tecnologia e Serviços Sustentáveis – mais conhecida como Rede de Agroecologia, articulada desde 2012 pelo Rio Rural, programa da secretaria estadual de Agricultura. O grupo, coordenado pela Pesagro-Rio, conta com a participação de órgãos públicos e privados, como MAPA, Embrapa, Sebrae, Cedro (Cooperativa de Consultoria, Projetos e Serviços em Desenvolvimento Sustentável) e Emater-Rio.

Nos últimos três anos, a Rede de Agroecologia identificou e capacitou produtores que queriam substituir a produção convencional – com uso de agrotóxicos e fertilizantes químicos – pela cultura orgânica, que utiliza processos naturais de nutrição vegetal. No Noroeste Fluminense, o destaque é a produção de hortaliças.

Do “pedregulho” ao oásis

Rodeada por centenas de pés de salsinha, cebolinha, taioba e brócolis, Luciana Andrade não sente falta da agricultura convencional. “Eu só plantava couve e trabalhava no sol, era desgastante. Eu vendia tudo para o atravessador”, lembra a produtora da microbacia Santa Maria, em São José de Ubá.

Ela fez a transição para a produção orgânica por meio do sistema de mandala, em que a plantação toma o formato de um círculo. A recuperação do terreno, com solo empobrecido e cheio de pedras, se deu de forma lenta, mas recompensadora.

“Quando a terra é degradada, o trabalho de recuperação ambiental demora mais, pois é preciso devolver os nutrientes e, principalmente, matéria orgânica. A adubação verde ajuda muito nesse trabalho de reabilitação da terra”, menciona o consultor do Sebrae, João Batista dos Santos.

Ele explica que embora Luciana não tenha plantado os tradicionais vegetais de perfil adubador, como crotalária e feijão de corda, a opção foi pela adubação verde por meio da roçada. Diferente da capina, em que a planta é cortada pela raiz, a roçada representa o corte superficial dos canteiros, pois as plantas espontâneas que vão surgindo podem sufocar o cultivo. A matéria orgânica retirada com a roçada volta para a terra, enriquecendo e protegendo o solo. Essa biomassa vira adubo, além de impedir que o sol queime a terra ou a desagregue, caso chova muito. “A adubação verde é uma prática em expansão no Noroeste Fluminense. Mesmo com cuidados mais exigentes na hora do trato, os produtores estão percebendo pela própria experiência o quanto ela é eficiente”, complementa o consultor.

Luciana Andrade afirma que a adubação verde e a agricultura orgânica valeram a pena, pois a produção foi diversificada – a preferência é pelo cultivo de hortaliças que rebrotam, já que ela trabalha sozinha e economiza tempo no plantio – e começou a ser vendida em feiras, além do fornecimento para a merenda escolar. “Ganhei independência financeira e me orgulho de ver a propriedade viva, com pássaros e insetos. Virou o meu oásis”, confessa.

Certificação

Um alimento cultivado sem agrotóxicos ou adubos químicos não é, necessariamente, orgânico. O Ministério da Agricultura estabelece normas de produção para a concessão da certificação orgânica, entre elas, o uso de adubação natural e a construção de barreiras entre propriedades rurais, a fim de evitar que produtos químicos sejam espalhados pelo vento e atinjam lavouras orgânicas.

A certificação é importante para garantir ao consumidor a segurança na qualidade dos produtos que ele adquire. No caso dos agricultores familiares que fazem a venda direta ao consumidor, os produtos não precisam ter, obrigatoriamente, um selo. No entanto, para que os produtores provem a autenticidade dos alimentos – espécie de declaração de produção orgânica –, eles precisam fazer parte de uma Organização de Controle Social (OCS), entidade credenciada junto ao MAPA.

A organização é administrada pelos próprios produtores que, por meio de visitas às lavouras, fiscalizam uns aos outros, para observar se a legislação está sendo cumprida.

O produtor Luiz Carlos Curty tem plantação de beterraba, salsinha, cebola, couve e taioba na microbacia Córrego de Ubá, também em São José de Ubá. O colega de profissão de Luciana afirma que as vistorias da OCS são muito importantes. “Quando fazemos essa atividade, aproveitamos para aprender com os erros e acertos dos outros agricultores. A troca de conhecimento nos enriquece”, declara.

No Noroeste, existem 11 dessas organizações. A comprovação garantida pela OCS também é importante para que os agricultores familiares orgânicos acessem programas institucionais de comercialização de alimentos, como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do governo federal.

Expansão

Para estreitar a relação com o público e promover o intercâmbio produtivo entre as cidades, os agricultores do Noroeste pretendem implantar na região um projeto semelhante ao Circuito Carioca de Feiras Orgânicas, presente em 19 bairros da capital e Região Metropolitana do Rio.

“Melhorar a estratégia de comercialização é um desafio. A troca de experiências vai ser muito positiva. Na capital já deu certo”, sinaliza o agricultor de Varre-Sai, Jorge Luiz Martins. Os desafios e estratégias para evolução da cadeia de orgânicos do Noroeste são debatidos regularmente em seminários promovidos pela Rede de Agroecologia.

O secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo, afirma que as ações do Rio Rural tendem a fortalecer cada vez mais a produção de alimentos saudáveis no interior fluminense. “O produtor tinha apenas vontade. Agora possui incentivo, conhecimento e assistência técnica. Orgânico é qualidade de vida no campo e na cidade”, enfatiza Áureo.

Para Ana Paula Pegorer, consultora do Rio Rural e uma das articuladoras da Rede de Agroecologia, o apoio dos municípios é essencial para a expansão do setor. “No Rio, 64 cidades têm produção orgânica, ou seja, 70% do estado. Quanto mais as prefeituras comprarem orgânicos na merenda escolar e ajudarem com espaço para feiras, mais o pequeno agricultor terá a oferecer”, defende.

______________________________________________________________________

Seja você também um adubador verde!

Conheça todos os benefícios da adubação verde na agricultura orgânica acessando o site da Sementes Piraí, nossa adubadora.

Se informe e leve mais produtividade com sustentabilidade para a sua produção ;)

Desenvolvimento sustentável do país passa pela agricultura orgânica!

quarta-feira, agosto 10th, 2016
A agricultura orgânica é um dos caminhos para que o Brasil cumpra todo o documento da ONU - Imagem: Divulgação.

A agricultura orgânica é um dos caminhos para que o Brasil cumpra todo o documento “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável” da ONU – Imagem: Divulgação.

Para a ambientalista e urbanista Nina Orlow a agricultura orgânica será um dos pilares que o Brasil terá para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU). Tal documento prevê uma série de medidas que objetivam combater diversos problemas sociais, como a fome e o aquecimento global. O documento começou a ser executado em 2003 e seu término limite constará em 2030.

Porém, para Nina, o caminho brasileiro a ser percorrido nesse cenário é longo e ainda progride em passos de tartaruga. Apenas 1% das terras agricultáveis do país tem como bases a produção sustentável e agroecológica. Além disso, as pesquisas na área são poucas e o agricultor encontra obstáculos burocráticos, tanto financeiramente, quanto na parte de aquisição de sementes não- transgênicas.

Em contraponto, o governo brasileiro afirma que o crescimento de produções orgânicas vem movimentando e instigando novos produtores a aderirem à tal opção. Para o MAPA, o envolvimento da sociedade é fator crucial para o desenvolvimento desse tipo de cultivo crescer em maior escala. Orlow pontua que a ideia da alimentação saudável é a força que parte da sociedade para fomentar e até exigir uma agricultura mais sustentável.

É preciso que se compreenda, de uma vez por todas, que o melhor desenvolvimento social do país tem sua maior fatia de contribuição oriunda da produção orgânica. E os benefícios vão além da esfera social, uma vez que o meio ambiente também sente os reflexos de produções naturais. Para o que o Brasil avance nesse sentido e feche todas as questões pontuadas pelo documento da ONU essa mentalidade precisa ser abraçada. Só assim, a agricultura orgânica tomara seu espaço e contribuirá para #adubarofuturo por aqui.

Fonte: Globo Rural.

Orgânicos e adubação verde

A adubação verde é uma técnica agrícola milenar totalmente compatível com as bases de produção sustentável, que beneficiam a agricultura orgânica.

Mas como isso acontece?

Acontece pelo uso de diversas espécies de adubos verdes misturados, chamado de mix, coquetel e composto, que dessa forma aumenta a biodiversidade e os efeitos positivos da adubação verde pelas diferenças de cada espécie.

Saiba mais como levar a adubação verde para a sua produção orgânica acessando o site da Sementes Piraí e navegando pelo conteúdo destinado à agricultura orgânica.