Archive for the ‘Biomassa’ Category

Algod√£o: como aumentar sua produtividade?

terça-feira, novembro 29th, 2016
Campo de pesquisa da Embrapa, localizado na - Imagem: Fabiano Perina/Portal DBO.

Campo de pesquisa da Embrapa, localizado no campo experimental da Fundação Bahia РImagem: Fabiano Perina/Portal DBO.

Uma pesquisa da Embrapa, que está sendo realizada no campo experimental da Fundação Bahia, está comprovando que o uso de plantas de cobertura pode elevar a produtividade do algodoeiro em até 30% em comparação ao sistema tradicional de cultivo, a monocultura. O estudo quer demonstrar os benefícios das plantas de cobertura na melhoria dos atributos físicos e químicos do solo, o que resulta em melhor aproveitamento da água e maior produtividade da fibra para a cultura comercial.

J√ļlio Bogiani, respons√°vel pela condu√ß√£o da pesquisa, ressalta os benef√≠cios das plantas de cobertura para a conserva√ß√£o do solo e da √°gua, mantendo a produ√ß√£o superior, mesmo em condi√ß√Ķes adversas. A regi√£o Oeste da Bahia, segundo o pesquisador, vem sofrendo ao longo dos √ļltimos anos com os veranicos prolongados, o que est√° ocasionando a perda de produtividade das lavouras de algod√£o. (mais…)

9¬ļCongresso Nacional da Bioenergia

quinta-feira, outubro 6th, 2016
Imagem: UDOP.

Imagem: UDOP.

Ara√ßatuba receber√° entre os dias 09 e 10 de novembro o 9¬ļCongresso Nacional da Bioenergia, uma realiza√ß√£o da Uni√£o dos Produtores de Bioenergia (UDOP). O evento j√° est√° consagrado no calend√°rio e √© o maior congresso da √°rea no pa√≠s.

Mais uma vez, os temas abordarão as novas tecnologias, os sistemas de produção e os conceitos modernos de gestão para alavancar o atual momento de retomada do segmento. Doze salas temáticas apresentarão temas como Comunicação, Comercialização e Logística, Suprimentos e Tecnologia da Informação.

No corpo de palestrantes est√£o nomes como Thiago Guilherme P√©ra (Esalq/USP), Ismael Perina Jr. (C√Ęmara Setorial do A√ß√ļcar e do √Ālcool do Minist√©rio da Agricultura), J√≥ Ueyama (USP), Luiz Carlos Correa Carvalho (Abag), entre outros.

O 9¬ļCongresso Nacional da Bioenergia acontecer√° no Centro Universit√°rio Cat√≥lico Salesiano Auxilium – UniSalesiano, localizado na Rodovia Sen. Teot√īnioVilela 3821, km8,5, Jardim Alvorada.

As inscri√ß√Ķes, at√© 1¬ļ de novembro, possuem estes valores: (mais…)

Sementes Piraí disponibiliza catálogo técnico de reforma e implantação do canavial com adubação verde

terça-feira, setembro 13th, 2016

Conte√ļdo re√ļne informa√ß√Ķes sobre o uso da aduba√ß√£o verde na renova√ß√£o ou implanta√ß√£o de canaviais

release_catalogo_tecnico_canaviavel_sementespirai

A Sementes Pira√≠, empresa que h√° mais de 40 anos atua para o desenvolvimento econ√īmico e sustent√°vel das atividades agr√≠colas por meio da aduba√ß√£o verde, lan√ßa o cat√°logo t√©cnico exclusivo para o setor canavieiro. Trata-se do cat√°logo t√©cnico Canavi√°vel, material que re√ļne todas as instru√ß√Ķes que o setor necessita saber para utilizar a aduba√ß√£o verde na reforma ou implanta√ß√£o do canavial.

O cat√°logo apresenta como a aduba√ß√£o verde atua de forma sustent√°vel na cultura, proporcionando o aumento da produtividade nas √°reas j√° cultivadas e tamb√©m nas novas √°reas de produ√ß√£o. A t√©cnica atende as necessidades do setor, viabilizando a atividade nos aspectos econ√īmico e ambiental.

Abaixo, alguns dos benef√≠cios que a aduba√ß√£o verde oferece para a cultura de cana-de-a√ß√ļcar e que est√£o presentes no cat√°logo: (mais…)

Mais uma contribuição do setor energético para #adubarofuturo!

terça-feira, maio 31st, 2016
Palhada de cana, matéira-prima da biomassa - Imagem: Canal - Jornal da Bioenergia.

Palhada de cana – Imagem: Canal – Jornal da Bioenergia.

O g√°s carb√īnico, apesar de ser ingrediente indispens√°vel para a fotoss√≠ntese e manuten√ß√£o vegetal da terra, tem sido apontado como vil√£o do aquecimento global devido a muitos fatores, como a queima dos combust√≠veis f√≥sseis. Somente em mar√ßo do ano passado a concentra√ß√£o do g√°s chegou a casa de 400 partes por milh√£o (ppm), segundo a Ag√™ncia Nacional Oce√Ęnica e Atmosf√©rica (NOAA).

Para reverter essa situa√ß√£o, algumas alternativas s√£o estudadas e postas em pr√°tica pelo setor agr√≠cola. Uma delas, oriunda do setor sucroenerg√©tico, √© o uso da Biomassa (mat√©ria org√Ęnica colhida atrav√©s da palhada de cana-de-a√ß√ļcar) em substitui√ß√£o aos derivados do petr√≥leo na produ√ß√£o de energia el√©trica. A√ß√£o extremamente sustent√°vel que ajuda a reduzir os n√≠veis de g√°s carb√īnico na atmosfera.

Suas vantagens estão no baixo custo de operação, na redução dos níveis de CO2 na atmosfera, na preservação de água nos reservatórios das hidrelétricas (haja visto que o uso da biomassa poupou somente no ano passado cerca de 15% dos reservatórios do Sudeste e Centro-Oeste) e claro, por ser uma fonte de energia renovável e limpa.

A inten√ß√£o do setor √© continuar aumentando progressivamente o uso das Biomassa como fonte el√©trica, visando suprir inicialmente a demanda energ√©tica das pr√≥prias usinas e em m√©dio prazo aumentar a parcela da energia para o fornecimento nas redes p√ļblicas, via leil√£o e/ou cons√≥rcio. A √önica (Uni√£o da Ind√ļstria da Cana-de-A√ß√ļcar) tem atuado acompanhando essa evolu√ß√£o e disseminando os resultados j√° observados.

Fonte: Jornal Dia-a-Dia.

Mais um pouquinho de sustentabilidade

Quando falamos sobre a questão da sustentabilidade no setor sucroenergético é impossível não pensar na adubação verde.

Você conhece o programa da Sementes Piraí voltado para a reforma e implantação de canaviais com adubação verde?

Se ainda n√£o, apresentamos o Programa Canavi√°vel! Um site que re√ļne todas as informa√ß√Ķes t√©cnicas e pr√°ticas para orientar sobre os passos a serem seguidos para conferir mais sustentabilidade e rentabilidade no seu canavial. Acesse hoje mesmo e planeje a inclus√£o da aduba√ß√£o verde na sua planta√ß√£o!

Bioeletricidade da Cana-de-a√ß√ļcar ajuda a #adubarofuturo!

quarta-feira, maio 18th, 2016
O potencial da bioeletricidade da cana é um grande rofrço para poupar a matriz hídrica geradora de energia - Imagem: Divulgação.

O potencial da bioeletricidade da cana é um grande reforço para poupar a matriz hídrica geradora de energia РImagem: Divulgação.

Poupar √°gua √© uma premissa fundamental para garantir a sobreviv√™ncia da vida e das atividades agr√≠colas no planeta. E quando isso acontece ajudando o trabalho das hidrel√©tricas, com certeza, o motivo da comemora√ß√£o tem um teor especial. Segundo dados da Uni√£o da Ind√ļstria de Cana-de-A√ß√ļcar (UNICA) e da Associa√ß√£o da Ind√ļstria de Cogera√ß√£o de Energia (COGEN) em 2015 o setor canavieiro ajudou as usinas a economizar 14% de √°gua, por meio da gera√ß√£o de mais de 20 mil GWh via bioeletricidade.

Outro ponto positivo que o setor sucroenerg√©tico marca em favor da preserva√ß√£o da √°gua e do consumo de energia el√©trica consta dentro de sua pr√≥pria ind√ļstria, uma vez que a autossufici√™ncia durante a safra minimiza o consumo h√≠drico e el√©trico.

O cen√°rio nem t√£o distante de stress h√≠drico que boa parte da regi√£o Centro-Sul do Brasil enfrentou nos √ļltimos anos, refor√ßa ainda mais a participa√ß√£o da bioeletricidade da cana no Sistema Interligado Nacional. A poupan√ßa atual de 14% de √°gua indica um patamar de extrema relev√Ęncia quanto √† participa√ß√£o do setor como parceiro da gera√ß√£o energ√©tica.

Para dar prosseguimento a economia advinda do setor sucroenerg√©tico, como provedor de energia renov√°vel e sustent√°vel, representantes da √°rea refor√ßam a inclus√£o de cotas cada vez mais amplas de bioeletricidade nos leil√Ķes de reserva. No final de abril a biomassa participou do Leil√£o A-5/2016, que contratar√° energia de novos projetos para entrega a partir de 2021. O caminho ainda engatinha, mas seus resultados provam que √© poss√≠vel #adubarofuturo contando com a bioeletricidade da cana!

Fonte: Notícias Agrícolas

Mais produtividade para a cana-de-a√ß√ļcar

Canavieiro, você desejar turbinar sua produção contando com máxima sustentabilidade e economia de gastos?

Apresentamos então o Canaviável, o projeto da Sementes Piraí destinado exclusivamente à adubação verde no setor.

Para saber mais, acesse http://www.canaviavel.com.br e conheça todos os benefícios de ser um adubador do futuro, incluindo a adubação verde na reforma e ou implantação de seu canavial.

 

Vamos falar sobre biomassa?

terça-feira, agosto 18th, 2015
O baga√ßo de cana-de-a√ß√ļcar √©, atualmente, o carro-chefe na produ√ß√£o de biomassa no pa√≠s - Imagem: Divulga√ß√£o/Google.

O baga√ßo de cana-de-a√ß√ļcar √©, atualmente, o carro-chefe na produ√ß√£o de biomassa no pa√≠s – Imagem: Divulga√ß√£o/Google.

Muito tem se falado sobre a biomassa e sua import√Ęncia em tempos de energia renov√°vel. Mas, afinal de contas o que √© essa tal biomassa? Do que √© proveniente? Quais s√£o as suas vantagens? – Esse texto tem a inten√ß√£o de explicar e desmistificar algumas informa√ß√Ķes sobre essa fonte de energia.

Biomassa¬†√© toda mat√©ria org√Ęnica de origem animal ou vegetal utilizada¬†com a finalidade de produzir energia. Aqui no Brasil, a maior fonte para sua¬†produ√ß√£o √© o¬†baga√ßo de cana-de-a√ß√ļcar. Ele representa 28% do produto orginal na fabrica√ß√£o do etanol¬†e √© utilizado em 37% na gera√ß√£o de eletricidade, suprindo a demanda – em m√©dia – de todos os aparelhos utilizados para a fabri√ß√£o do combust√≠vel.

Al√©m do baga√ßo,¬†h√° ainda a produ√ß√£o de biomassa via¬†azeite de dend√™, buriti, baba√ßu e a andiroba, em sua maioria utilizados como alternativa de abastecimento el√©trico em comunidades isoladas na Amaz√īnia. E tamb√©m a¬†casca de arroz, de castanha de caju e do coco-da-ba√≠a, considerados importantes res√≠duos agr√≠colas com alto potencial de produ√ß√£o energ√©tica.

Sua import√Ęncia est√° na express√£o “fonte renov√°vel”, pois sua fabrica√ß√£o est√° ajudando a substituir os combust√≠veis f√≥sseis como o petr√≥leo e o carv√£o mineral, j√° que emite menos gases poluentes. Por√©m, ainda que inferior no valor, o¬†Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) regula os limites permitidos de emiss√£o para poluentes provenientes da biomassa sucroalcooleira, mitigando¬†seus impactos socioambientais.

Outro benef√≠cio da biomassa est√° na sua variedade de produ√ß√£o, j√° que s√£o muitas suas fontes (como citamos mais acima) em compara√ß√£o aos combust√≠veis fosseis. Dessa forma, h√°¬†flexibilidade e seguran√ßa de mercado, que utilizando os res√≠duos org√Ęnicos agr√≠colas, industriais e urbanos, “descartam” de forma sustent√°vel tais itens, gerando energia.

Para transformar todas as fontes poss√≠veis (madeiras, sacar√≠deos, celul√≥sicos, amil√°ceos, res√≠duos org√Ęnicos e √≥leos vegetais) em biomassa (bioetanol, biodiesel, biog√°s, entre outros), existem alguns processos qu√≠micos/bi√≥logicos como a combust√£o direta, fermenta√ß√£o e pir√≥lise.

O Brasil tem condi√ß√Ķes suficientes para produzir energia via biomassa, por√©m alguns pontos devem ser levados em considera√ß√£o para que uma boa op√ß√£o n√£o se transforme em vil√£: produzir com planejamento (de terras √† formatos de gera√ß√£o) e com respeito ao meio ambiente, sem ultrapassar os limites de produ√ß√£o aliment√≠cia¬†e n√£o comprometendo a seguran√ßa alimentar.

Fonte: eCycle.

Fortalecendo o bagaço de cana

Voc√™ sabia que a aduba√ß√£o verde pode contribuir para canaviais cada vez mais rent√°veis e isso claro, tem impacto direto na produ√ß√£o de biomassa? – O uso de adubos verdes no canavial¬†recicla as propriedades biol√≥gicas, qu√≠micas e f√≠sicas do solo, renovando seus nutrientes e permitindo a melhoria da cultura. Para saber mais, acesse o Programa Canavi√°vel, o site que re√ļne todas as informa√ß√Ķes para implantar ou renovar canaviais com o aux√≠lio dessa t√©cnica milenar e 100% sustent√°vel.

 

Etanol Celul√≥sico √© tema de destaque no VII Simp√≥sio Tecnologia de Produ√ß√£o de Cana-de-A√ß√ļcar, do GAPE/ESALQ (USP)!

sexta-feira, julho 10th, 2015

O texto de hoje √© uma reprodu√ß√£o integral do excerto de Fernanda Lelles, da Texto Comunica√ß√£o Corportiva. Agradecemos e creditamos √† Fernanda¬†todo o conte√ļdo textual postado abaixo.

O Etanal Celulósico (2G) será tema de destaque no VII Simpósio da Cana - Imagem: Jornal Cana.

O Etanal Celulósico (2G) será tema de destaque no VII Simpósio da Cana РImagem: Jornal Cana.

O etanol celul√≥sico ou de segunda gera√ß√£o (2G) √© produzido a partir dos a√ß√ļcares presentes nas fibras vegetais, diferentemente do etanol de primeira gera√ß√£o (convencional), que fermenta os a√ß√ļcares presentes no caldo da cana.

A cana-energia √© um tipo¬†especial¬†de cana-de-a√ß√ļcar,¬†que possui o dobro do teor de fibra, metade do teor de a√ß√ļcares no caldo e, pelo menos, o dobro da produtividade em rela√ß√£o √† cana-de-a√ß√ļcar convencional. Essa maior¬†produtividade¬†na mesma √°rea faz com que o custo da produ√ß√£o se reduza¬†significativamente, o que torna a cana-energia a melhor fonte de biomassa para a ind√ļstria do etanol celul√≥sico.

Al√©m disso,¬†a cana-energia¬†pode ser utilizada¬†tamb√©m na ind√ļstria de primeira gera√ß√£o, produzindo a mesma quantidade de etanol por hectare com os a√ß√ļcares presentes no caldo e quatro vezes mais baga√ßo para ser utilizado na cogera√ß√£o de energia.¬†

Este ser√° um dos principais temas do VII Simp√≥sio Tecnologia de Produ√ß√£o de Cana-de-A√ß√ļcar, iniciativa do Grupo de Apoio √† Pesquisa e Extens√£o (GAPE), vinculado ao Departamento de Ci√™ncia do Solo da Escola Superior de Agricultura ‚ÄúLuiz de Queiroz‚ÄĚ (ESALQ/USP), programado para os dias 15 a 17 de julho de 2015, em Piracicaba (SP).

A palestra sobre Etanol Celul√≥sico ser√° ministrada pelo Dr. Jos√© Bressiani, Diretor Agr√≠cola da GranBio: ‚ÄúNo etanol de cana, se converte o a√ß√ļcar em etanol. J√° o etanol celul√≥sico converte o a√ß√ļcar presente nas fibras das plantas. O etanol √© o mesmo, com a diferen√ßa de que polui menos. Ent√£o, √© uma energia sustent√°vel e combate a polui√ß√£o ainda mais que o de primeira gera√ß√£o‚ÄĚ, explica Bressiani.

 

Programa√ß√£o Completa do VII Simp√≥sio Tecnologia de Produ√ß√£o de Cana-de-A√ß√ļcar ‚Äď 15 a 17 de Julho de 2015, em Piracicaba (SP)

 

DIA 15 DE JULHO DE 2015

Painel I: Cen√°rio Econ√īmico

10:00 – 10:15 | Abertura

10:15 – 11:00 | ‚ÄúO que esperar do mercado de a√ß√ļcar; etanol e energia para os pr√≥ximos

anos‚ÄĚ – Msc. Alexandre Enrico S. Figliolino (Diretor, Ita√ļ BBA)

11:00 – 11:45 | ‚ÄúAlternativas para contornar anos de crise‚ÄĚ ‚Äď Dr. Pl√≠nio M. Nastari (DATAGRO)

Painel II: Adubação

Moderador: Prof. Dr. Paulo Cesar Ocheuze Trivelin (ESALQ/USP)

14:00 – 14:45 | ‚ÄúO potencial de novas tecnologias no aumento da produtividade do canavial‚ÄĚ – Prof. Dr. Gaspar Henrique Korndorfer (UFU)

14:45 – 15:30 | ‚ÄúReflex√Ķes sobre o manejo da nutri√ß√£o e aduba√ß√£o da cana-de-a√ß√ļcar‚ÄĚ – Prof. Dr. Pedro Henrique de Cerqueira Luz (FZEA/USP)

15:30 – 16:00 | Intervalo

16:00 – 16:45 | ‚ÄúDesafios para aumento da produtividade e longividade do canavial‚ÄĚ – Prof. Dr. Rafael Otto (ESALQ/USP)

16:45 – 17:30 | ‚ÄúNovas tecnologias no manejo de enxofre e micronutrientes‚ÄĚ – Prof. Dr. Godofredo Cesar Vitti (ESALQ/USP)

 

DIA 16 DE JULHO DE 2015

Painel III: Mecanização e Sistemas de Produção

Moderador: Prof. Dr. Pedro Henrique de Cerqueira Luz (FZEA/USP)

08:00 – 08:45 | ‚ÄúConserva√ß√£o do solo em cana-de-a√ß√ļcar: passado, presente e futuro‚ÄĚ – Prof. Dr. Jos√© Luiz Ioriatti Dematt√™ (ESALQ/USP)

08:45 Р09:30 | “Espaçamento de plantio: alternativas para aumento de produtividade com

diminui√ß√£o do gasto com mudas‚ÄĚ – Dr. Henrique Junqueira Franco (Pesquisador, CTBE)

09:30 – 10:00 | Intervalo

10:00 – 10:45 | ‚ÄúDiagn√≥stico e manejo da compacta√ß√£o do solo em √°reas canavieiras‚ÄĚ – Prof. Dr. Ricardo Ralisch (UEL)

10:45 – 11:30 | ‚ÄúPreparo profundo: resultados, vantagens e desvantagens‚ÄĚ – Eng¬į Agr¬į Anibal Pacheco de Almeida Prado (Consultor, Saccharum)

Painel IV: Novas Tecnologias

Moderador: Prof. Dr. Pedro Henrique de Cerqueira Luz (FZEA/USP)

14:00 – 14:45 | ‚ÄúO reconhecimento da palha de cana-de-a√ß√ļcar e suas implica√ß√Ķes na

produ√ß√£o de bioenergia‚ÄĚ – Dr. Jo√£o Lu√≠s Nunes Carvalho (Pesquisador, CTBE)

14:45 – 15:30 | ‚ÄúAtualiza√ß√Ķes no controle de doen√ßas em cana-de-a√ß√ļcar‚ÄĚ – Prof. Dr. Modesto Barreto (UNESP-Jaboticabal)

15:30 – 16:00 | Intervalo

16:00 Р16:45 | Vinhaça concentrada: vantagens, perspectivas e complementação com

nitrog√™nio‚ÄĚ – Eng¬į Agr¬į Luiz A. Paiva (LA Paiva Assessoria e Consultoria em Agroneg√≥cio)

16:45 – 17:30 | ‚ÄúComo contornar as dificuldades no manejo de plantas daninhas‚ÄĚ – Eng¬į Agr¬į Weber Geraldo Val√©rio (Consultagro)

 

DIA 17 DE JULHO DE 2015

Painel V: Experiências do Setor

Moderador: Prof. Dr. Rafael Otto (ESALQ/USP)

08:00 – 08:30 | ‚ÄúControle de pragas de solo: Usina Iracema‚ÄĚ – Eng¬į Agr¬į Jader Sahade da Silva (Coordenador Agr√≠cola, Usina Iracema)

08:30 – 09:00 | ‚ÄúManejo da produ√ß√£o em regi√£o com alto d√©ficit h√≠drico: Usina Jalles Machado‚ÄĚ – Msc. Patrick Francino Campos (Gestor Agr√≠cola, Jalles Machado)

09:00 – 09:30 | ‚ÄúEtanol de 2¬™ gera√ß√£o: GranBio‚ÄĚ – Dr. Jos√© Bressiani (Diretor Agr√≠cola,

GranBio)

09:30 – 10:00 | Intervalo

10:00 – 10:30 | ‚ÄúProdu√ß√£o de mudas pr√©-brotadas: Grupo S√£o Martinho‚ÄĚ – Eng¬į Agr¬į Luis Gustavo Teixeira (Gerente Agr√≠cola, Usina S√£o Martinho)

10:30 – 11:00 | ‚ÄúPlantio direto e plantio de mudas pr√©-brotadas: Usina Alta Mogiana‚ÄĚ – Eng¬į Agr¬į Nazareno Hil√°rio Gon√ßalves (Diretor Agr√≠cola, Usina Alta Mogiana)

11:00 Р11:30 | “Agricultura de precisão e potencial de uso de imagens aéreas no setor

sucroenerg√©tico‚ÄĚ Eng¬į Agr¬į¬†¬†Lucas Sant¬īAnna Trevizan (Gestor de¬†Desenvolvimento T√©cnico Corporativo, Usina Guarani)

11:30 – 12:00 | Debate e Encerramento

 

As inscri√ß√Ķes para o VII Simp√≥sio Tecnologia de Produ√ß√£o de Cana-de-A√ß√ļcar j√° est√£o abertas no site:www.simposiodecana.com; e-mail: cdt@fealq.org.br; ou pelo telefone (19) 3417-6604, com Maria Eug√™nia.

IX WORKSHOP Agroenergia: matérias primas

quinta-feira, maio 21st, 2015
Imagem: Site Oficial do Evento.

Imagem: Site Oficial do Evento.

O “IX Workshop Agroenergia: mat√©rias primas” est√° chegando e¬†ser√° realizado nos dias 27 e 28 deste m√™s (pr√≥ximas quarta e quinta-feira),¬†no Audit√≥rio da Cana-de-A√ß√ļcar – Centro Avan√ßado de Pesquisa em Cana-de-a√ß√ļcar, do Instituto Agron√īmico, em Ribeir√£o Preto/SP.

Os principais temas do Workshop ser√£o:

– “Avan√ßos tecnol√≥gicos nas culturas potenciais para bioenergia, com √™nfase na conserva√ß√£o dos solos e aspectos fitossanit√°rios”;

– “Barreiras comerciais, econ√īmicas, pol√≠ticas e sanit√°rias para o avan√ßo do programa energ√©tico brasileiro”;

– “Biocombust√≠veis e a quest√£o ambiental”;

– “Consorcia√ß√£o de culturas, alimentos e energia”;

– “Pesquisa e Desenvolvimento de Mat√©rias Primas para a produ√ß√£o e uso de Biocombust√≠veis – O caso das algas”;

– “Potencial de mat√©rias para produ√ß√£o de biomassa”.

Al√©m disso, o Workshop realizar√° a “Biomassa show”, ou seja, a visita√ß√£o de plots demonstrativos¬†com diferentes op√ß√Ķes de culturas para biomassa e a apresenta√ß√£o de ‚ÄúNova Cultivar de Algod√£o Colorido do IAC‚ÄĚ. Constam tamb√©m na programa√ß√£o,¬†atividades que celebrem o ano internacional do solo.

A programação completa está abaixo:

 

Programação do IX Workshop Agroenergia: matérias primas - Imagem: APTA Regional.

Programação do IX Workshop Agroenergia: matérias primas РImagem: APTA Regional.

O IX Workshop Agroenergia: mat√©rias prima tem como p√ļblico os¬†Engenheiros Agr√īnomos, Estudantes, Gerentes, Pesquisadores,¬†Produtores rurais, T√©cnicos e demais profissionais envolvidos no agroneg√≥cio de agroenergia. O evento √© uma realiza√ß√£o da¬†APTA Regional e do IAC – Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento.

Para maiores informa√ß√Ķes e inscri√ß√Ķes, basta acessar:¬†http://www.infobibos.com/agroenergia/